Conheça os resultados de 3 anos de exportação de placas de aço da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP)



21/08/2019 - Como esse dia foi esperado! Despachar a primeira placa de aço da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) aos primeiros clientes ocorreu com uma cerimônia interna simples e cheia de significados. Era o dia 26 de julho de 2016, por volta das 11:30, sob o sol forte do Ceará. Toda operação, até a partida do primeiro navio, o MV Emerald Bay, do Porto do Pecém está bem viva na memória do são gonçalense Joaquim Honório, analista de logística e operações portuárias da CSP. Completaram três anos que ele viveu toda essa emoção.~

De 12 de agosto, às 11:08, até 14 de agosto, às 22 horas, empregados do Porto do Pecém e da siderúrgica realizavam, pela primeira vez, um carregamento de navio com placas de aço. Foram 705 placas, totalizando cerca de 19 mil toneladas (t). E logo pela manhã do dia 15 de agosto, elas seguiram viagem para a Itália e Turquia.

A cidade de Gorizia, onde fica localizado o Porto de Monfalcone, na Itália, recebeu 166 placas de aço da CSP, o que significam 4.942,751 t. Já a província de Izmir, que tem o porto de Aliağa, na Turquia, recebeu 539 placas, representando 14.135,660 t.

“Para a exportação, realizamos sempre duas operações. A primeira é a transferência, quando transportamos as placas até o Porto do Pecém. Em seguida, fazemos o embarque do navio”, conta Joaquim, com aquela sensação de fazer parte da história do Ceará.

Quem também tem o maior orgulho das exportações da CSP é Leonardo Lage, coordenador de Logística da CSP. Há três anos, ele era coordenador do almoxarifado da Logística. Hoje é quem coordena o trabalho de Joaquim e da equipe de operações portuárias.

“Eu estava em outra função na área de Logística no início das exportações. Hoje coordeno essa operação pela CSP. É mais do que placa de aço sendo exportada. É a certeza de que essas placas deixaram muito desenvolvimento para o Ceará”, comenta Leonardo.

O presidente da CSP, Cláudio Bastos, ressalta a importância da infraestrutura portuária disponível no Ceará. “Desde o começo das exportações, temos a confiança na parceria com o Porto do Pecém, por meio da CIPP S.A., como pilar essencial do negócio da CSP. Bem localizado, com profissionais qualificados, infraestrutura adequada e em constante modernização, o equipamento proporciona um excelente canal de escoamento das nossas placas de aço. A parceria com o Porto do Pecém é essencial para cumprimos a nossa missão de ser referência mundial na produção de aço, contribuindo com o desenvolvimento regional sustentável”.

Para o diretor-presidente do Complexo Industrial e Portuário do Pecém – CIPP, Danilo Serpa, o aço traz um ponto de virada para a economia do Ceará. “Nosso porto opera desde março de 2002. Mas não temos dúvidas que o mês de agosto de 2016 representa um divisor de águas para a nossa operação. O movimento de cargas aumentou consideravelmente com os insumos que desembarcam e com as placas de aço que chegam da Companhia Siderúrgica do Pecém e são embarcadas nos navios que atracam no porto. A expectativa agora é que, num futuro próximo, possamos aumentar ainda mais essa movimentação, gerando assim mais emprego e renda para o Estado do Ceará, através do Complexo do Pecém”.

Significados socioeconômicos

As 20 mil t do primeiro embarque foi o primeiro passo para que a CSP chegasse bem mais longe. Daquele dia até julho de 2019, mais de 7,9 milhões de toneladas de placas de aço foram exportadas para mais de 23 países. EUA, México, Turquia, Coreia do Sul e Itália são os principais compradores.

A exportação de placas de aço da CSP é o resultado da atividade de milhares de cearenses e brasileiros, que trabalham direta e indiretamente na siderúrgica ou nas suas empresas contratadas. O resultado disso é a geração de emprego e renda; formação e capacitação profissional, culminando no desenvolvimento regional sustentável para o Ceará. Atualmente, siderúrgica é responsável por mais de 60% de movimentação de cargas (matérias primas, equipamentos e produtos exportados) no Porto do Pecém.

Outros resultados socioeconômicos

ü  Atualmente, são mais de 24 mil empregos gerados entre empregos diretos e indiretos;
ü  Mais de R$ 7,7 bilhões em equipamentos, materiais e serviços adquiridos no Ceará entre 2012 e 2018.

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]