Adriano Nóbrega estava na casa de um político quando foi morto


Ex-capitão do Bope Adriano da Nóbrega, acusado de chefiar milícias no Rio
(Foto: Divulgação/Polícia Civil)

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia informou que, quando foi morto neste domingo, 9, o miliciano Adriano da Nóbrega, ligado ao senador Flávio Bolsonaro, estava num sítio pertencente a um politico, cujo o nome não foi revelado pelas autoridades

9 de fevereiro de 2020

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia informou que, quando foi morto neste domingo, 9, o ex-PM Adriano da Nóbrega estava num sítio pertencente a um político, cujo o nome não foi revelado pelas autoridades.

Quando foi encontrado pela polícia baiana, o miliciano ligado ao senador Flávio Bolsonaro estava escondido em uma casa na zona rural de Esplanada (BA), a 160 km de Salvador. Ao ser surpreendido pela polícia, ele atirou com uma pistola Glock, calibre 9mm, segundo a polícia. Também foram encontradas duas espingardas, um revólver, além de 13 celulares na casa onde ele estava.

Jair Bolsonaro fez um discurso em defesa do ex-capitão da Polícia Militar Adriano Magalhães da Nóbrega, o Urso Polar, em 2005.  O ex-capitão do Bope havia sido condenado por homicídio dias antes do pronunciamento de Bolsonaro no plenário da Câmara. O então parlamentar do PP afirmou ter comparecido ao julgamento do PM, segundo ele um 'brilhante oficial'. 

Adriano era acusado de ser o chefe de um grupo criminoso formado por matadores de aluguel, que ficou conhecido como Escritório do Crime — investigado por suspeita de envolvimento nas mortes de Marielle Franco e Anderson Gomes. Ele era réu na Operação Intocáveis do Ministério Público do Rio (MP-RJ), que investiga a milícia de Rio das Pedras.



0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor