2

São Gonçalo do Amarante - CE - sEGUNDA-FEIRA 29 de novembro de 2021 - Ano: XIV - Edição: 4.790

Próximo presidente do TSE, Alexandre de Moraes diz que 'se repetirem o que fizeram em 2018, chapa será cassada e as pessoas irão para a cadeia’

Ministro do STF Alexandre de Moraes, Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão (Foto: STF | ABR)

Ministro do TSE, em votação sobre a cassação de chapa Bolsonaro-Mourão, disse que “há sim gabinete do ódio” e afirmou que não será conivente com disparo de fake news por candidatos em 2022

28 de outubro de 2021

O ministro do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal Superior Eleitoral Alexandre de Moraes deu seu voto nesta quinta-feira (28) no julgamento sobre a cassação da chapa Bolsonaro-Mourão e disse que o 'gabinete do ódio existe sim'.

Apesar de ter seguido o voto do relator, que absolveu a chapa, Moraes, o sexto ministro a votar nos processos que alegam abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação em disparos em massa de mensagens com intuito de promover a campanha presidencial, prometeu que, em 2022, quando estiver à frente do TSE, não irá tolerar esse tipo de conduta.

"O lapso temporal pode ser impeditivo para uma condenação, mas não é impeditivo de absorção da Justiça Eleitoral do que deve ser combatido nas eleições de 2022", declarou.

É um recado muito claro: "se houver repetição do que ocorreu em 2018, o registro será cassado e as pessoas irão para a cadeia”, completou.

Para o ministro, embora as provas não estejam no processo, não se pode negar o que tem acontecido no Brasil. “Não podemos confundir a neutralidade da Justiça com tolice. Podemos absolver a chapa por falta de provas, mas nós sabemos o que ocorreu. Sabemos o que vem ocorrendo”, disse.

Brasil 247

0 comments:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor