Sérgio Moro foge de coletiva ao ser questionado sobre fraude contra Lula e a democracia


Agência Brasil

"Juízes conversam com procuradores, advogados e policiais. Isso é algo absolutamente normal e eu não dei orientação nenhuma", afirmou o ministro de Bolsonaro, ao ser questionado sobre a publicação de mensagens trocadas entre ele e procuradores da Lava Jato para criar provas contra Lula, prendê-lo e tirá-lo das eleições; em seguida, diante de mais perguntas, ele abandonou a coletiva

10 DE JUNHO DE 2019

O ministro da Justiça e da Segurança Pública do governo Bolsonaro, Sérgio Moro, abandonou uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira 10 que estava sendo concedida após reunião do Conselho Nacional dos Secretários de Estado da Justiça, Cidadania, Direitos Humanos e Administração Penitenciária (Consej), no Hotel Quality, em Manaus (AM).

"Juízes conversam com procuradores, advogados e policiais. Isso é algo absolutamente normal e eu não dei orientação nenhuma", afirmou Moro, ao ser questionado sobre a publicação de mensagens, pelo site The Intercept, trocadas entre ele e procuradores da Lava Jato para criar provas contra Lula, prendê-lo e tirá-lo das eleições.

"Eu vim falar sobre questões do Amazonas. Se não quiserem me perguntar mais nada a esse respeito, estarei encerrando", disse em seguida, abandonando a coletiva mesmo diante de jornalistas que continuavam a fazer perguntas sobre o vazamento das conversas.

A primeira pergunta a ser feita foi se os vazamentos atrapalharão, em sua avaliação, a indicação de seu nome para uma vaga no Supremo Tribunal Federal.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]