Humilhado publicamente por Bolsonaro, Joaquim Levy deixa o governo


Minh Hoang/Pool via REUTERS

"Solicitei ao ministro da Economia, Paulo Guedes, meu desligamento do BNDES. Minha expectativa é que ele aceda", disse Joaquim Levy, em mensagem enviada ao ministro da Economia, Paulo Guedes; o pedido de demissão vem depois que o presidente Jair Bolsonaro humilhar o economista dizendo estar "por aqui" com ele e afirmar que sua cabeça estava a prêmio

16 DE JUNHO DE 2019

Depois de ser humilhado pelo presidente Jair Bolsonaro, o economista Joaquim Levy renunciou à presidência do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) neste domingo (16).

Neste sábado (15), sem ser questionado sobre o assunto, Bolsonaro resolveu falar de Levy. Disse estar "por aqui" com o economista e que ele estava "com a cabeça a prêmio" havia algum tempo.

A irritação do presidente foi a indicação de Marcos Barbosa Pinto para a diretoria de Mercado de Capitais do banco. Ele integrou o governo do ex-presidente Lula.

"Solicitei ao ministro da Economia, Paulo Guedes, meu desligamento do BNDES. Minha expectativa é que ele aceda", disse Levy, em mensagem enviada a Guedes.

Como disse o presidente da Câmara dos Deputados, o governo Bolsonaro é uma "usina de crises" e a saída de Levy é mais uma das crises criadas pelo próprio governo, que demonstra cada vez mais a sua desarticulação.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]