Miriam Leitão detona Bolsonaro, "o louco que nos governa"


(Foto: Reprodução | ABr)

Jornalista diz que Jair Bolsonaro comete atrocidades diárias e violou novamente o código penal ao defender a invasão de hospitais

13 de junho de 2020

"O país já está anestesiado pelas atrocidades diárias do presidente da República. Ainda assim tomou um susto com a criminosa atitude de estimular pessoas à invasão de hospitais. Isso é crime contra a saúde pública, é perturbação da ordem e incitação à prática de ilícitos. Coloca em risco pacientes, médicos e a população. Os seguidores do presidente podem seguir a proposta e executar tal desatino. Ele avisou que encaminhará os vídeos que receber à Polícia Federal. Se o fizer, será denunciação caluniosa. O negacionismo de Bolsonaro levou-o à loucura. Um louco nos governa", escreve a jornalista Miriam Leitão, que apoiou o golpe de estado contra a ex-presidente Dilma Rousseff, em sua coluna no Globo.

Em seu texto, ela também detalhou os novos crimes cometidos por Jair Bolsonaro. "O código penal estabelece o crime de pôr em perigo a saúde de outrem (artigo 132), violação de domicílio (150) , infração de medida sanitária (268), incitação ao crime (286). Atentar contra a segurança ou o funcionamento de serviço de utilidade pública (265). Na lei de abuso de autoridade, o artigo 22 estabelece que é crime 'invadir ou entrar astuciosamente ou à revelia da vontade do ocupante, imóvel alheio', no artigo 25, obter provas, em procedimento de investigação ou fiscalização, de forma ilícita. Essa lei prevê o ato de cometer crime por meio de terceiros. Na lei das contravenções penais, artigo 42: 'perturbar alguém, o trabalho, ou o sossego alheios, com gritaria ou algazarra'”.

"A todos eles, médicos, pacientes, familiares, o presidente Jair Bolsonaro desrespeitou com essa imperdoável atitude de convocar seus seguidores para invadir hospitais. Que pessoa sã faria isso?", questiona ainda Miriam.


0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor