Justiça do Paraguai determina prisão de Ronaldinho Gaúcho e seu irmão


Ronaldinho Gaúcho aparece algemado em Assunção, Paraguai
(Foto: Reprodução)

Mais cedo, após uma audiência em que os dois chegaram algemados, a Promotoria havia pedido a manutenção da prisão preventiva dos brasileiros, alegando “risco de fuga e que o Brasil não extradita seus cidadãos”

7 de março de 2020

A Justiça do Paraguai determinou a prisão do ex-jogador Ronaldinho Gaúcho e seu irmão Roberto de Assis neste sábado 7, no âmbito do caso em que eles são investigados por uso de passaportes falsos para entrar no país.

Mais cedo, após uma audiência em que os dois chegaram algemados, a Promotoria havia pedido a manutenção da prisão preventiva dos brasileiros, alegando “risco de fuga e que o Brasil não extradita seus cidadãos”.

Leia abaixo reportagem da Reuters sobre o caso e a prisão:

Ex-atacante Ronaldinho Gaúcho é preso no Paraguai

ASSUNÇÃO (Reuters) - O ex-atacante do Brasil e Barcelona Ronaldinho Gaúcho foi preso no Paraguai na sexta-feira por tentar entrar no país com passaporte adulterado, informou a polícia paraguaia.

Gilberto Fleitas, chefe da unidade de investigações da polícia paraguaia, disse que Ronaldinho e seu irmão foram detidos poucas horas depois que um juiz se recusou a ratificar a proposta do promotor de punição alternativa. 

“A ordem de prisão foi cumprida”, disse Fleitas à Reuters.

Imagens de TV mostraram a dupla sendo levada em um veículo da polícia do hotel Sheraton, em Assunção, para uma delegacia nos arredores da cidade.

A prisão inesperada ocorreu poucas horas depois que os dois irmãos pareciam preparados para deixar o país sul-americano e pôr fim à tumultuada estada, que começou na quarta-feira quando foram interrogados pela polícia depois de apresentarem passaportes adulterados na chegada ao aeroporto de Assunção. 

Federico Delfino, um promotor que investiga o caso, disse acreditar que os dois foram enganados para aceitar passaportes paraguaios na chegada e recomendou que, por terem cooperado com as autoridades, fossem libertados após pagarem uma punição alternativa.

No entanto, um juiz rejeitou o acordo na sexta-feira e, poucos minutos depois, foi revogado pelo principal promotor público.

Em seguida, foram emitidos mandados de prisão tanto para o ex-jogador do Grêmio, do Milan e do Paris St-Germain quanto para o seu irmão.

Oficiais das unidades de crime organizado e crimes econômicos foram encarregados do caso, afirmou um comunicado do gabinete do promotor.

A Reuters entrou em contato com o advogado dos dois brasileiros para pedir informações sobre os acontecimentos de sexta-feira.

Os irmãos foram convidados ao Paraguai por um dono de cassino local e chegaram na quarta-feira para participar de um evento de futebol infantil e um lançamento de livro.

Apesar de ter jogado profissionalmente pela última vez em 2015, Ronaldinho, que também atual nos clubes brasileiros Atlético Mineiro, Flamengo e Fluminense, ainda é muito popular entre os fãs de futebol globais por suas habilidades e carisma.

O ex-jogador de 39 anos foi o melhor jogador do mundo no seu auge no início deste século.

Ele foi nomeado Jogador do Ano pela Fifa em 2004 e 2005 e venceu a Copa do Mundo com o Brasil em 2002 e a Liga dos Campeões com o Barcelona em 2006.

Reportagem de Daniela Desantis


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor