2

São Gonçalo do Amarante - CE - Domingo 20 de setembro de 2020 - Ano: XII - Edição: 4.355

Em Editorial o jornal O Globo pergunta a Bolsonaro: por que Michelle recebeu R$ 89 mil do Queiroz?

Jair Bolsonaro, Michelle Bolsonaro e Fabrício Queiroz

(Foto: Wilson Dias/Agência Brasil | Reprodução)

"O presidente continuou ontem a agredir a imprensa. Mas ainda não respondeu à pergunta: por que sua mulher, Michelle, recebeu R$ 89 mil do Queiroz?", aponta o texto

25 de agosto de 2020

O jornal O Globo, que apoiou o golpe de estado contra a ex-presidente Dilma Rousseff e a prisão política do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, fenômenos que garantiram a eleição de Jair Bolsonaro, projeto de ditador que hoje ameaça a própria Globo, hoje levanta um questionamento, em editorial, sobre a corrupção do clã Bolsonaro.

"Das perguntas incômodas, a dos cheques de Michelle é apenas um dos mistérios que pairam sobre a conexão entre o ex-PM Queiroz e o clã Bolsonaro. O Ministério Público fluminense ainda investiga o papel de Queiroz no esquema que é acusado de gerenciar no gabinete do ainda deputado estadual Flávio Bolsonaro na Alerj", aponta o texto. "A investigação já identificou o repasse de R$ 2 milhões de assessores de Flávio a Queiroz, forte evidência do esquema em que pessoas de confiança são nomeadas em gabinetes de parlamentares para devolver parte do que recebem."

"Antes de tomar posse, Bolsonaro teve de responder sobre depósitos de R$ 24 mil feitos por Queiroz na conta de Michelle. Explicou que se tratava de parte do pagamento de um empréstimo, no valor total de R$ 40 mil. Podia fazer sentido na ocasião. Agora se descobre que os depósitos para Michelle somaram mais que o dobro disso — sem registro de transferência de Bolsonaro a Queiroz. O presidente continuou ontem a agredir a imprensa. Mas ainda não respondeu à pergunta do GLOBO: por que sua mulher, Michelle, recebeu R$ 89 mil do Queiroz?", questiona ainda o editorialista.

Brasil 247

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor