2

São Gonçalo do Amarante - CE - Domingo 5 de Dezembro de 2021 - Ano: XIV - Edição: 4.796

Financial Times: "Bolsonaro se mostrou incapaz de administrar a economia e a pandemia, e o Brasil está pagando caro"

Jair Bolsonaro (Foto: PR | Reuters)

"A ameaça mais potente às esperanças de reeleição de Bolsonaro pode vir a ser econômica", diz editorial de um dos principais jornais econômicos do mundo

1 de novembro de 2021

Um dos principais jornais econômicos do mundo, o Financial Times publicou nesta segunda-feira (1) um editorial dedicado à crise política de Jair Bolsonaro.

O texto destaca a atuação da CPI da Covid, que "recomendou que os promotores o acusassem de nove crimes, incluindo crimes contra a humanidade, por lidar mal com a pandemia. Bolsonaro considerou a investigação do Congresso sobre coronavírus uma 'piada', mas o dano à sua reputação já foi feito. Seis meses de depoimentos sobre o manejo inadequado da pandemia por parte do governo, grande parte dela transmitida ao vivo, reduziram seu índice de aprovação".

O veículo também citou os mais de 100 pedidos de impeachment protocolados contra o chefe do governo federal na Câmara dos Deputados, mas pontuou que é pequena a chance de um processo de afastamento ser iniciado, já que Bolsonaro tem como aliados o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), e o procurador-geral da República, Augusto Aras. "O homem responsável por decidir se vai acusar Bolsonaro pelo manejo incorreto da pandemia é o procurador-geral Augusto Aras, nomeado pelo presidente. Outro aliado, o presidente da câmara baixa Arthur Lira, está convenientemente atendendo a todos os pedidos de impeachment."

"A ameaça mais potente às esperanças de reeleição de Bolsonaro", porém, diz o texto, "pode vir a ser econômica, ao invés de legal. Os mercados brasileiros despencaram na semana passada com o temor de que seus planos de distribuir novos subsídios mensais de US$ 70 aos eleitores mais pobres".

"Ao entrar no último ano de seu mandato, Bolsonaro se mostrou incapaz de administrar a economia ou a pandemia, e a maior nação da América Latina está pagando um preço alto", finaliza o editorial.

Brasil 247

0 comments:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor