2

São Gonçalo do Amarante - CE - Terça-feira 22 de setembro de 2020 - Ano: XII - Edição: 4.357

Mais de 500 artistas assinam manifesto contra Regina Duarte: Ela 'Não nos representa'


Regina Duarte em entrevista à CNN Brasil
Regina Duarte em entrevista à CNN Brasil (Foto: Reprodução)

"Fazemos parte da maioria que entende a gravidade do momento que estamos vivendo e pedimos respeito aos mortos e àqueles que lutam pela própria sobrevivência no país devastado pela pandemia e pela nefasta ineficiência do poder público", diz o texto

10 de maio de 2020

Sputnik – Um grupo de 512 artistas, jornalistas, produtores culturais e intelectuais assinou carta de repúdio à atuação da atriz Regina Duarte à frente Secretaria da Cultura do governo Bolsonaro.

"Como artistas, intelectuais e produtores culturais, formamos a maioria que repudia as palavras e as atitudes de Regina Duarte como Secretária de Cultura", diz o manifesto, segundo o portal G1.

"Fazemos parte da maioria que não aceita os ataques reiterados à arte, à ciência e à imprensa, e que não admite a destruição do setor cultural ou qualquer ameaça à liberdade de expressão. Ela não nos representa", continua a carta.

Regina foi criticada por muitos representantes da área cultural por ter aceito o cargo no governo do presidente Jair Bolsonaro. Além disso, ela vem sendo cobrada pelos artistas a promover políticas de proteção ao setor durante a epidemia do coronavírus.

"Somos artistas brasileiros e fazemos parte da maioria de cidadãs e cidadãos que defende a democracia e apoia a independência das instituições para fazer valer a Constituição de 1988", afirma trecho da carta, assinada por artistas como Caetano Veloso, Lulu Santos, Adriana Esteves Chico Buarque e Marcelo Tas.

'Pedidos respeito aos mortos'

A indignação do grupo aumentou após entrevista concedida pela secretária à Rede CNN Brasil na quinta-feira (7), na qual se esquivou de responder às perguntas feitas pela também atriz Maitê Proença sobre a atuação de sua pasta. Ela também minimizou a repressão ocorrida no período da ditadura militar e criticou a cobertura da imprensa sobre o coronavírus.

"Fazemos parte da maioria que entende a gravidade do momento que estamos vivendo e pedimos respeito aos mortos e àqueles que lutam pela própria sobrevivência no país devastado pela pandemia e pela nefasta ineficiência do poder público", diz o texto.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor