STF pode declarar Sérgio Moro suspeito no dia 25


José Cruz/Agência Brasil

A Operação Lava Jato e seu condutor, o ex-juiz Sergio Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Bolsonaro serão julgados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no próximo dia 25; a ala garantista do STF pretende usar o julgamento do pedido de habeas corpus da defesa do ex-presidente Lula para declarar a suspeição de Moro no processo que condenou o líder popular à prisão

13 DE JUNHO DE 2019

A Operação Lava Jato e seu condutor, o ex-juiz Sergio Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Bolsonaro serão julgados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no próximo dia 25. A ala garantista do STF pretende usar o julgamento do pedido de habeas corpus da defesa do ex-presidente Lula para declarar a suspeição de Moro no processo que condenou o líder popular à prisão.

Os garantistas que criticam os métodos da Lava Jato e defendem rigorosamente a presunção da inocência e o respeito estrito às leis tendem a declarar Moro suspeito. As conversas de Moro com procuradores divulgadas pelo Intercept demonstraram que o ex-juiz atuou sem isenção no caso do tríplex. Moro extrapolou seu papel de juiz e instruiu a acusação, o que é ilegal.

Reportagem da Folha de S. Paulo descreve a correlação de forças no Supremo.

A Segunda Turma é composta por Gilmar, Ricardo Lewandowski, Celso de Mello, Cármen Lúcia e Edson Fachin. Os dois primeiros são garantistas clássicos, os dois últimos usualmente apoiam a ação da Lava Jato, geralmente acompanhados de Celso de Mello. O ministro Celso de Mello ficou impactado com a revelação das conversas entre Moro e os procuradores e seu voto poderá ser decisivo.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]