Após atacar Democracia em Vertigem, filme de Petra Costa que retrata o golpe de 2016, apoiado pela Globo, Pedro Bial diz ter sido linchado e pede paz


Pedro Bial e Petra Costa
Pedro Bial e Petra Costa (Foto: Reprodução)

"Esta semana, experimentei, mais uma vez, o que é estar na parte linchada de um linchamento virtual. Eu, que vivo de acolher as opiniões das pessoas, caí na temeridade de dar a minha", diz o jornalista, que criticou o filme Democracia em Vertigem, que retrata o golpe de 2016 e pode vencer o Oscar nesta noite

9 de fevereiro de 2020

O jornalista Pedro Bial publica artigo neste domingo, no jornal O Globo, em que diz ter sido linchado após atacar a cineasta Petra Costa, que pode vencer o Oscar de melhor documentário nesta noite, por Democracia em Vertigem, filme que retrata o golpe de 2016, apoiado pela Globo, empresa em que Bial trabalha.

"É com a carcaça moída e esfolada de tanta pancada virtual que venho a público acenar: bandeira branca. Amor. Eu peço paz. Esta semana, experimentei, mais uma vez, o que é estar na parte linchada de um linchamento virtual. Eu, que vivo de acolher as opiniões das pessoas, caí na temeridade de dar a minha. Eu não peço desculpas, nem peço que me peçam desculpas", disse ele.

No texto, Bial voltou a criticar Petra, mas disse torcer para que ela vença e criticou o "retardo" de Jair Bolsonaro. "A insegurança do governo e seu temor de que a imagem do Brasil possa ser arranhada por um filme são bobagens, tiros nas próprias patas. Além de mais uma amostra do retardo intelectual de nosso governante, como apontei no rádio, é um escândalo que se gaste o dinheiro público para atacar nossa artista de destaque internacional. Um filme brasileiro no Oscar é sempre bom para o Brasil. Se ganhar, melhor ainda. Viva o cinema brasileiro", afirmou.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor