2

São Gonçalo do Amarante - CE - Sexta-feira 20 de Maio de 2022 - Ano: XIV - Edição: 4.961

Senador Randolfe Rodrigues vai à PGR contra Flávio Bolsonaro por interferência na Receita Federal para se livrar do caso das rachadinhas

Randolfe Rodrigues e Flávio Bolsonaro (Foto: Leopoldo Silva/Agência Senado | Jefferson Rudy/Agência Senado)

Randolfe Rodrigues pede que Flávio seja investigado por corrupção ativa ou tráfico de influência

23 de fevereiro de 2022

Após a revelação de que o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) teria acionado a Receita Federal para reavaliar as provas contra ele sobre o caso da suposta prática de rachadinha em seu gabinete enquanto deputado estadual do Rio de Janeiro, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) acionou a Procuradoria-Geral da República (PGR) para investigar se o colega parlamentar usou de interferência no órgão para invadir o caso e tentar invalidar as provas. As informações são do Congresso em Foco.

Randolfe Rodrigues pede que Flávio seja investigado por corrupção ativa ou tráfico de influência e que o ex-secretário da Receita José Barros Tostes seja alvo de inquérito por corrupção passiva ou prevaricação.

Dois auditores-fiscais e três analistas tributários foram deslocados pelo coordenador do Grupo Nacional de Investigação da Receita, Luciano Almeida Carinhanha, por ordem do secretário especial da Receita, José Barroso Tostes Neto, para atender a demanda do parlamentar. O custo da operação foi de R$ 500 mil.

A tese apresentada pela defesa de Flávio era de que servidores da Receita no Rio de Janeiro teriam vasculhado ilegalmente seus dados e de familiares e repassado as informações ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), órgão responsável pelo relatório de inteligência enviado ao Ministério Público do Rio que deu origem à investigação do escândalo das rachadinhas.

Congresso em Foco

0 comments:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor