2

São Gonçalo do Amarante - CE - Quinta-feira 24 de setembro de 2020 - Ano: XII - Edição: 4.358

Governo Bolsonaro pressiona STJ a afastar Wilson Witzel e se alia a vice para blindar clã

Jair Bolsonaro e Wilson Witzel

(Foto: Reuters)

O governo de Jair Bolsonaro está fazendo pressões sobre o Superior Tribunal de Justiça para manter afastado o governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel. O julgamento será nesta quarta-feira. Estão em curso manobras políticas para selar aliança com o vice Claudio Castro. Bolsonaro aposta que o governador interino vai indicar chefes de órgãos de investigação que atuarão favoravelmente ao seu clã, atropelando a justiça

1 de setembro de 2020

A pressão é total por parte do Palácio do Planalto pelo afastamento do governador Wilson Witzel, inimigo da família presidencial. Jair Bolsonaro e seus assessores estão realizando manobras políticas para se aliar ao governador interino do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), de olho nas nomeações que este fará do chefe da Procuradoria estadual em favor do seu clã.

O estreitamento da relação de Bolsonaro com o novo governador ficou ainda mais evidente nesta segunda-feira (31), após Castro publicar em redes sociais a informação de que recebeu uma ligação do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) para falar da situação do estado, informa reportagem de Matheus Teixeira, Marcelo Rocha e Julia Chaib na Folha de S.Paulo.

Será de Castro a prerrogativa de indicar o chefe do Ministério Público do Rio e da Polícia Civil, órgãos que investigam o presidente e membros do seu clã.

Bolsonaro aposta que o STJ, que tem diversos ministros de olho no STF (Supremo Tribunal Federal), confirme a decisão de afastar o governador Witzel, tomada monocraticamente pelo ministro Benedito Gonçalves.

O presidente do STF, Dias Toffoli, deve aguardar uma decisão colegiada do STJ sobre o tema antes de analisar o recurso apresentado por Witzel ao Supremo.

No STJ, é corrente a opinião de que o colegiado poderá confirmar por unanimidade o afastamento de Witzel.

Porém, o afastamento de um governador em despacho monocrático está sendo alvo de críticas em meios jurídicos e políticos.

Brasil 247

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor