Véio da Havan demitiu mais de 2 mil pessoas na Semana Santa, diz sindicato


Havan faz demissão em massa em loja no RS.
(Foto: Reprodução)

O Sindicato dos Comerciários calcula que em Brusque (Santa Catarina), sede da Havan, já ocorreram 4 mil demissões desde o início da pandemia, sendo metade disso na empresa de Luciano Hang

12 de abril de 2020

O empresário Luciano Hang demitiu mais de 2 mil pessoas na Semana Santa. De acordo com reportagem de Renan Antunes, do DCM, os números foram divulgados num grupo de WhatsApp dos trabalhadores demitidos e confirmados pelo Sindicato dos Comerciários.

Hang lidera ações do empresariado local contra as medidas de isolamento propostas pelo Ministério da Saúde. Assim como Bolsonaro, ele quer o comércio funcionando em detrimento da saúde da população.

O empresário já havia afirmado que teria dinheiro para indenizar os 22 mil empregados, fechar a Havan e ir viver na praia.

Segundo reportagem do DCM, o empresário teria escolhido os que seriam demitidos entre os terceirizados porque eles não podem ser incluídos no plano do Governo Federal para quem segura empregados na pandemia.

"Primeiro, encostou quase 1,5 mil empregados administrativos por 60 dias, para se enquadrar na lei. Segundo, sem alarde, demitiu 1 em cada 3 dos setores de vendas da megaloja de Brusque e das lojas de Floripa e Blumenau, o pessoal só vai saber a situação real quando o comércio voltar a funcionar", aponta o DCM.

O Sindicato dos Comerciários calcula que em toda Brusque, sede da Havan, já ocorreram 4 mil demissões desde o início da pandemia, sendo metade disso na empresa de Hang.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor