2

São Gonçalo do Amarante - CE - Terça-feira 22 de Junho de 2021 - Ano: XIII - Edição: 4.629

CPI do Genocídio vai investigar se presidente da Anvisa sofreu pressão de Bolsonaro para boicotar vacinas chinesa e russa

(Foto: Pedro França/Agência Senado)

Comissão, que ouvirá Antonio Barra Torres nesta terça-feira (11), poderá quebrar seu sigilo na investigação sobre boicote às vacinas chinesa e russa

11 de maio de 2021

A CPI da Covid poderá quebrar o sigilo telefônico e telemático do presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Antonio Barra Torres, para verificar se ele sofreu pressão de Jair Bolsonaro para atrasar a análise do registro de vacinas.

O diretor da agência, que é contra-almirante da Marinha, falará nesta terça-feira (11) na comissão e também será questionado sobre o assunto, informa a Folha de S.Paulo.

Torres é aliado próximo de Bolsonaro, por isso haverá perguntas se ele sofreu algum tipo de pressão para acelerar ou retardar a análise do registro de vacinas e se ele já deixou o posicionamento ideológico contaminar alguma decisão.

Alguns senadores disseram que o processo de registro da Coronavac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, estará entre os questionamentos feitos ao presidente da agência reguladora, pois a vacina foi alvo de diversos ataques de Bolsonaro.

Haverá questionamentos também sobre a vacina russa Sputnik V. Senadores acreditam que  a Anvisa está boicotando a aprovação do imunizante, que tem sido usado em diversos países.

Folha de S. Paulo

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor