Novo capítulo da ‘Vaza Jato’ sinaliza que o mais pesado vem agora em Cima de Moro e Dallagnol



POR FERNANDO BRITO · 19/10/2019

Glenn Greenwald voltou, depois de um longo tempo, a ocupar-se pessoalmente dos novos episódios da “Vaza Jato”, a longa e chocante série de revelações das mensagens trocadas entre os procuradores da Força Tarefa de Curitiba, a PGR e policiais federais. É um possível sinal de que estão se aproximando as mais fortes revelações sobre a conspiração da Lava Jato, das quais o jornalista tem toda a razão de querer participar diretamente.

Agora,o The Intercept mostra que Moro articulou e comandou as operações da PF que culminaram com a condução coercitiva de Lula para depor (no Aeroporto de Congonha, em 4 de março de 2016) e nas ações de busca e apreensão no seu apartamento em São Bernardo, no sítio de Atibaia que frequentava e no prédio do Instituto Lula.

A interferência é tanta que o delegado Luciano Flores, delegado da PF, diz, num dos diálogos, em tom jocoso que ““Russo [apelido de Moro entre procuradores e policiais deferiu uma busca que não foi pedida por ninguém…hahahah. Kkkkk”.

A “vitima” de Moro, contra quem não havia pedido do MP para busca e apreensão foi Rogério Aurélio Pimentel, de quem Moro disse, por conta própria, que seria o responsável pela “fiscalização das obras” no sítio de Atibaia, quando os procuradores afirmam que ele teria sido responsável pelo recebimento da mudança do ex-presidente, vinda de Brasília e para quem não solicitam a medida.

Se ainda fosse necessário mostrar que Moro saiu do papel de juiz para o de investigador, bastaria. Mas há mais e aguardem muito mais para breve.

Porque, como se diz no futebol, chegou a hora em que Glenn chamou o jogo para si.

Tijolaço

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]