Suspeito de matar Marielle Franco comprou à vista terreno em condomínio de luxo



Sargento reformado da Polícia Militar do Rio de Janeiro Ronnie Lessa, suspeito de assassinar a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes, comprou à vista um terreno de R$ 600 mil em um condomínio de luxo em Angra dos Reis; segundo dados da própria PM, Lessa recebe R$ 7,4 mil mensais de aposentadoria; no local, o ex-policial construiu uma mansão e uma área onde guardava uma lancha

10 DE MAIO DE 2019

O sargento reformado da Polícia Militar do Rio de Janeiro Ronnie Lessa, suspeito de assassinar a vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ) e o motorista Anderson Gomes, comprou à vista um terreno de R$ 600 mil – R$ 718 mil em valores corrigidos - em um condomínio de luxo em Angra dos Reis. Segundo dados da própria Polícia Militar, Lessa recebe R$ 7,4 mil mensais de aposentadoria.

De acordo com reportagem do UOL, a área, localizada no condomínio Portogalo, foi adquirida em 2015. No local, o ex-policial construiu uma mansão e uma área onde guardava uma lancha. Um dos frequentadores do local, segundo a reportagem, era o também ex-PM Élcio Vieira Queiroz, preso pela suspeita de envolvimento nas mortes de Marielle e Anderson.

Ronnie Lessa está preso em um presídio federal em Maceió e , segundo o Ministério Público, ele é suspeito de atuar como matador de aluguel, traficante de armas e de ser "armeiro" de grupos criminosos. Ele foi preso no dia 12 de março quando saía de sua casa na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio. A residência fica localizada no mesmo condomínio em que mora o presidente Jair Bolsonaro.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]