Em editorial ESTADÃO detona Bolsonaro e denuncia tentativa de golpe contra a democracia


Marcos Corrêa/PR

O texto distribuído por Jair Bolsonaro, em que ele endossa a tese de que o Brasil seria ingovernável sem 'conchavos' com o sistema, foi interpretado pelo jornal Estado de S. Paulo mais como ameaça de golpe de estado do que como possibilidade de renúncia. "Ao 'contar com a sociedade' para enfrentar o 'sistema', Jair Bolsonaro repete o roteiro de outros governantes que, despreparados para a vida democrática, flertaram com golpes em nome da 'salvação' nacional", aponta o texto

18 DE MAIO DE 2019

Jair Bolsonaro pode estar preparando uma tentativa de golpe contra a democracia brasileira, alerta editorial publicado neste sábado pelo jornal Estado de S. Paulo. "O presidente Jair Bolsonaro considera impossível governar o Brasil respeitando as instituições democráticas, especialmente o Congresso. Em sua visão, essas instituições estão tomadas por corporações – que ele não tem brio para nomear – que inviabilizam a administração pública, situação que abre caminho para uma "ruptura institucional irreversível" – conforme afirma em texto que fez circular por WhatsApp ontem, corroborando-o integralmente, como se ele próprio o tivesse escrito", aponta o texto.

"Ao compartilhar o texto, qualificando-o de 'leitura obrigatória' para 'quem se preocupa em se antecipar aos fatos', Bolsonaro expressou de maneira clara que, sendo incapaz de garantir a governabilidade pela via democrática – por meio de articulação política com o Congresso legitimamente eleito –, considera natural e até inevitável a ocorrência de uma 'ruptura'", prossegue o editorial. "Não é de hoje que o presidente se mostra inclinado a soluções autoritárias. Depois da posse, Bolsonaro mais de uma vez manifestou desconforto com a necessidade de lançar-se a negociações políticas para fazer avançar a agenda governista no Congresso. Confundindo deliberadamente o diálogo com deputados e senadores com corrupção, o presidente na verdade preparava terreno para desqualificar os políticos e a própria política – atitude nada surpreendente para quem passou quase três décadas como parlamentar medíocre a ofender adversários e a louvar a ditadura militar."

Ao 'contar com a sociedade' para enfrentar o 'sistema', Bolsonaro repete o roteiro de outros governantes que, despreparados para a vida democrática – em que a vontade do presidente é limitada por freios e contrapesos institucionais –, flertaram com golpes em nome da 'salvação' nacional. Se tudo isso não passar de mais um devaneio, já será bastante ruim para um país que mergulha cada vez mais na crise, que tem seu fulcro não nas misteriosas 'corporações' – as suas 'forças ocultas' –, mas na incapacidade do presidente de governar."



0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]