2

São Gonçalo do Amarante - CE - Terça-feira 28 de Setembro de 2021 - Ano: XIII - Edição: 4.726

Hortas orgânicas contribuem para o desenvolvimento sustentável em São Gonçalo do Amarante

Famílias de São Gonçalo do Amarante recebem alimentos que foram cultivados dentro dos colégios onde os filhos estudam

São Gonçalo do Amarante 6 de janeiro de 2021

O nome do projeto é Educação Sustentável e está acontecendo no município de São Gonçalo do Amarante, na Região Metropolitana de Fortaleza. Uma ideia, simples, prática, com foco voltado para educação ambiental e segurança alimentar. Os resultados foram vistos na colheita de hortaliças, legumes e verduras que celebrou a conclusão da primeira etapa do projeto desenvolvido pela Eneva, empresa brasileira integrada de geração de energia e exploração e produção de gás natural, com o apoio institucional da Secretaria de Educação e da Secretaria do Meio Ambiente de São Gonçalo do Amarante.

O projeto está beneficiando 45 famílias em situação vulnerabilidade social no município. Elas receberam alimentos que foram cultivados dentro dos colégios onde os filhos estudam utilizando técnicas de agricultura orgânica e ecológica. Alunos do Ensino Fundamental I e II que, com a ajuda de orientadores, plantaram e colheram tudo fresquinho e saboroso.

Elizabeth Teles, coordenadora de Responsabilidade Social da Eneva, diz que o projeto Educação Sustentável, que foi implantado em 23 escolas municipais de São Gonçalo do Amarante, tem como objetivo promover e estimular o debate sobre iniciativas socioambientais. O importante era engajar toda a comunidade escolar nessa primeira etapa do projeto que foi realizada com a distribuição de mudas de plantas nativas para professores, diretores das escolas, além de líderes comunitários, que também participaram de oficinas sobre como cultivar hortas orgânicas.

A próxima etapa inclui capacitações, ampliação para as comunidades e integração da horta com a alimentação escolar. “Depois da implantação da horta nas escolas e colheita dos alimentos, agora vamos iniciar a fase de oficina com professores e merendeiras. Em parceria com o Programa Cozinha Brasil, do SESI, vamos falar sobre segurança alimentar e falar sobre o aproveitamento dos alimentos nas refeições escolares”, revela Elizabeth Teles.

A ideia agora é dar continuidade às atividades neste mês dezembro para, a partir do próximo ano, realizar mais duas etapas da proposta. A terceira etapa do projeto vai ampliar as discussões sobre educação ambiental dentro da grade curricular das escolas. A quarta etapa prevê o envolvimento das famílias dos alunos e as comunidades. “No ambiente escolar, projetos como esse possuem uma grande importância visto que desde cedo as crianças aprendem a lidar com o desenvolvimento sustentável. Com isso, as crianças aprendem valores sociais, desenvolvem habilidades, competências e aprimoram seus conhecimentos”, completa a coordenadora de Responsabilidade Social da Eneva.

Hoje, o projeto Educação Sustentável tem obtido resultados satisfatórios em 95 comunidades nos estados do Ceará e Maranhão, através de hortas escolares, com atividades voltadas para qualidade ambiental, conservação do meio ambiente, reaproveitamento de alimentos, e agora, segurança alimentar.

EDP

0 comments:

[ Deixe-nos seu Comentário ]

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor