2

São Gonçalo do Amarante - CE - Domingo 20 de setembro de 2020 - Ano: XII - Edição: 4.355

Bolsonaro prometeu acabar com a corrupção e convida Roberto Jefferson, símbolo da velha política corrupta para ser ministro


Jair Bolsonaro, Roberto Jefferson e Rodrigo Maia
 (Foto: Reuters | Câmara dos Deputados)

A ideia da reforma é distribuir cargos no governo para diversos partidos do “centrão” e aumentar o apoio político ao governo federal

22 de abril de 2020

Militares do governo de Jair Bolsonaro estão impondo uma reforma ministerial para melhorar o relacionamento do presidente com o Congresso, que está se agravando com o aprofundamento da crise do coronavírus.

Segundo coluna de Tales Farias no UOL, o Planalto quer participar da sucessão de Rodrigo Maia (DEM) como presidente da Câmara de Deputados. A relação entre Bolsonaro e Maia está insustentável.

A ideia da reforma, de acordo com a coluna, é distribuir cargos no governo para diversos partidos do “centrão” e aumentar o apoio político ao governo federal. O projeto está sendo chefiado pelo “presidente operacional”, o ministro-chefe da Casa Civil, general Braga Netto. 

Nesta quarta-feira, 22, Bolsonaro se reúne com o presidente do MDB, deputado Baleia Rossi (SP) e na quinta-feira, 23, deverá se reunir com o presidente do DEM e prefeito de Salvador, ACM Neto.

O governo pode recriar o Ministério do Trabalho, extinto pelo golpe contra Dilma Rousseff, e oferecê-lo ao seu novo aliado Roberto Jefferson, dirigente do PTB, que nos últimos dias têm defendido a política de Bolsonaro contra o isolamento social, afirmando que o presidente é “homem de verdade” por estar saindo às ruas, contras as recomendações das autoridades sanitárias.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor