Ceará vence o Avaí no Castelão e deixa a zona de rebaixamento da Série A


Bergson garante vitória alvinegra no Castelão
(Foto: FCO FONTENELE)

Centroavante balança as redes aos 43 minutos do segundo tempo e garante o triunfo do Vovô, que chega a 26 pontos e sobe para 16º, deixando o Z4

13/10/2019

Alívio aos 43 minutos do segundo tempo. Quando parecia que o Ceará aumentaria o jejum de vitórias, Bergson apareceu dentro da área para cabecear para o fundo das redes e confirmar o triunfo alvinegro. Gol importantíssimo para tirar o time do Porangabuçu da zona de rebaixamento da Série A do Campeonato Brasileiro.

O tento de Bergson, que fez o seu primeiro com a camisa do Ceará após 13 jogos, encerra também o jejum de gols dentro de casa. O Vovô não marcava no Castelão desde agosto, quando goleou o Chapecoense por 4 a 1. De lá pra cá, foram quatro jogos que o sistema ofensiva passou em branco em casa.

Herói do jogo, o centroavante protagonizou um episódio de insatisfação da torcida, que culminou em gritos de burro para o técnico Adílson Batista. Aos 30 minutos do primeiro tempo, Adílson Batista sacou Mateus Gonçalves e promoveu a entrada de Bergson. Os torcedores presentes no Castelão reprovaram a mudança e fizeram coro no estádio.

O camisa 77 não desanimou com a irritação nas arquibancadas e seguiu buscando o jogo. Na reta final do primeiro tempo, ele chegou a arriscar um chute de longa distância e ganhou o escanteio. Foi para o intervalo sem ter uma grande chance para mudar o panorama da partida.

No segundo tempo, o jogador continuou se movimentando, mas a bola não chegava redonda para concluir a gol. Foi aí que aos 43 minutos do segundo, o centroavante passou de contestado pela torcida para herói do duelo. O cabeceio no fundo das redes diminui o clima de tensão e dá sobrevida ao técnico Adílson Batista.

Com os três pontos conquistados, o Ceará chegou a 26 pontos, empurrou o CSA de volta para a zona e sobe para a 16ª posição. Agora o Alvinegro enfrenta o Santos na próxima rodada, na quinta-feira, 17, na Vila Belmiro.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]