STF e Congresso Nacional aplaudem indicação de Aras para PGR, vista como uma derrota da Farsa Jato e do ex-juizeco Sérgio Moro


  (Foto: Reprodução/TV Record)

A indicação de Augusto Aras para a PGR (Procuradoria-Geral da República) foi bem recebida no STF (Supremo Tribunal Federal) e no Congresso Nacional. Segundo a jornalista Mônica Bergamo em sua coluna desta sexta-feira (6) na Folha de S.Paulo, a escolha de Aras é vista como uma derrota dos integrantes da Operação Lava Jato e daquele que foi o seu principal responsável: o ex-juiz, hoje ministro da Justiça, Sergio Moro

6 de setembro de 2019, 05:02 h

A indicação de Augusto Aras para a PGR (Procuradoria-Geral da República) foi bem recebida no STF (Supremo Tribunal Federal) e no Congresso Nacional. Segundo a jornalista Mônica Bergamo em sua coluna desta sexta-feira (6) na Folha de S. Paulo, a escolha de Aras é vista como uma derrota dos integrantes da Operação Lava Jato e daquele que foi o seu principal responsável: o ex-juiz, hoje ministro da Justiça, Sergio Moro.  

Moro não conseguiu passar nomes de sua preferência para a Procuradoria-Geral da República e nem sequer foi consultado por Bolsonaro no processo de escolha do novo procurador.  

As posições de Aras contrárias às arbitrariedades cometidas pela Operação Lava Jato atingem Moro diretamente.    

O indicado para a chefia do Ministério Público Federal atacou a espetacularização e a personalização promovidas pelo Ministério Público Federal e disse que elas levaram à debacle da economia brasileira. 

De acordo com Aras, a atuação do MPF foi muitas vezes um atentado à honra de pessoas que depois se provaram inocentes. 

Aras também ataca a criminalização da política promovida por procuradores. E defende que sempre é necessário encontrar soluções políticas para os problemas.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]