2

São Gonçalo do Amarante - CE - Sexta-feira 24 de outubro de 2020 - Ano: XIII - Edição: 4.389

Ministério Público quer afastamento imediato de Ricardo Salles, ministro da Devastação

(Foto: Lula Marques)

O Ministério Público Federal cobrou à Justiça que avalie o afastamento imediato do ministro Ricardo Salles do cargo. Ele cometeu "desestruturação dolosa" das políticas ambientais

24 de setembro de 2020

A Procuradoria está exigindo o afastamento imediato do ministro do meio ambiente Ricardo Salles, por "desestruturação dolosa" das políticas ambientais.

O pedido foi anexado nos autos da ação civil apresentada em julho que pede a saída do ministro do governo, informa o jornalista Fausto Macedo no Estado de S.Paulo.

Segundo a procuradora Marcia Brandão Zollinger, o perigo da demora em julgar o pedido de afastamento é fundamentado no fato de que a permanência do ministro ‘tem trazido, a cada dia, consequências trágicas à proteção ambiental, especialmente pelo alarmante aumento do desmatamento, sobretudo na Floresta Amazônica’.

“Caso não haja o cautelar afastamento do requerido do cargo de Ministro do Meio Ambiente, o aumento exponencial e alarmante do desmatamento da Amazônia, consequência direta do desmonte deliberado de políticas públicas voltadas à proteção do meio ambiente, pode levar a Floresta Amazônica a um ‘ponto de não retorno’, situação na qual a floresta não consegue mais se regenerar”, apontou a procuradora.

O MPF apresentou dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) que apontam a derrubada de 1.658 km² de Floresta Amazônica em julho de 2020. No mês passado, foram 1.359 km².

Brasil 247

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor