2

São Gonçalo do Amarante - CE - Terça-feira 22 de Junho de 2021 - Ano: XIII - Edição: 4.629

Médico bolsonarista Victor Sorrentino é preso por assediar mulher no Egito

(Foto: Reprodução)

A informação foi confirmada pelo Ministério do Interior egípcio e publicada pelo site El-Shai.

30 de maio de 2021

O médico bolsonarista Victor Sorrentino foi preso neste domingo (30) por autoridades do Egito após publicar um vídeo no qual aparece assediando em português uma mulher muçulmana. A informação foi confirmada pelo Ministério do Interior egípcio e publicada pelo site El-Shai.

Nas imagens, gravadas durante sua viagem ao Egito, Sorrentino faz comentários sexistas em português à mulher que lhe vendia papiro, um material parecido com papel que era usado pelos antigos egípcios para escrever. "Vocês gostam mesmo é do bem duro, né? Comprido também fica legal, né?”, diz ele aos risos no vídeo.

A vendedora, sem entender, concorda e sorri, enquanto o médico e seu amigo dão risadas. O vídeo foi publicado por ele em seu perfil que soma quase 1 milhão de seguidores no Instagram.

Após críticas, o médico gaúcho tornou privado seu perfil e postou um novo vídeo, se desculpando. “Eu sou assim. Sou um cara muito brincalhão”, disse Sorrentino à mulher. Ele disse ainda que costuma fazer esse tipo de “brincadeira” com amigos e familiares, mas que não tinha o direito de fazer com uma desconhecida. “Como eu vi que tu é uma pessoa risonha e estava brincando junto com a gente, eu acabei brincando”, justificou.

O Ministério do Interior publicou um comunicado em sua página no Facebook informando a prisão do brasileiro. "O Ministério do Interior conseguiu prender um estrangeiro por assédio a uma menina depois de publicar um vídeo contendo o incidente de assédio nas redes sociais na Internet. Os serviços de segurança conseguiram identificar a vítima e o autor do incidente, e tomar as medidas judiciais contra ele e apresentar ao Ministério Público competente", disse o comunicado.

Victor Sorrentino ficou conhecido na pandemia por defender o chamado “tratamento precoce” para a covid-19, com o uso de medicamentos sem eficácia comprovada para a doença. Apoiador do presidente Jair Bolsonaro, ele disse em entrevista ao site Terça Livre, que os medicamentos "são conhecidos e não causam risco nem prejuízo”.

Agenda do Poder

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor