Rodrigo Maia acusa Sérgio Moro de tentar acuar as instituições democráticas


Moro e Maia
 Moro e Maia (Foto: Divulgação)

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse que o ministro da Justiça, Sergio Moro, representa uma ameaça às instituições e também que ele seria réu se as "dez medidas contra a corrupção", que validam o uso de provas ilícitas, tivessem sido aprovadas pelo Congresso, como desejava a Lava Jato

6 de outubro de 2019

Em entrevista a Ranier Bragon e Guilherme Mazieiro, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, fez seu mais duro ataque ao ministro da Justiça, Sergio Moro. Segundo ele, Moro tem como “estratégia permanente” a tentativa de acuar as instituições democráticas do país.

Ele também falou sobre a prisão em segunda instância. “O projeto que foi apresentado pelo governo tem coisas boas. Agora, acredito que a discussão da prisão de segunda instância... Ele, que é jurista, que conhece o tema, encaminhar por projeto de lei parece mais uma vontade de desgastar o Parlamento do que uma vontade de aprovar o projeto.”

Maia também disse que ele começou o governo com uma visão distorcida sobre o que era o Congresso. “Ele achou que podia marcar a data da votação do projeto e como o projeto iria tramitar”, afirmou. “O que eu espero é que se respeite a legitimidade do Parlamento, coisas que no passado, o grupo do entorno do ministro Moro, principalmente os procuradores, não respeitaram. Naquelas Dez Medidas nós rejeitamos a prova ilícita de boa fé. Hoje eles criticam a prova ilícita de boa fé no caso do Intercept. Você vê como são dois pesos e duas medidas que, se nós tivéssemos feito o que eles gostariam, hoje eles eram réus, não eram procuradores e ele não era ministro da Justiça.”


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]