Bolsonaro defende fim da quarentena no dia em que o Brasil registra 383 mortes


(Foto: Isac Nóbrega/PR | Guilherme Gandolfi)

Número de óbitos registrados nas últimas 24 horas foi recorde diário brasileiro, levando o total de mortes por Covid-19 a 2.845. Nesta mesma segunda-feira 20, Jair Bolsonaro defendeu que o isolamento seja encerrado ainda nesta semana

20 de abril de 2020

O Brasil registrou nas últimas 24 horas 383 mortes de pessoas infectadas pelo coronavírus, informou nesta segunda-feira 20 o Ministério da Saúde. O número de óbitos pela Covid-19 é o maior registrado até hoje em um dia no País e levou o total a 2.845.

No mesmo dia, horas antes da divulgação dos dados, Jair Bolsonaro defendeu ainda para esta semana o fim da quarentena praticada para tentar reduzir a disseminação do vírus na população, além de novamente participar de aglomerações, como fez no fim de semana.

“Eu espero que essa seja a última semana dessa quarentena, dessa maneira de combater o vírus. A massa não tem como ficar em casa que a geladeira tá vazia”, disse em frente ao Palácio do Planalto. Ele também voltou a dizer com naturalidade, mas sem evidências ou estudos, que 70% a 80% da população brasileira será infectada pelo coronavírus.

Neste domingo 19, numa afronta à decisão do STF que deu autonomia a governadores e prefeitos para determinarem suas regras de isolamento, ele afirmou, em uma live no Facebook que “no que depender” dele, vai “começar a flexibilizar”.



0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor