2

São Gonçalo do Amarante - CE - Terça-feira 19 de Outubro de 2021 - Ano: XIV - Edição: 4.749

Justiça do Rio de Janeiro quebra sigilo telefônico de 11 ex-assessores de Carlos Bolsonaro envolvidos com a ‘rachadinha’

​ O vereador Carlos Bolsonaro Foto: Reprodução

No esquema ‘propina delivery’ os fantasmas levavam dinheiro em espécie ao gabinete do parlamentar

24 se Setembro de 2021

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) autorizou a quebra de sigilo de 11 ex-funcionários de Carluxo. O mesmo juiz que autorizou o procedimento nos dados do filho do presidente tomou a decisão.

A motivação se dá por identificar “indícios rotundos de atividade criminosa em regime organizado”. Carlos Bolsonaro “é citado diretamente como o chefe da organização”, diz o documento, segundo a coluna de Juliana Dal Piva no UOL. O pedido partiu do MP-RJ (Ministério Público do Rio), que investiga rachadinha e contratação de funcionários fantasmas.

Agora, investigadores terão acesso aos dados armazenados nos celulares do grupo de assessores do vereador. Poderão identificar histórico de chamadas, dados cadastrais e outras conexões para rastrear os locais em que estiveram. O período abrange entre 2005 e 2019.

Os funcionários de Carluxo

Entre os 11 funcionários de Carluxo que tiveram o sigilo telefônico quebrado, estão sete parentes de Ana Cristina Valle. Ela foi chefe de gabinete de Carlos entre 2001 e 2008. Na lista estão irmãos, cunhada, ex-cunhado, primo e outros familiares da ex-mulher do presidente.

Também constam entre eles quatro pessoas dos núcleos das famílias Góes e Cruz Martins: Rodrigo de Carvalho Góes, Nadir Barbosa Gòes, Diva da Cruz Martins e Andrea Cristina da Cruz Martins.

UOL

0 comments:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor