Bolsonaro quis que Dilma morresse "infartada ou com câncer" em 2015


Jair Bolsonaro e Dilma Rousseff
(Foto: Reuters | Ederson Casartelli/247)

Ministro da Justiça anunciou que vai enquadrar o colunista da Folha de S.Paulo Hélio Schwartsman na Lei de Segurança Nacional por ter escrito artigo no qual desejar a morte de Jair Bolsonaro, que diz estar com coronavírus. No entanto, em 2015, Bolsonaro desejou que a ex- presidente Dilma Rousseff morresse “infartada ou de câncer”

8 de julho de 2020

o Ministro da Justiça, André Mendonça, anunciou nesta quarta-feira (8) que vai enquadrar o colunista da Folha de S.Paulo Hélio Schwartsman na Lei de Segurança Nacional por ter escrito  artigo no qual desejar a morte de Jair Bolsonaro, que diz estar com coronavírus. No entanto, em 2015, Jair Bolsonaro, que tem como livro de cabeceira a biografia do torturador Brilhante Ustra, desejou que a ex- presidente Dilma Rousseff morresse “infartada ou de câncer”.

“Espero que o mandato dela acabe hoje, infartada ou com câncer, de qualquer maneira”, disparou, durante visita em Goiânia. “O Brasil não pode continuar sofrendo com uma competente, ou ‘incompetenta’, à frente de um país tão grande e maravilhoso como esse aqui”, disse Bolsonaro.

Os filhos de Jair Bolsonaro também reclamaram nas redes sociais da campanha negativa contra seu pai e internautas lembraram que Carlos Bolsonaro, o Carluxo, também já desejou no passado a morte de Michel Temer.




0:15
11.2K views

10:23 PM · Sep 7, 2018


Ouça o áudio: 

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor