Caso Marielle: Aras diz que não vê indícios de que Bolsonaro tenha obstruído a Justiça. Alguém esperava outro resultado?


O PT e a Associação Brasileira de Imprensa pedem que o presidente e o filho sejam investigados por possível obstrução de Justiça
 Sérgio Lima/Poder360 – Renan Olaz/CMRJ
1º DE DEZEMBRO DE 2019

O procurador-geral da República, Augusto Aras, enviou documento ao STF (Supremo Tribunal Federal) na 6ª feira (29.nov.2019) afirmando que não vê “indícios” de que o presidente Jair Bolsonaro e seu filho vereador, Carlos Bolsonaro (PSC-RJ), tenha obstruído a Justiça no caso Marielle Franco (Psol).

O documento enviado por Aras pede que o STF rejeite 2 requerimentos de queixa-crime: o 1º feito pelo PT (Partido dos Trabalhadores) e o 2º feito pela ABI (Associação Brasileira de Imprensa). Pedem que Bolsonaro e o filho sejam investigados no caso da morte da vereadora.

O pedido afirma que o presidente e seu filho poderiam ter obstruído a Justiça por acessar dados do condomínio Vivendas da Barras, no Rio de Janeiro. No começo do mês, Bolsonaro afirmou que pegou a gravação das ligações da portaria para evitar adulteração no conteúdo.

Dias antes, em 30 de outubro, o vereador também publicou 1 vídeo em seu perfil no Twitter em que acessa áudios de moradores. Assista:

 “O fato de um condômino ter o eventual acesso a cópias dos áudios da portaria do local onde reside consiste em mero exercício de direito, na medida em que possui o domínio ou posse –embora não exclusivamente– sobre os bens de uso comum”, afirma o documento enviado por Aras ao STF.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]