Inerte, Bolsonaro relaciona vazamento de “óleo venezuelano” nas praias do Nordeste a Dilma e ao PT



Inerte diante da tragédia ambiental no nordeste brasileiro, Bolsonaro lançou teoria da conspiração nas redes criando fake news que relaciona os "ONGs e esquerda" e "o apoio desses partidos" à Venezuela que, segundo ele, estaria por trás do "derramamento criminoso" de petróleo nas praias do Brasil
 
23 de outubro de 2019

Inerte diante da tragédia ambiental no nordeste brasileiro, Jair Bolsonaro resolveu ir às redes nesta quarta-feira (23) lançar uma nova teoria da conspiração criando fake news que relaciona “ONGs e esquerda” e “o apoio desses partidos” à Venezuela que, segundo ele, estaria por trás do “derramamento criminoso” de petróleo nas praias do Brasil.
“No mínimo estranho o silêncio de ONGs e esquerda brasileira sobre o óleo nas praias do Nordeste. O apoio desses partidos ao ditador Maduro fortalece a tese de um derramamento criminoso”, afirmou Bolsonaro, compartilhando um vídeo com imagens da ex-presidenta petista Dilma Rousseff ao lado do presidente venezuelano Nicolás Maduro.


- No mínimo estranho o silêncio de ONGs e esquerda brasileira sobre o óleo nas praias do Nordeste.
- O apoio desses partidos ao ditador Maduro fortalece a tese de um derramamento criminoso.



Nesta terça-feira (22), em sua estreia como líder da bancada do PSL na Câmara, o ex-futuro embaixador Eduardo Bolsonaro lançou no plenário da casa teoria semelhante, misturando protestos no Chile e no Equador com a Coreia do Norte e o vazamento de petróleo na costa brasileira.
Segundo Eduardo, os protestos em Santiago e Quito são obra da ditadura venezuelana para desestabilizar governos do continente e o óleo que chega as praias nordestinas é fruto desse mesmo complô.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]