Comunidades de São Gonçalo fortalecidas com programas e ações da CSP


Lucineide realizou cursos oferecidos pela CSP em conjunto com a
Prefeitura de São Gonçalo do Amarante e o Sebrae/CE (Fotos: CSP / Divulgação)

Atuação de responsabilidade social da Companhia Siderúrgica do Pecém levaram ações como Território Empreendedor e Ideia da Gente a comunidades onde a siderúrgica está instalada. Conheça histórias de pessoas com histórias transformadas por programas de desenvolvimento local

25/11/2018

Participar do programa Território Empreendedor significou para Lucineide Frota Rocha, 54, um divisor de águas. Foi fazendo os cursos oferecidos pelo projeto, realizado pela Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) em parceria com a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Ceará (Sebrae/CE), que a conselheira tutelar tomou conhecimento da iniciativa e se sentiu capaz de concorrer à licitação para contratação da empresa fornecedora do buffet servido nos eventos da CSP.

Até março de 2018, quando venceu o certame, ela produzia comida por encomenda apenas para amigos e conhecidos. Agora, sua empresa presta serviço para outras empresas e instituições, além de trabalhar com um buffet para todo tipo de evento em São Gonçalo do Amarante. O negócio tem crescido. Ela destaca ainda que todo o conhecimento adquirido nos cursos do Território Empreendedor desde 2016 consolidou-a como pequena empresária, dona de um negócio que emprega três pessoas e de uma renda que em apenas oito meses já chegou a duplicar. "Fiquei surpresa com o resultado", diz.

Diante do novo horizonte que se abriu, ela arregaçou as mangas, foi em busca do capital de giro e consegue atender cada vez melhor sua mais nova clientela. "Só tenho a agradecer ao Programa Território Empreendedor, pois as portas se abriram para mim e o meu negócio. Só estou onde estou por causa disso." Lucineide segue firme realizando todos os cursos que o programa disponibiliza. Marketing, vendas, planejamento, empreendedorismo, finanças, atendimento ao consumidor aplicados à gastronomia são temas que a pequena empresária utiliza agora em sua rotina profissional por causa da capacitação contínua.

Para expandir horizontes

Depois de concluir um conjunto de cursos voltados ao empreendedorismo do Território Empreendedor, Roselane Gomes Braga do Nascimento, 26, também sente os efeitos positivos da iniciativa. "Eu vejo que meu negócio está rendendo mais depois que comecei a entender melhor o que faço", conta a pequena empreendedora, que fabrica e vende artesanato em ponto de cruz, fuxico e laços na feira de São Gonçalo do Amarante. Ela participa da ação da CSP desde fevereiro de 2018 e de lá para cá se capacitou em marketing, atendimento ao cliente, relação com parceiros comerciais, entre outros segmentos.

A capacitação continuada já entrou na rotina diária de Roselane, o que também a incentivou a iniciar um curso superior em Recursos Humanos. Atualmente, ela está participando do Liderar, projeto da siderúrgica para a formação de lideranças empreendedoras, e já planeja utilizar o conhecimento adquirido para ser parte de uma rede de cooperação que busca contribuir com a circulação de dinheiro dentro da própria região. "Queremos nos unir em uma rede de empreendedores para comprar e fornecer dentro da nossa região, tendo a CSP como parceira”, conta Roselane, cujo marido, depois de passar meses desempregado, é encanador industrial de uma das empresas fornecedoras da companhia.
Cristiane Peres é gerente de Relações com Comunidade da siderúrgica

A gerente de Relações com Comunidade da CSP, Cristiane Peres, observa que a companhia, desde o início de sua concepção, sempre se comprometeu com o meio ambiente e com a comunidade vizinha. "Sabendo que vamos catalisar o desenvolvimento regional, a intenção da empresa é fazer isso de forma harmônica e sustentável”. Para tal, os esforços direcionados às ações são robustos e contínuos. Iniciativas que vão bem mais além da oferta de empregos diretos na usina. A ideia é que a companhia atue como uma indutora da capacidade econômica e social dos moradores da região. Desde 2012, já foram investidos mais de R$ 40 milhões em programas e projetos, atendendo a aproximadamente 28 mil pessoas.

O Território Empreendedor é uma das ações contínuas que a CSP realiza junto às comunidades da região onde está inserida. O investimento total nos dois ciclos da parceria CSP/Sebrae/Prefeitura de São Gonçalo do Amarante é de aproximadamente R$ 1,2 milhão, utilizados para o incentivo, a formação e a orientação de empreendedores. Iniciado em 2015, o Território Empreendedor foi remodelado em sua terceira fase para impactar positivamente um público-alvo mais amplo. Ao todo, cerca de mil pessoas já participaram dele, que beneficia negócios formais e informais, potenciais empreendedores, empreendedores rurais, entre outros públicos.

Desenvolvimento e diálogo

Cristiane destaca o Conselho Comunitário do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP) como um dos resultados diálogo que a empresa desenvolve com as comunidades. O conselho é um fórum com 40 lideranças comunitárias da região. Já o Diálogo Social, implantado em 2013, contribui para estreitar a relação da CSP com a comunidade vizinha. Segundo Cristiane, por meio do programa, são esclarecidas dúvidas dos moradores em relação ao funcionamento da companhia, além de buscar o fortalecido o senso de pertencimento por meio de reuniões comunitárias.

Todas estas ações contam com a participação dos "embaixadores do diálogo", empregados da CSP que moram na região e ajudam a levar informações para suas localidades. "Trabalhamos ainda com um grupo de empresas do CIPP em parceria com a Associação das Empresas do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Aecipp)", fala, referindo-se à entidade que reúne representantes de empresas do complexo para a realização de ações sociais no território.

Um dos resultados práticos desse diálogo constante é que três obras de infraestrutura já foram executadas em parceria com a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante, alinhadas com o interesse das comunidades. A mais recente obra entregue foi a Praça da Juventude, no Pecém, como parte do Programa de Melhoria de Infraestrutura Social, cujo investimento alcança R$ 9 milhões, incluindo uma creche-escola na comunidade de Acende Candeia e a Praça da Parada, na comunidade Parada.

Luís Romário foi beneficiado por projetos sociais da siderúrgica
 e atualmente é técnico de produção na CSP

O investimento na Praça da Juventude, área de três mil metros quadrados contendo equipamentos para esporte e lazer, chegou a R$ 2,249 milhões, beneficiando cinco mil moradores. Um deles é Luís Romário Sampaio Alves, 24, morador do Pecém e atualmente técnico de produção na CSP. Antes, Alves trabalhava no Porto como conferente de materiais e deixou o emprego para aumentar a renda atuando como almoxarife durante a construção da CSP. Findada a obra, não demorou para que fosse contratado.

"Hoje, tenho um emprego estável, com benefícios muito bons. Sem dúvidas, não tem nenhuma empresa aqui no Pecém tão engajada com a comunidade como a CSP", enfatiza o hoje estudante de Engenharia Civil. Sua esposa também sente os efeitos positivos da chegada da companhia, tendo em vista que o pequeno negócio da família, uma padaria, também tem sentido o efeito do desenvolvimento da região.

Ideias das comunidades

Além do Território Empreendedor, a companhia desenvolveu outros programas. Um deles, o Ideia da Gente, completou três ciclos totalizando R$ 3,4 milhões em investimento. Os recursos, que beneficiaram cerca de duas mil pessoas, foram destinados a apoio financeiro e capacitação continuada de moradores que inscreveram seus próprios projetos.

 CSP

0 comentários:

[ Deixe-nos seu Comentário ]