Jair Bolsonaro declara apoio a Neymar, acusado de estupro: 'acredito nele' e 'espero dar um abraço'



Jair Bolsonaro (PSL) declarou apoio ao jogador Neymar durante uma entrevista coletiva na manhã de hoje; "Espero dar um abraço no Neymar antes do jogo. Está num momento difícil, mas eu acredito nele"; Neymar foi acusado de estupro por uma mulher e também é investigado por ter divulgado imagens íntimas da jovem

5 DE JUNHO DE 2019

Jair Bolsonaro (PSL) declarou apoio ao jogador Neymar durante uma entrevista coletiva na manhã de hoje. "Espero dar um abraço no Neymar antes do jogo. Está num momento difícil, mas eu acredito nele", afirmou Bolsonaro em Aragarças, no interior de Goiás. A informação é do Portal UOL.

Neymar é acusado de estupro e agressão por uma mulher e também é investigado por ter divulgado imagens íntimas da jovem. Os investigadores do caso afirmam que há um vídeo com as agressões do jogador à mulher.

Bolsonaro não manifestou qualquer solidariedade à mulher. No último domingo, ele manifestou sua dor pela morte de MC Reaça, que se suicidara na véspera, mas ignorou a mulher que foi espancada por ele (aqui).

As declarações de Bolsonaro foram feitas após um evento com agricultores. Hoje à noite, Neymar deve ser titular pela seleção brasileira, que enfrenta o Qatar em amistoso em Brasília. O presidente confirmou a presença no jogo, que começa às 21h30.

Neymar e Bolsonaro

Bolsonaro e o pai do jogador, Neymar da Silva Santos, são velhos conhecidos. Enquanto o governo Jair Bolsonaro discursa afirmando que a reforma da Previdência e outras medidas são para "combater privilégios", o pai do jogador Neymar Jr., o empresário Neymar da Silva Santos, foi recebido em audiência, no mês de abril, no Ministério da Economia, para reunião fechada com o ministro Paulo Guedes e o secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra para tratar de "questões tributárias relativas a atividades esportivas".

O jogador foi acusado de sonegar tributos quando foi transferido do Santos para o Barcelona. Ele foi autuado em R$ 188 milhões sob a alegação de que deixou de declarar R$ 63,6 milhões entre 2011 e 2013, omitindo esse montante através das empresas NR Sports, N&N Consultoria Esportiva e Empresarial e N&N Administração de Bens.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]