2

São Gonçalo do Amarante - CE - Domingo 1º de Agosto de 2021 - Ano: XIII - Edição: 4.668

Classe média da era Lula desaparece com o desastre do governo Bolsonaro e afunda na pobreza e na miséria

(Foto: Marcos Corrêa/PR | Ricardo Stuckert)

Mais de 30 milhões de brasileiros saíram da chamada classe C e País já tem mais de 35 milhões de miseráveis

25 de abril de 2021

A nova classe média brasileira, que foi o grande fenômeno dos governos Lula e Dilma, está desaparecendo, após o desastre dos governos Temer e Bolsonaro, com seus choques neoliberais, e também como consequência da má gestão do Brasil na pandemia. "Maior novidade da paisagem econômica brasileira no início deste século, a chamada classe C está sendo empurrada rapidamente de volta às classes D e E. Ou, o que é pior, indo direto para a miséria pelas consequências da Covid-19 e da desorganização das políticas de mitigação da pandemia do governo Jair Bolsonaro (sem partido)", aponta reportagem de Fernando Canzian, na Folha de S. Paulo.

"Com a paralisação de muitas atividades em 2020 e a interrupção do auxílio emergencial em dezembro —só retomado em abril, com valores bem menores—, milhões de brasileiros estão despencando diretamente da classe C para a miséria. Em 2019, antes da pandemia, o Brasil tinha cerca de 24 milhões de pessoas na pobreza extrema, ou 11% da população, vivendo com menos de R$ 246 ao mês. Agora, são 35 milhões, ou 16% do total, segundo a FGV Social com base nas Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios Contínua e Covid-19", aponta ainda o jornalista. "De acordo com a FGV Social, quase 32 milhões de pessoas deixaram a classe C desde agosto do ano passado, ápice do pagamento do auxílio emergencial pelo governo Bolsonaro, em direção a uma vida pior", lembra ainda o repórter.

Brasil 247

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor