2

São Gonçalo do Amarante - CE - Sábado 24 de Julho de 2021 - Ano: XIII - Edição: 4.660

Governo Bolsonaro apresenta plano de vacinação inconsistente e demorou a entrar em contato com a Pfizer, diz Flávio Dino

Governador do Maranhão também criticou a guerra ideológica contra a vacina chinesa, afirmando que se Jair Bolsonaro não tivesse vetado a Coronavac em outubro, “nós não estaríamos nesse impasse”

8 de dezembro de 2020

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), disse que “não há consistência nas ações” discutidas pelo Ministério da Saúde para vacinar a população contra a Covid-19, ao falar sobre o “plano” de vacinação mal planejado do ministério, em entrevista à GloboNews.

Ele ainda disse que se Jair Bolsonaro não tivesse vetado, em outubro, a CoronaVac (vacina chinesa produzida pelo Instituto Butantan, em São Paulo), “nós não estaríamos nesse impasse”.

“O governo federal demorou muito a entrar em contato com a Pfizer”, afirmou Dino. O governador também disse que a preferência do governo federal pela vacina da AstraZeneca/Oxford “aparentemente está embaraçando a busca por outras alternativas”.

 “Acho que ele [Doria] está lutando porque tem o Instituto Butantan, e espero que a resposta do Ministério da Saúde não seja combater e derrotar o governo de São Paulo. O certo é buscar entendimento. O que não pode é o governo federal escolher uma vacina e descartar a vacina do Butantan por motivos ideológicos, eventualmente porque não gosta da China ou não gosta do Doria. Disso todo mundo tem direito, do que não tem direito é de sacrificar a saúde da população”.

O governo federal avançou nas negociações com a Pfizer e já prevê receber 8,5 milhões de doses da vacina no primeiro semestre de 2021, disse o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, durante reuniões com governadores nesta terça-feira, 8.

Segundo o ministro, o acordo em negociação, de 70 milhões de doses, ainda precisa ser detalhado. Está previsto, no entanto, que o valor por dose seja no máximo até o que será pago pelo Brasil dentro do consórcio Covax Facilities, organizado pela Organização Mundial da Saúde, que é de 9 a 11 dólares por dose.

Brasil 247

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor