2

São Gonçalo do Amarante - CE - Sexta-feira 25 de setembro de 2020 - Ano: XII - Edição: 4.359

MP retoma investigação sobre caso Queiroz, com foco em Flávio Bolsonaro


(Foto: Reuters | Reprodução)

Após decisão do STF que permitiu o compartilhamento de dados fiscais e bancários com o MP, o órgão retomou a investigação sobre a 'rachadinha', um ano depois de o caso vir à tona, com a identificação de movimentações atípicas de R$ 1,2 milhão nas contas de Fabrício Queiroz, ex-assessor da família Bolsonaro. O foco será o senador Flávio Bolsonaro

6 de dezembro de 2019 

O Ministério Público do Rio de Janeiro retomou as investigações sobre o esquema da 'rachadinha', envolvendo Fabrício Queiroz, ex-assessor financeiro da família Bolsonaro, e com foco no senador e ex-deputado estadual Flávio Bolsonaro, o filho mais velho do presidente, Jair Bolsonaro. 

A retomada da apuração se deu após decisão do Supremo Tribunal Federal que permitiu o compartilhamento de dados fiscais e bancários de órgãos correspondentes ao MP sem autorização da Justiça. O caso completou um ano nesta semana, quando foram reveladas movimentações atípicas de R$ 1,2 milhão nas contas de Queiroz. 

Flávio se tornou suspeito após Relatório de Inteligência Financeira (RIF) do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) apontar que Queiroz recebia depósitos regulares de colegas de gabinete em datas próximas ao pagamento de salários, indício do que caracterizaria a 'rachadinha' - devolução de parte ou totalidade da renda de funcionários do gabinete ao deputado.

O MP também apontou suposta ação de organização criminosa no gabinete de Flávio na Alerj e supostos sinais de que o hoje senador lavou o dinheiro na compra e venda de imóveis. O parlamentar acusou a promotoria de tentar atingir o governo do seu pai. O Coaf, porém, também apontou suspeitas de outros assessores, deputados e ex-deputados, no documento gerado na Operação Furna da Onça, sobre corrupção na Alerj, lembra reportagem do Estado de S.Paulo.



0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor