2

São Gonçalo do Amarante - CE - Sexta-feira 25 de Junho de 2022 - Ano: XIV - Edição: 4.994

Gleisi Hoffmann detona Globo: "sempre foi negacionista do desenvolvimento"

(Foto: Reprodução | Jefferson Rudy/Agência Senado)

Presidenta do PT rebate editorial e diz que o projeto que Lula representa é claro: retomar o crescimento, gerar empregos e resgatar direitos dos trabalhadores

7 de janeiro de 2022

A presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann, rebateu o jornal O Globo, que em editorial nesta sexta-feira (7) atacou o ex-presidente Lula, acusando economistas ligados ao PT de defender um "terraplanismo fiscal" na economia.

Numa sequência de tweets, Gleisi respondeu dizendo que o jornal da família Marinho sempre foi "negacionista do desenvolvimento''. "Apoiou teto de gastos, privatização selvagem, destruição dos direitos dos trabalhadores, a extorsão do preço dos combustíveis", afirmou.

A presidenta do PT destacou também que a política de econômica implantada desde o golpe de 2016, que o Globo segue defendendo, resultou em atraso, desemprego, desigualdade, miséria e fome. "E querem dar lição de política econômica", criticou.

"Terraplanismo fiscal é manter um teto de gastos suicida, que só funcionou para cortar investimento em obras, saúde e educação, enquanto dívida, juros e inflação crescem no país em recessão", acrescentou a dirigente petista.

Gleisi Hoffmann disse ainda que o projeto de reconstrução do país que o PT defende e Lula representa é bem claro: retomar o crescimento, gerar empregos, resgatar as políticas públicas e os direitos dos trabalhadores e aposentados.

Por fim, a presidenta do PT voltou a defender a revogação dos retrocessos aprovados após o golpe de 2016. "Está na hora de revogar o que deu errado: Lei do Teto, a reforma que não gerou empregos, política de preços dos combustíveis. Deter a privatização selvagem e rever os contratos lesivos ao país. Só não vê quem não quer", afirmou a parlamentar.

Brasil 247

0 comments:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor