2

São Gonçalo do Amarante - CE - Domingo 29 de novembro de 2020 - Ano: XIII - Edição: 4.424

Efeito Bolsonaro: Preço da carne dispara e some do prato do brasileiro

 30 de outubro de 2020

Um dos efeitos mais perversos da política econômica do governo Bolsonaro é a volta da carestia e da inflação. Segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15) o preço da carne subiu 4,83% – em algumas regiões do país a elevação foi maior ainda.

A carne teve, de janeiro a outubro de 2020, uma alta de 11,04%, pressionando pela redução do consumo do produto da mesa dos mais pobres. Segundo analistas, a tendência é de alta no preço da carne nos próximos meses.

A alta dos preços não afeta somente o preço da carne bovina. A inflação dos alimentos atinge em cheio outros produtos de amplo consumo popular: Arroz, feijão, óleo de soja, tubérculos e leguminosa, leite, entre outros, continuam em disparada nas gôndolas dos supermercados.

Os capitalistas do agronegócio brasileiro aproveitaram o momento da pandemia de Sars-Cov-2 para elevar seus ganhos com a valorização do dólar sobre o real, ampliando as exportações, já que países exportadores frearam suas exportações para protegerem os seus mercados internos da alta de preços e de escassez de alimentos.

Por sua vez, o governo Bolsonaro não adotou nenhuma medida para controlar a alta da inflação dos alimentos. Além disso, o governo eliminou os estoque reguladores dos armazéns estatais.

Blog do Esmael

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor