2

São Gonçalo do Amarante - CE - Quarta-feira 22 de Setembro de 2021 - Ano: XIII - Edição: 4.720

Bolsonaro que foi eleito com ajuda da Globo está decidido a barrar renovação da sua concessão

Jair Bolsonaro e a Globo. Foto: Reprodução/Conversa Afiada

14 de setembro de 2021

Bolsonaro tem como principal estratégia para manter a base atacar algum suposto adversário. O último alvo foi o Supremo Tribunal Federal, mas agora ele e sua equipe já estão prontos para enfrentar a Globo. Uma das formas de bater de frente com o canal é barrar a renovação da concessão da empresa.

O presidente perdeu a queda de braço com o STF e mirou suas armas na terceira via. Houve um forte esquema de combate aos protestos do último domingo (12). Com a pouca adesão de público, o governante deixará Doria, Amôedo, Ciro, MBL e outros de lado.

Agora o objetivo é atacar quem tem força: a Globo. O chefe do Executivo entende que a emissora é uma inimiga perfeita para inflar seus apoiadores. Inclusive, na última live, ele chegou a criticar William Bonner. E ainda comparou o canal com a Jovem Pan.

Em 2022, a emissora vai tentar renovar sua concessão do Rio de Janeiro. No passado, o presidente chegou a ameaçar não assinar a renovação. Só que todo esse processo passa pelas mãos do Congresso. Hoje, não há qualquer chance da Globo sair do ar. E, mesmo que Bolsonaro consiga convencer seus aliados a votarem contra a empresa, ela poderá usar o sinal outras afiliadas.

Bolsonaro x Globo

O presidente já atacou a Globo em diversas oportunidades. “Temos uma conversa em 2022. Eu tenho que estar morto até lá. Porque o processo de renovação da concessão não vai ser perseguição. Nem pra vocês nem pra TV nem rádio nenhuma. Mas o processo tem que estar enxuto, tem que estar legal. Não vai ter jeitinho pra vocês, nem pra ninguém”, afirmou o chefe do executivo em 2020.

Na época, o Jornal Nacional mostrou uma reportagem em que insinuava que o suposto assassino de Marielle Franco teria ligação com presidente. Ele se revoltou e ameaçou a emissora. Só que voltou atrás depois que foi comparado com Hugo Chaves.

A concessão da Globo termina em outubro do ano que vem.

DCM

Vamos nós: daqui para lá Bolsonaro muda de ideia 300 vezes e pede desculpa 150 vezes, basta o Temer interferir. É um desacreditado.

0 comments:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor