STF vai acelerar ações importantes para corrigir a farsa que foi o julgamento de Lula


(Foto: Ricardo Stuckert)

O Supremo Tribunal Federal vai acelerar a análise de ações sobre prisão após condenação em segunda instância e a suspeição do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, na condução do caso do tríplex de Guarujá (SP), que levou o ex-presidente Lula à prisão

9 de agosto de 2019

O Supremo Tribunal Federal vai acelerar a análise de ações sobre prisão após condenação em segunda instância e a suspeição do ex-juiz e atual ministro da Justiça, Sergio Moro, na condução do caso do tríplex de Guarujá (SP), que levou o ex-presidente Lula à prisão.

Reportagem da jornalista Thais Arbex informa que está criado um ambiente favorável ao jugamento dessas ações depois que a Suprema Corte derrotou Moro e toda a cúpula da Operação Lava Jato durante esta semana, ao proibir a transferência do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) para um presídio em São Paulo.   

Há um entendimento entre ministros do STF para que a corte retome na primeira quinzena de setembro o debate sobre a possibilidade de réus recorrerem em liberdade até o fim do processo, não sendo presos após a condenação em segunda instância.  

A prisão após a condenação em segunda instância é defendida por Moro e a cúpula da Operação Lava Jato.  

A divulgação pelo site The Intercept dos diálogos entre Moro e procuradores da Lava Jato evidenciou que foram cometidas ilegalidades no processo que levou Lula à prisão, o que cria ambiente no Supremo favorável à aceleração da análise sobre esses temas.    

Segundo a Folha, mesmo magistrados contrários à revisão do entendimento sobre prisão após condenação em segunda instância avaliam que já há uma maioria formada no STF para rechaçar a antecipação automática da pena.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]