ALEX SOLNIK | Queiroz meteu o Hospital Einstein numa encrenca



Jornalista. Já atuou em publicações como Jornal da Tarde, Istoé, Senhor, Careta, Interview e Manchete. Autor de treze livros, dentre os quais "Porque não deu certo", "O Cofre do Adhemar", "A guerra do apagão" e "O domador de sonhos"

24 de Maio de 2019

Por Alex Solnik, para o Jornalistas pela Democracia - O hospital Albert Einstein, no qual o ex-motorista e ex-funcionário de Jair Bolsonaro e de seu filho Flávio, o ex-PM Fabrício Queiroz realizou uma cirurgia de câncer no início do ano – um dos maiores e mais afamados do país - pode ter se metido numa grande encrenca por aceitar de suas mãos pagamento de R$64,5 mil em dinheiro vivo, como se informou hoje.

Àquela altura todo o Brasil sabia que Queiroz era suspeito de realizar movimentações bancárias ilícitas e de lavagem de dinheiro, dentre outros crimes praticados no gabinete do deputado estadual Flávio Bolsonaro.

Dado esse histórico, chama atenção o fato de o hospital não ter tomado o cuidado de exigir uma forma de pagamento acima de qualquer suspeita, como cheque ou transferência bancária.

Se ficar comprovado que a conta foi paga com grana de origem espúria, o que está sendo investigado no momento, o hospital poderá ser responsabilizado por lavagem de dinheiro, ainda que sem ter tido intenção de cometer crime algum


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]