2

São Gonçalo do Amarante - CE - Terça-feira 13 de Abril de 2021 - Ano: XIII - Edição: 4.559

"Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem", diz Luiz Fux aos advogados que defendem cultos presenciais

(Foto: Fellipe Sampaio /SCO/STF)

No julgamento sobre a liberação de cultos presenciais durante o pior momento da pandemia, o presidente do STF reagiu às declarações de advogados que citam a Bíblia e retratam restrições sanitárias como um ataque à liberdade religiosa

7 de abril de 2021

Durante o julgamento da tarde de hoje (7) sobre a liberação de cultos religiosos presenciais durante a pandemia da Covid-19, o presidente do STF Luiz Fux reagiu às declarações de advogados que citam a Bíblia e retratam restrições sanitárias como um ataque à liberdade religiosa.

Sobre um dos advogados que citou Jesus, Fux disse: "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem".

Mais cedo no julgamento, o advogado-geral da União André Mendonça defendeu o que chama de "perspectiva cristã": "Não estamos tratando sobre um debate de vida ou morte e sim de uma perspectiva de um cristão, que defende a vida incondicionalmente... não se trata de uma discussão política. Todos aqui presentes defendemos a vida. Em uma sociedade tão tensa, parece que pensar diferente, significa uma desqualificação".

De forma semelhante, o procurador-geral da República Augusto Aras afirmou que a fé "também salva vidas" e que "o Estado é laico, mas as pessoas não são".

Brasil 247

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor