Terça

São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - Quinta-feira 5 de Março de 2015 - Ano: VII - Edição: 2.326 - Visitas: 6.840.433 - Postagens: 24.951 - Comentários: 9.481

Humberto Costa contesta Janot: ‘Aécio Neves aparece inocentado’


O arquivamento das investigações contra o principal líder da oposição, Aécio Neves (PSDB), pedido ao Supremo pelo procurador Geral da República, Rodrigo Janot, foi criticado nesta quinta-feria, 5, pelo líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE); para Costa, o arquivamento revela como os vazamentos dos investigados na Lava Jato estão sendo feitos de forma seletiva para prejudicar o PT; “Quando o nome do presidente do PSDB aparece, já aparece inocentado, com a informação de que o processo dele será arquivado, sem qualquer notícia de sobre o que o teriam acusado”; em delação premiada, o doleiro Alberto Youssef que Aécio teria recebido, por meio de uma de suas irmãs, valores desviados de Furnas Centrais Elétricas; para o PGR, informações foram insuficientes para se aprofundar uma investigação

5 DE MARÇO DE 2015

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), criticou nesta quinta-feira, 5, o pedido de arquivamento em favor do principal líder da oposição, senador Aécio Neves (PSDB-MG), feito pelo procurador geral da República, Rodrigo Janot, nas investigações de politicos supostamente beneficiados com o esquema de corrupção na Petrobras.

Para Costa, o arquivamento revela como os vazamentos dos investigados na Lava Jato estão sendo feitos de forma seletiva para prejudicar o PT. “Quando o nome do presidente do PSDB aparece, já aparece inocentado, com a informação de que o processo dele será arquivado, sem qualquer notícia de sobre o que o teriam acusado”, contesta o senador.

Reportagem do Estado de S. Paulo publicada nesta quinta-feira revela que Aécio Neves foi citado no depoimento em delação premiada do doleiro Alberto Youssef. Segundo o doleiro, por intermédio de uma de suas irmãs, Aécio teria recebido valores desviados de Furnas Centrais Elétricas. Os pagamentos seriam feitos por uma empresa chamada Bauruense, que recebeu mais de R$ 800 milhões em serviços terceirizados por Furnas. Youssef disse ainda que ele próprio recolhia propinas na Bauruense, a mando do ex-deputado federal José Janene, do Paraná

Apesar da informação, a Procuradoria alegou que as informações sobre o tucano, que é presidente de seu partido, foram insuficientes para a investigação.
Por isso, diz a publicação, Janot sugeriu ao ministro Teori Zavascki o arquivamento da denúncia.


Brasil 247
[ Leia completa ]

O que exatamente Youssef disse sobre Aécio Neves


No termo 20 de sua delação premiada, o doleiro Alberto Youssef afirmou que recolhia propinas na estatal Furnas, a mando do ex-deputado José Janene, do Paraná; no mesmo depoimento, disse que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) recebia recursos por meio da empresa Bauruense, que prestava serviços terceirizados para a estatal; esta empresa Bauruense recebeu mais de R$ 821 milhões de Furnas e já está sendo investigada pelo Supremo Tribunal Federal; procurador Rodrigo Janot considerou indícios insuficientes e mandou arquivar a denúncia contra Aécio; advogado de Youssef, Antonio Figueiredo Basto, também saiu em defesa do tucano; caso, no entanto, reacende a polêmica em torno da famosa lista de Furnas, denunciada por Roberto Jefferson, à época do chamado mensalão

5 DE MARÇO DE 2015

O teor da delação premiada do doleiro Alberto Youssef sobre o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que disputou a eleição presidencial de 2014, foi obtido pelo jornal Estado de S. Paulo. Segundo Youssef, por intermédio de uma de suas irmãs, Aécio teria recebido valores desviados de Furnas Centrais Elétricas. Os pagamentos seriam feitos por uma empresa chamada Bauruense, que recebeu mais de R$ 800 milhões em serviços terceirizados por Furnas. Youssef disse ainda que ele próprio recolhia propinas na Bauruense, a mando do ex-deputado federal José Janene, do Paraná.

Eis um trecho da reportagem do Estado de S. Paulo:

Em delação premiada à qual o Estado de S. Paulo teve acesso, o delator Roberto Yousseff afirmou que Aécio Neves teria recebido dinheiro fruto de propina de Furnas, estatal do setor elétrico, por meio “de sua irmã”, sem citar nomes ou detalhes. Aécio tem duas irmãs, Angela e Andrea – a última trabalhou no governo mineiro e na campanha eleitoral de 2014.

O termo de colaboração número 20, que registra confissão do doleiro feita no fim do ano passado, tem como “tema principal: Furnas e o recebimento de propina pelo Partido Progressista e pelo PSDB”. Além de Aécio, são citados o ex-deputado do PP José Janene, morto em 2009, e um executivo da empresa Bauruense.

O pedido de arquivamento é um dos sete feitos na terça-feira pelo procurador-geral. No mesmo dia, Janot solicitou ao Supremo autorização para investigar 54 pessoas em 28 inquéritos. Os pedidos estão sob relatoria do ministro Teori Zavascki.

Youssef relatou aos investigadores que recolheu dinheiro de propina na Bauruense, prestadora de serviços para Furnas, cerca de dez vezes. Em uma delas, foi informado que o repasse não seria feito integralmente – faltariam R$ 4 milhões porque “alguém do PSDB” havia coletado essa quantia antes.

Indagado pelos procuradores, Youssef declarou não ter informação de quem havia retirado parte da comissão, mas afirmou “ter conhecimento” de que o então deputado federal Aécio Neves teria influência sobre a diretoria de Furnas e que o mineiro estaria recebendo o recurso “através de sua irmã”, segundo o texto literal da delação. O delator disse “não saber como teria sido implementado o ‘comissionamento’ de Aécio Neves”.

Na delação, o doleiro descreve que “de 1994 a 2001 o PSDB era responsável pela diretoria de Furnas”. Youssef declarou que recebia o dinheiro destinado a Janene em Bauru (SP) e na capital paulista e o enviava a Londrina (PR) ou Brasília. No depoimento, ele afirmou que os diretores da Bauruense poderiam fornecer mais informações sobre Furnas e que a empresa já responde a inquérito no STF.

A Bauruense é uma empresa que está sob investigação porque concentrava nada menos que 80% dos serviços terceirizados por Furnas. Em 2006, uma reportagem da Folha de S. Paulo, apontou que teriam sido desviados mais de R$ 800 milhões, desde 2000. Confira aqui a reportagem, que cita ainda o ex-deputado Roberto Jefferson, autor da notória 'lista de Furnas'.

Ontem, tão logo foi divulgado o arquivamento do caso que envolve Aécio, o advogado de Youssef, Antonio Figueiredo Basto, se apressou em defendê-lo. "Youssef nunca falou espontaneamente do Senador Aécio Neves, em razão de que não o conhece e nunca teve com ele qualquer tipo de relação ou negócio. Quando questionado sobre fatos envolvendo o ex-deputado federal José Janene, Youssef esclareceu que nunca esteve com o senador Aécio Neves ou com sua irmã, e que somente 'ouviu dizer', que Aécio teria 'negócios' ou influências em Furnas, sem contudo indicar um fato concreto que justificasse tal suspeita", afirmou. "Portanto, não existe qualquer fato concreto ou prova que vincule o Senador Aécio Neves com meu cliente".

Ao comentar o arquivamento, Aécio afirmou que o recebeu como uma "homenagem" do procurador-geral Rodrigo Janot, que teria a "última palavra" sobre o caso.

[ Leia completa ]

Janot manda arquivar indício sobre Aécio. Imagine essa capa da Veja, a imparcial


4 de março de 2015 | Autor: Fernando Brito

Então ficamos sabendo, pela Folha, que o senador Aécio Neves foi citado por uma das empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato.

Diz o jornal que ainda, por força do sigilo dos processos, não é possível “entender qual teria sido a citação ao senador que ensejou o pedido” (de inquérito?) ,mas que “ao longo das investigações da Lava Jato, transpareceu que uma construtora citou Aécio, candidato derrotado à Presidência em outubro, como alvo de pressões por parte de empresários”.

Ninguém pode dizer, sem saber, se foi correta a decisão de pedir o arquivamento do indício surgido sobre Aécio, que não se sabe qual foi e sobre o qual ele, como qualquer pessoa, tem a presunção da inocência, embora isto ande em falta no Brasil.

Mas é curioso como esta “bomba” não vazou da “sigilosa” vara do Dr. Sérgio Moro.

Também imagino o empenho com que os delegados da Polícia Federal, os promotores e o Dr. Moro devem ter agido para aprofundar esta informação.

É capaz de ter prendido uns quantos e deixado mofar na cadeia até que confessassem as alegadas diabruras do senador.

Experimente imaginar o que aconteceria se houvesse menção a Dilma e Lula e o Dr. Janot mandasse arquivar, pelos mesmos motivos que está (ou estaria) arquivando a de Aécio.

Pizza! Corrupto! Dr. Janot é a vergonha do Brasil!

E acho que minha imaginação está sendo modesta, modestíssima.

Embora ela ainda me permita imaginar se a Veja, na semana das eleições, distribuiria pelas bancas uma edição com a capa acima.

Sei que o prezado leitor e a bem-humorada leitora têm certeza de que os “imparcialíssimos” editores do “florão da liberdade de imprensa” não deixariam de agir assim, não é?


[ Leia completa ]

Jean Wyllys quer providências sobre vídeo de 'exército' da Igreja Universal


Em passagem pelo Rio Grande do Sul, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) pediu providências do Ministério Público após a divulgação de um vídeo na internet pela Igreja Universal do Reino de Deus do Ceará; Jovens que fazem parte do projeto "Gladiadores do Altar" aparecem marchando, batem continência e gritam que estão prontos para a batalha durante um culto realizado em Fortaleza, uma conduta semelhante à dos militares; "O Ministério Público e as autoridades já deveriam ter se manifestado", disse; "Os soldados estão sendo treinados e formados para servir ao altar, e o propósito não está claro"

4 DE MARÇO DE 2015

Em passagem pelo Rio Grande do Sul, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) pediu providências do Ministério Público após a divulgação de um vídeo na internet pela Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) do Ceará. Jovens que fazem parte do projeto "Gladiadores do Altar" aparecem marchando, batem continência e gritam que estão prontos para a batalha durante um culto realizado em Fortaleza, uma conduta semelhante à dos militares.

Wyllys ressaltou o perigo da união de fanatismo religioso e organização militar. De acordo com o parlamentar, a Igreja Universal está montando uma espécie de "exército", o que deve ser combatido com urgência. "O Ministério Público e as autoridades já deveriam ter se manifestado", disse à Rádio Gaúcha.

O parlamentar comparou o ato da IURD com a Ação Integralista Brasileira (AIB), fundada por Plínio Salgado, e ao fundamentalismo islâmico, lembrando o histórico da igreja, principalmente em contrariedade às minorias sexuais.

"Os soldados estão sendo treinados e formados para servir ao altar, e o propósito não está claro", afirmou. Em referência ao ato, Wyllys disse, ainda, que "essas coisas não são tomadas como sérias, sempre fechamos os olhos para o fundamentalismo religioso, que já virou uma força política".

A Igreja Universal afirma em seu site que o projeto é de "orientação e formação de jovens vocacionados para a propagação da Fé Cristã, que funciona desde janeiro de 2015"; Segundo a entidade, a"disciplina que o projeto Gladiadores oferece aos seus membros é apenas aquela espiritual".

"Seus membros são voluntários da Força Jovem Universal, programa social que conta com milhões de jovens em todo o Brasil e em outros países e que desenvolve atividades culturais, sociais e esportivas para auxiliar no resgate e amparo de populações de rua, viciados, jovens carentes e em conflito com lei", informou o texto.

Na resposta, a IURD disse, ainda, que "a Força Jovem também promove campanhas de doação de sangue, de alimentos, roupas e livros para comunidades carentes e para clínicas de recuperação, realiza ações de conscientização e cidadania – como o incentivo ao jovem que obtenha o título de eleitor"; "Oferece cursos profissionalizantes gratuitos a pessoas carentes e as encaminha ao mercado de trabalho e apoia socorristas em situações de emergência e tragédias, com a entrega de água, alimentos e outros materiais necessários".

Ainda conforme o texto, "buscar uma motivação violenta ou condenável em jovens uniformizados que marcham e cantam unidos em igrejas é tão absurdo quanto enxergar orientação fascista em instituições como o "Exército da Salvação" e o Movimento Escoteiro, ambas organizações mundiais com base cristã e que, como a Universal, também se utilizam a analogia militar de forma positiva e pacífica".

Brasil 247

Veja o filme:

[ Leia completa ]

Eduardo Cunha e Renan Calheiros no olho da Operação Lava jato


O que o Palácio do Planalto mais queria era compartilhar a crise da Operação Lava Jato com o Congresso Nacional; isso foi conseguido depois que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, decidiu solicitar a abertura de inquéritos contra os presidentes das duas casas legislativas, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o senador Renan Calheiros (PMDB-AL); para a oposição, foi também um grande alívio saber que o senador Aécio Neves (PSDB-MG), embora citado pelo doleiro Alberto Youssef, só bateu na trave e teve seu caso arquivado; coincidência ou não, Janot deverá ser reconduzido ao comando da Procuradoria-Geral da República em junho deste ano e está bem na foto tanto para o governo como para a oposição

4 DE MARÇO DE 2015

A temida "lista de Janot" saiu ao gosto do Palácio do Planalto e da oposição. De um lado, o governo federal conseguiu uma trégua, ao compartilhar a crise da Operação Lava Jato com o Poder Legislativo. Agora, com a inclusão dos presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), no rol dos investigados, qualquer iniciativa antidemocrática, como um eventual pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, estará fadada ao fracasso. Afinal, com que autoridade moral o Congresso poderá levar adiante um processo de cassação?

Na oposição, a "lista de Janot" também foi recebida com alívio. Especialmente depois que se soube que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) bateu na trave. Embora citado pelo doleiro Alberto Youssef em um de seus depoimentos, o presidente nacional do PSDB teve seu caso arquivado. Com isso, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB) se sentiu livre para anunciar que os tucanos não pretendem aliviar com nenhum dos personagens citados.

No mar de intrigas de Brasília, há intrigas para todos os gostos. Uma delas, a de que Janot agiu em sintonia com o Palácio do Planalto. Outra, a de que a própria procuradoria-geral da República teria vazado a inclusão do nome de Aécio Neves, o que foi cogitado há uma semana pelo jornalista Ricardo Boechat, em comentário na Bandeirantes, para depois se tornar credora do senador mineiro com o arquivamento do caso.

Coincidência ou não, Janot poderá ser reconduzido ao cargo em junho deste ano, para um segundo mandato como procurador-geral da República. A tendência é que a presidente Dilma Rousseff indique seu nome, mas, num cargo que é também político, boas relações com a oposição também contam pontos.

Na sexta-feira, caso o ministro Teori Zavascki decrete o fim do sigilo dos inquéritos, o Brasil saberá quem está ou não na lista. Segundo informações levantadas por 247, outro parlamentar que teve seu caso arquivado, além de Aécio Neves, foi o do senador Humberto Costa (PT-PE). O que não significa que todos os petistas tenham sido protegidos. A ex-ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann (PT-PR), está na lista. Assim como outro ex-integrante do governo Dilma: o ex-ministro de Minas e Energia Édison Lobão.



[ Leia completa ]

Fortaleza vence o River, vitória dá novo ânimo a equipe

Com dois gols no final da partida, Fortaleza vence o River e assume a liderança do Grupo D da Copa do Nordeste


Quatro dias após ser dominado pelo maior rival, pelo Campeonato Cearense, e perder o clássico, o Fortaleza deu a volta por cima, mas na Copa do Nordeste, ao vencer o River, por 2x0, ontem à noite na Arena Castelão.

O triunfo, na reestreia do técnico Marcelo Chamusca, deu ao Leão a liderança provisória do Grupo D da competição.

A partida foi muito intensa, com forte marcação de ambos os lados. As melhores oportunidades para o Fortaleza foram na primeira etapa, com arremates perigosos de Lúcio Maranhão e Daniel Sobralense. Aos 21 minutos do primeiro tempo, o meia Samuel saiu lesionado. Everton entrou em seu posto e preencheu bem a função.

Os gols só foram sair no finalzinho do segundo tempo. Quando viu o River todo recuado, Chamusca retirou dois volantes, Auremir e Vinícius Hess, colocando Maranhão e Márcio Diogo. E deu certo. Aos 45, Corrêa cobrou falta na área e a bola sobrou para Daniel Sobralense, que desviou e fez 1x0. E aos 48, em passe de Maranhão, Lúcio Maranhão fez o segundo e confirmou a vitória.


[ Leia completa ]

Cinco cidades cearenses podem ganhar faculdade de medicina


Iguatu, Quixeramobim, Crateús, Itapipoca e Russas receberam autorização do Ministério da Educação para implantar cursos de medicina. O anúncio foi feito em sessão na Assembleia Legislativa, na manhã desta terça-feira (3)

4 DE MARÇO DE 2015 

Cinco municípios cearenses estão habilitados a receber cursos de medicina, conforme foi anunciado na manhã desta terça-feira (3), em sessão na Assembleia Legislativa do Ceará. Iguatu, Quixeramobim, Crateús, Itapipoca e Russas receberam a autorização do Ministério da Educação (MEC) para implantar as faculdades.

Para a deputada Miriam Sobreira (Pros), que tem base eleitoral em Iguatu, a luta para descentralizar a educação superior no Estado vem de muito tempo. "Começamos a cobrar ações nesse sentido quando Cid Gomes assumiu o governo do Estado. Ontem recebemos esta notícia. Se vai ser pública ou privada, vai depender das universidades e faculdades que tem lá se habilitarem para isso. Mas o importante é que vamos instalar esse curso", diz. Em todo o Brasil, 49 cidades receberam a chancela do Ministério da Educação, de acordo com Miriam. "Destes, cinco vieram para o Ceará. Mérito do ministro da educação, que deu prioridade ao nosso estado", complementou.

Em discurso, o deputado Ely Aguiar (PSDC) lamentou a ausência do município de Crato na lista do MEC e criticou a administração municipal. "O Crato foi o primeiro a aparecer como um possível município a receber a escola, mas acabou ficando de fora. Recebeu visitas de técnicos do MEC, mas não preparou a documentação por negligência, falta de zelo, de responsabilidade e compromisso com a população", declarou.

O município da região do Cariri, no entanto, ainda pode ter esperanças de receber uma faculdade de medicina. Em conversa com o Ceará 247 no início de fevereiro, o deputado federal e líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT), informou que o MEC já estuda a data para uma nova vistoria técnica. "Na "Na reunião, tive a confirmação que o processo para instalação da Faculdade de Medicina já foi retomado e, em breve, o ministério irá informar à prefeitura municipal e ao nosso gabinete a data da nova vistoria", anunciou.


[ Leia completa ]

Cid Gomes: câmara tem uns 400 deputados achacadores


Segundo o ministro da Educação, Cid Gomes, a Câmara dos Deputados, sob o comando do deputado Eduardo Cunha, "será um problema grave para o Brasil": "Tem lá uns 400 deputados, 300 deputados que quanto pior melhor para eles. Eles querem é que o governo esteja frágil porque é a forma de eles achacarem mais, tomarem mais, tirarem mais dele, aprovarem as emendas impositivas", disse o ministro, em visita à Universidade Federal do Pará

4 DE MARÇO DE 2015

O ministro da Educação, Cid Gomes, disse que a Câmara dos Deputados, sob o comando do deputado Eduardo Cunha, “será um problema grave para o Brasil.”

“Tem lá uns 400 deputados, 300 deputados que quanto pior melhor para eles. Eles querem é que o governo esteja frágil porque é a forma de eles achacarem mais, tomarem mais, tirarem mais dele, aprovarem as emendas impositivas”, disse o ministro, em visita à Universidade Federal do Pará.

Indagado se Eduardo Cunha elegera-se com o aval do governo, ele respondeu: “Não foi não, querido, não foi não. Tudo o que a força política mais realmente comprometida, mais identificada com esse esforço que ampliou a oferta de ensino superior no Brasil e que tem compromissos sociais, que reduziu a miséria ou extinguiu a miséria, todas essas pessoas estiveram contra a eleição de quem foi eleito lá.”



[ Leia completa ]

CHICO VIGILANTE | Por que FHC, Aécio, Aloísio e sua turma não conclamam o povo pela reforma política?

Chico Vigilante
4 DE MARÇO DE 2015

Os tucanos de alta plumagem não defendem a reforma porque se a lei for mudada, os grupos econômicos perderão vez no Congresso


A tucanalha entreguista, FHC, Aécio Neves, Aloísio Nunes e sua turma, se estivessem realmente preocupados com os destinos do país, no lugar de insuflar o golpe deveriam conclamar a sociedade para sair as ruas pela reforma política.

Mas só que não. Quanto mais indícios de envolvimento de seus nomes em falcatruas, mais intensificam sua missão diária de espalhar o ódio e pregar o impeachment contra Dilma.

Se pra isso for preciso que haja mais mortes nas ruas, como aconteceu em junho de 2013, eles não se importam. Não agem como estadistas, políticos experientes, cidadãos sensatos.

Querem ver o circo pegar fogo. Assim as atenções se voltam para os distúrbios de rua e as reais mudanças necessárias neste país, ficam pra depois, ou se depender deles, para nunca.

No final de semana FHC convocou a cúpula do partido, com certeza preocupado com as afirmações do jornalista Ricardo Boechat de que não endossava mas também não duvidava das denúncias de que o nome de Aécio Neves estaria na lista de políticos investigados na Lava Jato, analisada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

E o que disse FHC durante o encontro? fez uma intervenção pregando que o PSDB estimule as manifestações do dia 15 mas mantenha distância institucional do mote Fora Dilma. Ou seja, sabe que pregar o impeachment é golpe mas quer o povo na rua, lenha para o fogo maior. Aloysio Nunes garantiu que vai participar.

Ao comentar a respeito das denúncias envolvendo seu nome, Aécio usou mais uma vez, para variar, sua frase predileta: é mentira, é piada. Disse também que o Brasil está se transformando no país da mentira. Com certeza, com sua indispensável colaboração.

A expectativa é de que nesta semana Rodrigo Janot apresente a lista de políticos que apareceram nas investigações da Lava Jato, que apura a lavagem de cerca de R$ 10 bilhões envolvendo fraudes principalmente na Petrobras. Já veremos quem está mentindo ou elegendo nomes que “devem aparecer, ou não” de uma grande lista.

Outro grande escândalo que está deixando a elite e seus defensores sem dormir é o caso swissLeaks, ou suiçalão, como ficou conhecido, que mostra que a sonegação dos ricos é a maior corrupção global e o Brasil não fica de fora.

O ‘Swissleaks teve como fonte original um especialista em informática do HSBC, o franco-italiano Hervé Falciani, segundo o qual em declarações à imprensa francesa, entre os correntistas, estão 8.667 brasileiros, responsáveis por 6.606 contas que movimentam, entre 2006 e 2007, cerca de US$ 7 bilhões. Deste montante, grande parte pode ter sido ocultada do fisco brasileiro.

O número de brasileiros que utilizaram o mecanismo criminoso disponibilizado pelo HSBC foi divulgado divididos da seguinte forma: 10%, das contas estão vinculadas a empresas no exterior em paraísos fiscais (que é o método de esconder o dono do dinheiro); 20% das contas estão em nome de seus proprietários; e 70% são contas numeradas que é o tradicional artifício para ocultar seu proprietário.

Por que o suiçalão do HSBC apareceu pouco nos noticiários da mídia comercial ? por que não se interessam em explicar ao povo como acontecem as operações de sonegação fiscal ? por que não fazem matérias esclarecendo quais são os métodos usados para permitir que os impostos que deveriam pagar e ser usados em infraestrutura no Brasil, são escondidos em instituições vistas como legítimas fora do Brasil?

No site Megacidadania, o repórter Alexandre Teixeira revela como o ex-assessor de FHC, que integrava o programa de privatização da década de 90, Saul Dutra Sabba, dono do Banco Máxima, foi protegido pela mídia conservadora e teve seu nome retirado da primeira lista divulgada no país, sobre o escândalo do HSBC. Por que será?

O blog Diário do Centro do Mundo está desenvolvendo uma série de reportagens sobre o escândalo da sonegação/corrupção da Rede Globo e identificou o paraíso fiscal das Ilhas Virgens como sendo o local onde a Globo executou seus crimes. É exatamente nestes paraísos fiscais que estão centenas de contas de brasileiros, via mecanismos fraudulentos do HSBC.

E então vejamos, é notório o vínculo político existente entre a mídia empresarial e os tucanos. E o HSBC é sabidamente um grande financiador publicitário destas famílias que controlam a mídia brasileira. Portanto, não é difícil que algumas delas tenham utilizado os mesmos mecanismos de sonegação.

Concordo com o editor do Megacidadania que exige a divulgação integral da lista dos saqueadores camuflados pelo HSBC. Acredito ser de extrema valia para os destinos do país e altamente esclarecedor, além de um dever de consciência política de todos que dizem lutar contra a corrupção.

Eu disse e volto a repetir: no Brasil, finalmente, o combate à corrupção chegou aos corruptores e mostrou que o esquema estava na maioria das vezes relacionado ao sistema eleitoral. Daí a necessidade de uma reforma política urgente hoje no país.Sobre isso os golpistas não falam. Por que não conclamam a população para ir as ruas se manifestar a favor da reforma política?

Outro indício claro de que os tucanos e a imprensa comercial familiar jogam no campo dos inimigos do povo e são contra a reforma política de verdade é o silêncio em torno do comportamento de Gilmar Mendes.

No próximo mês de abril faz aniversário de um ano o engavetamento na mesa do ministro de uma ação que pede o fim de doações de empresas para candidatos, comitês eleitorais ou partidos políticos. O julgamento, iniciado no dia 2 de abril de 2014, foi suspenso quando contava com 6 votos a favor e um contra.

A Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI 4650), movida pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados no Brasil (OAB), pede mudanças nas Leis 9.096/1995 e 9.504/1997, que disciplinam o financiamento de partidos políticos e campanhas eleitorais. A entidade integra, juntamente com outras 102 organizações da sociedade civil, o projeto da coalização pela reforma política.

Até quando Gilmar vai impedir a discussão do tema pelo Supremo? Até quando todos se emudecerão a respeito ?

Os tucanos de alta plumagem do Brasil não defendem a reforma política porque se a lei eleitoral que hoje permite que grandes empresas financiem campanhas políticas for mudada, os interesses destes setores não terão representantes pagos dentro do Congresso Nacional e, portanto, as questões serão decididas de acordo com o interesse do povo e não de grupos econômicos.


E para se eleger eles terão que apresentar idéias criativas e consistentes, terão que defender os interesses do país e dos brasileiros e não comprar votos com campanhas milionárias; se eleger; e depois defender nas ruas golpes contra a democracia, como se isso fosse parte dela.
[ Leia completa ]

Lista de Janot com 54 nomes chega ao STF


A Procuradoria-Geral da República protocolou nesta terça (3), às 20h11, no Supremo Tribunal Federal, a lista com pedidos de abertura de inquérito a fim de investigar pessoas suspeitas de envolvimento no caso de corrupção da Petrobras, citados na Operação Lava Jato; constam, no total, 54 nomes de investigados e feitos 28 pedidos de abertura de inquérito; nem todos têm foro privilegiado; há sete pedidos de arquivamento; nomes não foram divulgados, mas já se sabe que Renan Calheiros e Eduardo Cunha foram citados; 247 noticiou, com exclusividade, que o governador Tião Viana, do Acre, está na lista; ministro Teori Zavascki decidirá sobre quebra de sigilo

4 DE MARÇO DE 2015  

Agência Brasil - A Procuradoria-Geral da República protocolou na noite de ontem (3), às 20h11, no Supremo Tribunal Federal (STF), a lista com pedidos de abertura de inquérito a fim de investigar pessoas suspeitas de envolvimento no caso de corrupção da Petrobras. Eles foram citados nos depoimentos da Operação Lava Jato.

Constam, no total, 54 nomes de investigados e feitos 28 pedidos de abertura de inquérito. Nem todos têm foro privilegiado. Além disso, foram feitos sete pedidos de arquivamento. Os nomes dos envolvidos não foram divulgados.

Em depoimentos de delação premiada, prestados no Ministério Público Federal e na Polícia Federal, o doleiro Alberto Youssef citou nomes de autoridades com foro privilegiado, como deputados federais e senadores, que, segundo o doleiro, receberam doações em dinheiro oriundo do esquema de corrupção.

Para ter validade, a delação premiada aguarda homologação do ministro Teori Zavascki, responsável pelos processos da Operação Lava Jato no Supremo.

As informações prestadas pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, por meio de delação premiada, também serão analisadas na formulação de denúncia dos envolvidos.


[ Leia completa ]

Polícia prende três assaltantes de bancos


Nilsinho

Os três homens fariam parte de uma quadrilha interestadual especializada em assaltos a bancos


04/03/2015 - Três homens apontados pela Polícia como especialistas em ataques a agências bancárias foram presos quando se articulavam para cometer mais um crime. Em poder do trio a Polícia apreendeu um fuzil 7.62, munição e quase um quilo de droga. Os suspeitos estavam sendo investigados há cerca de uma semana e foram presos durante uma operação realizada pelas equipes das Delegacias de Roubos e Furtos (DRF) e Defraudações e Falsificações.

Um dos fatores que chamou a atenção da Polícia foi a quantidade de registros de procedimentos policiais contra o trio. José Nilson da Silva, o 'Nilsinho', possui nove mandados de prisão em sete estados brasileiros como Ceará, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso, Paraná, Bahia e Espírito Santo. Além disso, José Nilson também é foragido de uma cadeia do Rio Grande do Norte e estava usando documento falso.

Camarão
Já Francisco Wilmário da Silva Queiroz, 33, conhecido como 'Camarão', responde na Justiça a 20 procedimentos policiais. São crimes de receptação, três procedimentos por roubo, três por dano qualificado e seis por homicídios, além de uma adulteração de sinal de veículo automotor, falsificação de documento público, associação criminosa e porte ilegal de arma de fogo. Segundo o titular da DRF, delegado Raphael Vilarinho, 'Camarão' possui envolvimento no assalto ao Banco do Brasil do município de Miraíma. O ataque ocorreu em março de 2011.

O terceiro homem preso na operação foi Francisco Pereira da Silva Júnior, conhecido como 'Júnior'. Ele responde na Justiça por cinco crimes de roubo e também é suspeito de participação a um ataque ao banco no município de Redenção.

Conforme Vilarinho, o grupo estava em uma residência em Maracanaú, na Grande Fortaleza, se articulando para um próximo assalto à unidade bancária. Segundo o titular da DRF, a munição e o armamento em poder dos suspeitos possue alto poder de fogo.

Além do fuzil de uso restrito das Forças Armadas, a Polícia também encontrou seis munições da arma, que tem um grande poder de destruição. O trio foi autuado por associação criminosa, porte ilegal de arma de fogo, tráfico e associação para o tráfico de drogas. Todo o material apreendido será encaminhado à Justiça. Já os suspeitos estavam na DRF, e em seguida, foram levados para a Delegacia de Capturas e Polinter (Decap).

Especializados

O delegado ressaltou que a maioria dos bandos especializados em crimes contra unidades bancárias é "patrocinada" por traficantes. O trabalho da Polícia tem se intensificado em prender, não apenas os articuladores das ações criminosas, mas também quem fornece o capital para a compra de armas de grosso calibre e explosivos. Neste ano, foram nove assaltos a instituições financeiras, sendo que em cinco desses crimes foram utilizados artefatos explosivos.

O delegado ressaltou que devido às últimas prisões, a maioria dos especialistas nesse tipo de ações está presa e os ataques deste ano não tiveram êxito.

Júnior
"São indivíduos de alta periculosidade e respondem a um rosário de crimes. O 'Nilsinho' só aqui no Estado do Ceará tem três mandados, os outros são integrantes da quadrilha dos 'Pipocas', que é um grupo criminoso investigado pela prática de ataques a carro-forte", explicou Vilarinho.

Alguns integrantes do bando dos "Pipocas" foram detidos no município de Russas, no dia 15 de janeiro, após atacar um comboio de carros-fortes. Na ação, a quadrilha trocou tiros com uma patrulha do Comando Tático Rural (Cotar) e fugiu para uma residência, onde fez reféns.

Após horas de negociação, os reféns foram liberados e cinco homens foram presos em posse de armas de guerra, como um fuzil AK-47, fuzis 556, espingardas, pistolas, 17 carregadores e 473 munições de diversos calibres, balaclavas e mais de 20 quilos de explosivos.

Jéssika Sisnando | Diário do Nordeste
[ Leia completa ]

Folha diz que PP, PSB e PSDB pegaram grana. Como é “requentar” notícia?


3 de março de 2015 | Autor: Fernando Brito

A manchete do site da Folha, nesta manhã, é “Desvio de refinaria em Pernambuco abasteceu três partidos, diz doleiro“, referindo-se, claro, ao “bandido profissional”, biperdoado pelo Dr. Sérgio Moro, Alberto Yousseff. Segundo ele,  integrantes do PP, PSDB e PSB, teriam recebido R$ 30 ou R$ 40 milhões (a matéria não está clara) por obras na Refinaria Abreu e Lima.

E porque isso está na manchete se faz meses que se sabe que Yousseff fez estas acusações a Eduardo Campos (PSB), a Ciro Nogueira, Eduardo da Fonte e José Janene (PP) e, que, mesmo com as desesperadas negativas do advogado tucano de Yousseff, a história sobre Sérgio Guerra veio à tona em outubro do ano passado?

Estranho, porque como o jornalismo virou, em nosso país, algo próximo de uma conspiração política, é raro vermos pontos sem nós.

Algo há nessa “novidade” ressurreta, no mínimo o de aliviar o impacto pela citação de tucanos e campistas no esquema de corrupção.

Que, vê-se pela amplitude de seus favores, que beneficiou políticos de todos os matizes e funcionários de todos os calibres.

Com a “vantagem” que a parte da oposição que vem à tona está convenientemente morta: Eduardo Campos, Sérgio Guerra e o “padrinho” de Paulo Roberto Costa, José Janene.

Tem batata nesta chaleira, diria o velho Brizola.


[ Leia completa ]

Dr. Janot, Vara de Justiça não é “pau de selfie”


3 de março de 2015 | Autor: Fernando Brito

Ontem, o senhor Rodrigo Janot deixou de lado sua habitual discrição e foi possar para fotos, – ridículas para qualquer um que não esteja dominado pelo espetáculo circense em que as coisas se transformam aqui – segurando um cartaz patético sobre ser a “esperança do Brasil”.

O que não é, segundo sei, papel do Ministério Público, a quem cabe ser o fiscal da lei e não o de “gerador de memes”para grupinhos militantes.

Imagine se a “manifestação” (20 pessoas, admitem os jornais) fosse de apoiadores do Governo.

O Dr. Janot seguraria um cartaz dizendo que ele era “esperança do Brasil”?

Aliás, isso fica bem (e olhe lá!)  em candidatos, não em procuradores da República.

Janot, quando muito, deveria ser a esperança de uma investigação isenta e profissional, atada aos fatos e não aos factóides.

Austeridade, Dr. Janot, é sempre boa companhia para autoridades públicas, até porque a vaidade também corrompe nossas almas,embora isso não se inscreva no Código Penal.

O senhor é um Procurador da República, representante de toda a sociedade nos tribunais, com prerrogativas e poderes bem definidos.

Um deles é não estar acima da lei e da isenção e impessoalidade que se impõe a qualquer servidor público.

A “pérola”  dita por ele do “eu me investigo” é das de se inscrever em qualquer bestialógico.
Como ninguém o acusa de nada, a não ser de ter dado uma “escorregada” no terreno da vaidade e do pouco decoro no episódio de ontem, é apenas mais um triste capítulo na auto-suficiência que passou a levar juízes e promotores ao paroxismo no Brasil.

O Dr. Janot não está participando de uma festinha promocional.


Nunca é demais lembrar e Vara Judicial não é “pau de selfie”.

[ Leia completa ]

Aprovação ao tucano Richa desaba e desnorteia PSDB


Pesquisa do Instituto Paraná Pesquisas, divulgada nesta terça-feira no jornal Gazeta do Povo, revela que nada menos que 76% dos paranaenses rejeitam o governo do tucano Beto Richa, que foi reeleito em outubro do ano passado; gestão vem sendo marcada por greves em todo o funcionalismo público, que se intensificaram depois que Richa tentou usar a previdência dos servidores para pagar salários; instituto dirigido por Murilo Hidalgo aponta, ainda, que se eleições fosse hoje, Richa não seria reeleito; situação caótica pesou na decisão de líderes do PSDB, que, na última sexta-feira, desembarcaram, ao menos oficialmente, da tese do impeachment da presidente Dilma Rousseff; texto de Esmael Morais

3 DE MARÇO DE 2015

Por Esmael Morais

A popularidade do governador Beto Richa (PSDB) virou pó. Apenas 20% dos paranaenses dizem aprovar a administração do tucano, diz levantamento da Paraná Pesquisas encomendado pelo jornal Gazeta do Povo.

De acordo com a sondagem, 76% desaprovam a gestão de Beto Richa. O péssimo desempenho do governador desnorteia o PSDB nacional, como demonstrou o senador mineiro e ex-presidenciável Aécio Neves no fim desta semana.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também entrou em campo, pois, acreditam os tucanos que a reprovação de Richa mine o movimento nacional pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT) no dia 15 de março.

Em novembro de 2011, o governador do PSDB era aprovado por 74% dos eleitores paranaenses.

Em dezembro de 2014, o governo Richa tinha 65% de aprovação.

Para Murilo Hidalgo, diretor-presidente da Paraná Pesquisas, a queda na popularidade do governador Beto Richa (PSDB) tem a ver com a interrupção dos serviços públicos pelas greves e os crescentes protestos que pedem o impeachment do tucano.

Em dezembro do ano passado, 46% os entrevistados do instituto achavam que o reeleito estava conduzindo a administração “melhor do que esperado”. Agora, segundo o levantamento, somente 3% repetiram a avaliação e 71% dos pesquisados disseram que o governo do tucano está caminhando pior do que a expectativa.

A Paraná Pesquisas afirmar que, se as eleições fossem hoje, Beto Richa não seria reeleito no primeiro turno.

Confirmado em outubro no primeiro turno com 57% dos votos, agora apenas 38% dos entrevistados disseram que manteriam a escolha.


[ Leia completa ]

HSBC patrocinou Jornal Nacional na época do Suiçalão



02/03/2015  O HSBC foi o patrocinador do Jornal Nacional da TV Globo desde meados de 2004. Este negócio entre o HSBC e a TV Globo durou até o meio de 2006, época em que ocorria o Suiçalão..

Neste período o HBSC Suíço captava dinheiro graúdo em vários países do mundo, inclusive no Brasil. Em muitos casos o dinheiro tinha origem na sonegação, corrupção e outras atividades criminosas.

A investigação “SwissLeaks” revelou que até 2007 haviam 8,667 clientes do HSBC Suíço ligados ao Brasil. Gerentes de relacionamento da unidade suíça do HSBC realizaram 39 visitas ao Brasil para fazer captação irregular junto a clientes brasileiros do banco, apenas entre 2004 e 2005, período do patrocínio ao telejornal da TV Globo.

Hoje, o Jornal Nacional tem blindado o antigo parceiro de negócios em seu noticiário.


[ Leia completa ]

Policial é morto durante assalto no bairro Maraponga nesta segunda-feira


Três homens anunciaram assalto em um cartório; houve tiroteio e o policial foi atingido


02/03/2015 - Um policial militar reformado foi morto durante um assalto, no bairro Maraponga, por volta das 17 horas desta segunda-feira, 2.

Selbiano Freire Barroso, estava em um cartório na rua Paurilo Barroso, quando três homens adentraram o local anunciando o assalto.

De acordo com o subtenente Josias Ferreira, que atendeu a ocorrência, o trio estava armado com revólveres calibres 38 e 22, e pistola ponto 40. Ao anunciarem o assalto, deram ordem para que as pessoas do estabelecimento deitassem no chão. Os criminosos pularam o balcão do cartório e levaram dinheiro.
Ainda segundo o subtenente, houve um tiroteio, mas não foi possível afirmar se o policial reagiu à ação dos bandidos. O subtenente não soube precisar a idade da vítima, nem com quantos tiros e onde foi atingida.

Selbiano morreu no local. A perícia foi acionada e a Polícia aguarda mais detalhes sobre a morte.

Uma mulher que também estava no cartório foi atingida com um tiro na perna e levada ao Instituto Doutor José Frota (IJF).

Os três criminosos foram encontrados momentos depois, no bairro Mondubim, por uma equipe do grupo Ronda de Ações Intensivas e Ostensivas (Raio), e encaminhados para o 30º Distrito Policial (DP).







[ Leia completa ]