2

São Gonçalo do Amarante - CE - Sábado 26 de Junho de 2022 - Ano: XIV - Edição: 4.995

Brasileiros rechaçam a agenda armamentista de Bolsonaro

Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)

A maioria dos brasileiros - 7 em cada 10 - é contra o armamento da população. Índice cresce entre pretos e pobres

1 de junho de 2022

Em levantamento realizado pelo Datafolha, a maioria dos brasileiros diz rejeitar a agenda armamentista de Jair Bolsonaro (PL). Os que são contra o armamento da população representam 72%, mas o índice sobe para 78% entre os que se autodeclaram pretos e para 75% entre quem tem renda de até dois salários mínimos.

Em relação à frase "é preciso facilitar o acesso de pessoas às armas", 78% da população preta discorda. No geral, a discordância é de 71%.

A pesquisa ouviu 2.556 pessoas de 181 municípios do país nos dias 25 e 26 de maio. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Diretora de pesquisa do Instituto Igarapé, Melina Risso, afirma à Folha de S. Paulo que "os resultados apontam que a população brasileira é contra a flexibilização no acesso a armas e não acredita que elas funcionem como instrumento de defesa nem de segurança, o que é consistente com achados anteriores. (...) A população brasileira não é pró-armas, apesar da intencionalidade da mais alta liderança do país, que faz as vezes de um garoto-propaganda de armas no Brasil".

Ela também destaca a maior discordância de pretos e pobres em relação ao armamento. "Os recortes de raça e de renda podem indicar, quanto maior a proximidade do problema da violência, mais as pessoas compreendem que a arma não traz segurança. Quem está sofrendo as consequências da violência na pele tende a refutar as armas como solução".

Brasil 247

0 comments:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor