Folha de S. Paulo denuncia desastre da gestão do ministro Ernesto Araújo e aponta Brasil de joelhos diante dos Estados Unidos


Ernesto Araújo
(Foto: Agencia Brasil)

"Por óbvio, contém manter boas relações com a maior potência econômica e militar do mundo. Daí à genuflexão há distância, contudo", aponta o editorial do jornal desta quinta-feira

26 de dezembro de 2019

O jornal Folha de S. Paulo, em editorial publicado nesta quinta-feira, aponta a destruição do Itamaraty no governo de Jair Bolsonaro. "Foi do órgão comandado por dentro pelo chanceler Ernesto Araújo e por fora pelo deputado e filho 03 Eduardo Bolsonaro, com palpites do assessor Filipe Martins, que partiram algumas das crises mais palpáveis do ano", diz o texto. 

O editorial também aponta a submissão total do Brasil aos interesses dos Estados Unidos. "Por óbvio, contém manter boas relações com a maior potência econômica e militar do mundo. Daí à genuflexão há distância, contudo", aponta o editorialista. "Na América Latina, Brasília afastou-se do papel de líder natural. Depois de intrometer-se na eleição presidencial argentina, Bolsonaro antagonizou-se com o maior parceiro local porque saiu vitoriosa uma candidatura à esquerda. Quanto à arruinada Venezuela, a influência americana quase gerou um desastre no começo do ano, quando o governo flertou com a ideia de intervenção contra a ditadura de Nicolás Maduro. O despautério acabou devidamente abortado pela cúpula militar."

Outro desastre é a ideia da embaixada em Jerusalém. "De modo semelhante, a pasta da Agricultura conseguiu impedir que fosse levada a cabo outra intenção desastrosa —a prometida mudança da embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém", aponta o editorial.



0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor