Para manter Lula preso TRF4 andou mais rápido que 85% dos casos


 (Foto: Aquiles Lins)

Do momento em que foi protocolada no TRF-4 até a entrega do voto pelo relator, a ação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva levou 71 dias. Antes do sítio, o outro processo em que Lula foi condenado na Lava Jato, sobre o tríplex em Guarujá (SP), também havia tramitado de forma célere no TRF-4

29 de outubro de 2019 

Reportagem da Folha de S.Paulo aponta que o processo do sítio de Atibaia (SP), cujo principal réu é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, teve um período inicial de tramitação no TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) mais rápido que o de 85% dos casos da oitava turma da corte, responsável pelos processos da Lava Jato. 

O recurso que envolve Lula levou 71 dias entre o momento em que foi protocolado e o fim da elaboração do voto do juiz relator. 

O processo contra o ex-presidente, que foi condenado em primeira instância, é considerado mais complexo e demanda mais análise que outros comparados pela reportagem.  

O jornal fez um levantamento com base em 993 processos que corriam este ano na turma e que foram liberados pelo relator para a revisão - ou seja, nos quais o voto já havia sido concluído. 

Apesar da rapidez com que tramitou, o caso do sítio de Atibaia pode voltar à sua fase inicial porque o Supremo Tribunal Federal decidiu que réus não delatores precisam se manifestar por último em ações penais.  Por isso, nesta quarta-feira (30) o TRF-4 marcou um julgamento que irá decidir se o caso de Lula deve ter a sentença anulada e voltar à primeira instância.

O procurador regional Maurício Gerum, da força-tarefa da Lava Jato, já se manifestou de forma favorável à anulação.  

Leia a íntegra da reportagem dos jornalistas Wálter Nunes, José Marques e Daniel Mariani na Folha de S. Paulo.



0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]