2

São Gonçalo do Amarante - CE - Sexta-feira 04 Dezembro de 2020 - Ano: XIII - Edição: 4.429

Kennedy Alencar expõe os "Democratas de pandemia"


Kennedy Alencar
(Foto: Editora 247)

"Essas figuras causaram mal ao país, mas fingem que não têm nada a ver com o abismo no qual atiraram o Brasil. Demonizaram a política, colaboraram para eleger um genocida e agora posam de defensores da democracia

14 de junho de 2020

"Democratas de pandemia". Esta foi a expressão usada pelo jornalista Kennedy Alencar para criticar personagens que participaram do golpe de 2016 contra a democracia brasileira, ajudaram a semear o fascismo e hoje tentam posar como democratas. Neste fim de semana, Kennedy criticou duramente nomes como Luciano Huck, candidato dos bilionários e eleitor de Bolsonaro em 2018, assim como Roberto Freire e Cristovam Buarque, que apoiaram o golpe de 2016.

Tido como profissional calmo e ponderado, Kennedy explicou sua ira nas redes sociais. "O Brasil não vive situação normal. Muita gente responsável pela tragédia faz de conta que não tem nada a ver com isso. Não vou normalizar democratas de ocasião. Memória é fundamental para não repetirmos os mesmos erros e eleger quem negou a política quando lhe convinha", afirmou.

"O Brasil está com uma safra de democratas de pandemia. Figuras que usaram seu poder de influência sem o menor pudor para colaborar com a eleição de Bolsonaro usam a ocasião para reescrever biografia. Huck e Moro são exemplos mais gritantes, mas praça tá cheia dos que sabiam quem era Bolsonaro", disse ainda o jornalista. 

"Essas figuras causaram mal ao país, mas fingem que não têm nada a ver com o abismo no qual atiraram o Brasil. Demonizaram a política, colaboraram para eleger um genocida e agora posam de defensores da democracia. Hipocrisia tem limite. O Google tá aí pra quem quiser conferir o que fizeram", finalizou.

Brasil 247

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor