2

São Gonçalo do Amarante - CE - Sábado 26 de Junho de 2022 - Ano: XIV - Edição: 4.995

“Bolsonaro sabe que vai ser preso” | CESAR CALEJON

 

César Calejon e Jair Bolsonaro (Foto: Reprodução | ABr)

“Ele está muito assustado. Esses ataques [contra o STF e Alexandre de Moraes] remetem ao medo, pois ele sabe que vai ser preso", afirmou o jornalista

21 de maio de 2022

O jornalista César Calejon apontou o que está por trás dos ataques de Jair contra o Supremo Tribunal Federal, em particular contra o ministro Alexandre de Moraes. 

Autor de livros como ‘Ascensão do Bolsonarismo no Brasil do Século XXI’ (Editora Kotter) e ‘Tempestade Perfeita: o bolsonarismo e a sindemia covid-19 no Brasil’ (Editora Contracorrente) e o mais recente intitulado "Sobre Perdas e Danos: negacionismo, lawfare e neofascismo no Brasil", Calejon foi categórico: “Esses ataques são um sinal muito claro de desespero”.

“Bolsonaro quer transmitir a impressão de que ele ainda tem capital político para atacar. E é o contrário. Estamos há quatro meses das eleições e ele está vendo que o teto que ele consegue alcançar foi atingido. Ele não vai passar de 35%. Está vendo o Lula na faixa dos 45% e, possivelmente, caso o Ciro desista e esse número cresça, o Lula consolida a vitória ainda em primeiro turno. O estado de coisas é altamente desfavorável”, apontou ele em entrevista ao programa Giro das Onze, da TV 247.

“Bolsonaro disse que ‘por Deus do céu eu jamais serei preso’. Ora, se isso não está no seu psiquismo, se não está preocupado, por que vai salientar isso para a nação inteira e jurando por Deus? Parece que ele está extremamente assustado. Está passando recibo que está assustado”, frisou.

O jornalista lembra que existe uma série de ações correndo em cortes internacionais que dão conta de responsabilizar o Bolsonaro, sobretudo, por aquilo que ele fez durante a pandemia. “Ele está muito assustado. Esses ataques remetem ao medo, pois ele sabe que vai ser preso. Ele sabe que vai ter que responder pelo menos na medida da lei por aquilo que ele fez”, enfatiza.

Calejon adverte, no entanto, que o ambiente é perigoso “porque ele ainda tem uma base popular, tem apoio de parte das Forças Armadas e, de fato, pode ser um movimento perigoso para a democracia”.

Brasil 247

0 comments:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor