2

São Gonçalo do Amarante - CE - Quarta-feira 27 de Janeiro de 2021 - Ano: XIII - Edição: 4.483

Irritado com a divulgação dos gastos de R$ 15 milhões com leite condensado. Bolsonaro manda imprensa para a PQP

(Foto: Reprodução)

Irritado com a divulgação dos gastos de R$ 15 milhões com leite condensado pelo governo em 2020, Jair Bolsonaro reagiu nesta quarta-feira (27) com xingamentos. "É para encher o rabo de vocês da imprensa essas latas de leite condensado", afirmou

27 de janeiro de 2021

Jair Bolsonaro se manifestou nesta quarta-feira (27) com uma chuva de ataques e xingamentos a jornalistas, após a divulgação dos gastos de R$ 15,6 milhões do governo com leite condensado em 2020.

Durante reunião com ministros e apoiadores do governo, Bolsonaro mencionou o assunto e demonstrou exasperação. "Vai pra puta que o pariu, rapaz. Imprensa de merda", disse ele aos gritos. "É para encher o rabo de vocês da imprensa essas latas de leite condensado", acrescentou Bolsonaro.

Nesta quarta-feira, deputados da oposição protocolaram pedidos de abertura da CPI do Leite Condensado, para investigar os gastos do governo com alimentação em 2020, que chegaram a R$ 1,8 bilhão.

Brasil 247

Assista:

 


[ Leia completa ]

Escaneamento de cargas cresce 30% e apreensão de drogas aumenta 114 %, em 2020 no Porto do Pecém em São Gonçalo do Amarante

Foto: Divulgação

Equipamento coíbe tráfico de drogas e sonegação fiscal. Trabalho é realizado em conjunto pelo Complexo do Pecém, Receita Federal e Polícia Federal

São Gonçalo do Amarante 27 de Janeiro de 2021

O Porto do Pecém, localizado em São Gonçalo do Amarante, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), intensificou o escaneamento de cargas, que cresceu 30% no ano de 2020. Uma das consequências foi o aumento da apreensão de drogas, na ordem de 114%, segundo dados da Receita Federal.

O número de cargas escaneadas cresceu de 42.037 (sendo 37.056 secas e 4.981 refrigeradas), em 2019, para 54.462 (44.802 secas e 9.660 refrigeradas), no ano passado, de acordo o Complexo do Pecém. Isso significa que, em 2020, o equipamento realizou uma média de 4.538 escaneamentos por mês ou 149 por dia. Mas o mesmo tem capacidade de realizar até 60 inspeções por hora.

"Nós temos esse escâner desde 2013. E temos como diretriz que 100% dos contêineres de importação e exportação são escaneados. Ano passado, como a gente cresceu 11% na movimentação de contêineres, a gente tem escaneado cada vez mais. Isso dá segurança tanto para o Porto do Pecém como para a Receita Federal", explica o presidente do Complexo do Pecém, Danilo Serpa.

O trabalho é feito em conjunto. O Porto dispõe do escâner e a Receita Federal é responsável por analisar as imagens e fiscalizar as cargas. "A Receita Federal pode, através dessas imagens do escâner, avaliar a carga, se tem alguma sonegação fiscal ou algum ilícito, como droga. Dá segurança à operação", completa Serpa. Se for verificado algum ilícito, a Polícia Federal (PF) realiza a apreensão e inicia a investigação.

Sobre as imagens obtidas pelo equipamento, o presidente do Complexo afirma que "o escâner pega tudo. O contêiner que vem com bateria, por exemplo, é para estar todo com a mesma imagem. Se tiver um cabo, uma ferramenta que ficou por engano na hora que foi embarcado, ele dá a diferença na imagem. Quem tem acesso exclusivo a essas imagens é a Receita Federal", explica.

Apreensões

As apreensões de drogas cresceram mais ainda, 114,6%, saltando de 330 kg de cocaína em 2019 para 708,4 kg do mesmo entorpecente, em 2020. As apreensões se deram em apenas três ocorrências, sendo duas no ano passado e uma no ano anterior.

A última localização de droga no Porto do Pecém ocorreu em 23 de novembro de 2020. A PF e a Receita Federal apreenderam um total de 361,6 kg de cocaína, distribuídos entre três contêineres, em um navio. A embarcação passou por Rio de Janeiro e São Paulo e tinha como destino a Europa. Ninguém foi preso.

Duas semanas antes, no dia 11, três funcionários de uma empresa que presta serviços terceirizados para o Porto do Pecém foram presos por participação no embarque de 346,8 kg de cocaína. Dois deles eram sócios da empresa.

Segundo as investigações da Polícia Federal, o trio capturado no dia 11 também está ligado à apreensão de 330 kg de cocaína, realizada no Porto do Pecém em 16 de agosto de 2019. A droga estava acondicionada em dez mochilas, escondida em um carregamento de mel, e seria transportada para a Bélgica.

O escâner presente no pátio do Porto do Pecém ainda é utilizado pelas polícias rodoviárias Federal (PRF) e Estadual (PRE), para visualizar a presença de ilícitos, dentro de veículos suspeitos, abordados nas rodovias cearenses.

"Em março de 2019, a PRF interceptou uma caminhonete na BR-222 e em seguida trouxe o veículo para ser escaneado no Porto do Pecém. Após o escaneamento foi verificada a presença de material entorpecente no tanque de combustível do veículo. Na época, o motorista foi preso em flagrante por tráfico de drogas e encaminhado à sede da Polícia Federal, em Fortaleza. Em abril e novembro do ano passado, a PRF escoltou outros dois veículos para o escaneamento conosco, mas nas duas ocorrências não foi detectada a presença de entorpecentes", lembra o gerente de Segurança Patrimonial do Complexo do Pecém, Nicolau dos Santos.

Diário do Nordeste

[ Leia completa ]

RIBAMAR FONSECA | Não dá mais! Ou Bolsonaro sai ou o país vira um grande cemitério

(Foto: Reprodução)

O jornalista Ribamar Fonseca defende o impeachment imediato de Jair Bolsonaro. "O Brasil é hoje um país à deriva, navegando em direção ao abismo com o coronavírus multiplicando vítimas em meio a uma vacinação incipiente e desacreditada pelo próprio governo", afirma

26 de janeiro de 2021

Jornalista e escritor

...

No próximo dia primeiro de fevereiro a Câmara dos Deputados elegerá o seu novo presidente, cuja atuação poderá ser decisiva para o futuro do país. Vários candidatos estão inscritos, mas apenas dois apresentam condições para a conquista do cargo, considerando o número de votos prometidos: Arthur Lyra, apoiado por Bolsonaro; e Baleia Rossi, apadrinhado do atual presidente Rodrigo Maia. Baleia conseguiu o apoio da esquerda, que acredita que ele é a única alternativa para impedir que o capitão assuma de uma vez o controle da Câmara com a eleição de Lyra. A julgar pelas declarações do candidato de Maia, no entanto, em várias entrevistas divulgadas recentemente, ele poderá se constituir uma grande decepção, simplesmente porque tende a imitar o comportamento do seu padrinho, que posa de oposição para enganar os tolos e faz tudo o que Bolsonaro quer, inclusive engavetando os mais de 60 pedidos de impeachment que recebeu. Maia não deve tê-lo escolhido como seu candidato por acaso.

Na verdade, os partidos de esquerda, em especial o PT, deveriam reavaliar sua posição, pois os sinais emitidos por Baleia em suas entrevistas não são nada animadores. Depois de afirmar, entre outras coisas, que não assumiu nenhum compromisso para abrir o processo de impeachment do capitão, ele disse, após a repercussão negativa, que se eleito irá analisar os pedidos com critério. Ou seja, vai continuar mantendo os pedidos na gaveta. Não parece difícil concluir que a eleição de Baleia não mudará o panorama na Câmara, o que significa que Bolsonaro será vitorioso qualquer que seja o eleito, permanecendo no Palácio do Planalto destruindo o que sobrou do país após dois anos de governo. Diante disso, a melhor opção seria a esquerda apoiar, por exemplo, Luiza Erundina, do Psol, um nome confiável. A possibilidade de um segundo turno daria tempo para novas negociações. O problema é que como o voto é secreto e o Congresso está recheado de traíras, o Presidente tem o argumento capaz de convencer os maus parlamentares mais preocupados com os seus próprios interesses: as emendas milionárias. Dinheiro para isso não falta, conforme já observado em outras ocasiões.

O fato é que Bolsonaro continua brincando de Presidente, indiferente aos mais de 200 mil brasileiros que o coronavirus matou e ao caos em Manaus, e se não o expulsarem do Planalto as perspectivas ficarão mais sombrias, especialmente depois das ameaças veladas de um regime de exceção.  Habituado a acenar com a força dos militares todas as vezes em que sofre duras críticas e se sente enfraquecido, aparentemente endossado pelo silêncio da tropa, recentemente ele chegou a insinuar que quem determina o regime são os militares e não a Constituição, o que evidencía, mais uma vez, os seus sonhos ditatoriais. Na verdade, ele está se sentindo órfão sem Trump, seu ídolo e guru, que perdeu a eleição e deixa o poder nos Estados Unidos de maneira melancólica, sem choro nem velas, motivo pelo qual poderá em desespero, diante do cerco em todos os setores de atividades – até os jornalões, que patrocinaram a sua eleição,  já pedem o seu impeachment – lançar-se em uma aventura de consequências imprevisíveis. Para completar, vem caindo nas pesquisas, ao mesmo tempo em que cresce o movimento nas ruas pelo seu afastamento.

Algo precisa ser feito e com urgência porque  o comportamento de Bolsonaro diante da pandemia é assustador. Enquanto todo mundo comemorou a aprovação das vacinas, que representam a esperança de contenção da pandemia no Brasil, o capitão recebeu a notícia com frieza, parecendo lamentar a atitude da Anvisa. E o general ministro da Saúde parece ter sido lançado por ele às feras, completamente perdido, desmentido pelos diretores da Anvisa quanto ao tratamento precoce da covid-19, desmoralizado pelo governador paulista que iniciou a vacinação antes do prazo anunciado por ele e acusado de ter sido informado da  ameaça de colapso no abastecimento de oxigênio para os hospitais do Amazonas  pelo menos dez dias antes da explosão da crise, sem que tivesse tomado qualquer providência para evitar o problema, que ocasionou a morte de muitos pacientes por asfixia.

Aparentemente os dias do general Pazuello à frente do Ministério da Saúde estão contados, porque Bolsonaro, que é o principal responsável pela situação sanitária do país, como de hábito, vai transferir para ele a culpa de tudo e exonerá-lo por incompetência na condução da pasta em momento tão angustiante. E o general, que já foi humilhado publicamente pelo capitão ao ser desautorizado na compra da vacina Coronavac, vai cair levando junto o prestígio do Exército, para onde deve retornar  porque é militar da ativa. Pelo menos ele não estará no governo quando Bolsonaro for defenestrado do Palácio do Planalto, pois diante dos últimos acontecimentos  cresceu o coro pelo seu afastamento, que só não aconteceu até agora porque o deputado Rodrigo Maia sentou sobre os 60 pedidos de impeachment. O atual presidente da Câmara, que tem representado uma farsa posando de oposição, certamente pretende deixar a decisão para o seu sucessor que, se for o deputado Baleia Rossi,  vai manter os pedidos na gaveta.

O fato é que ninguém mais consegue, dentro e fora do país, admitir a permanência de Bolsonaro no Palácio do Planalto. O Brasil é hoje um país à deriva, navegando ao sabor da correnteza em direção ao abismo, com o coronavírus multiplicando o seu número de vitimas em meio a uma vacinação incipiente e desacreditada pelo próprio governo. O ministro da Saude, um general sem nenhuma credencial para comandar a pasta, já não sabe mais nem o que fala, perdendo-se nas entrevistas. O homem parece cego perdido em meio a um tiroteio. E o Presidente, seu chefe, se esforça para manter distância dele, como se isso pudesse isentá-lo da responsabilidade na condução da política de saúde pública. Por sua vez, as instituições que poderiam imprimir um novo rumo à nação estão em recesso, de férias, assistindo aos acontecimentos como se não tivessem nada com o problema. Num país sério, em momento grave como este, deveriam estar funcionando, tomando as providências de sua alçada para preencher o vazio da inação do governo. E reagir às ameaças de Bolsonaro, que costuma acenar com a força militar todas as vezes em que  se sente ameaçado. É preciso que alguma coisa seja feita – e com urgência – porque além  da pandemia, com a suspensão do auxílio emergencial o Brasil voltou para o mapa da fome, de onde havia sido retirado pelo governo Lula. Impeachment, já!

Brasil 247

[ Leia completa ]

"O Brasil virou a república do leite condensado", diz Wadih Damous

(Foto: Ederson Casartelli/247 | REUTERS/Adriano Machado)

"Chicletes e leite condensado não configuram interesse público", afirma o político

27 de janeiro de 2021

"Viramos a república do leite condensado. É verdade que temos de distinguir as coisas. As compras foram para órgãos do governo e não para a despensa de Bolsonaro. Mas a quantidade de itens supérfluos é estarrecedora. Chicletes e leite condensado não configuram interesse público", postou o ex-deputado Wadih Damous, sobre as compras superfaturadas de chicletes e leite condensado feitas pelo governo Bolsonaro. Inscreva-se na TV 247 e saiba mais sobre o caso:

Sputnik – Após reportagem que denunciou que o total das despesas do governo federal brasileiro com alimentos soma mais de R$ 1,8 bilhão em 2020, o Tribunal de Contas da União (TCU) foi acionado por diversos parlamentares.

Brasil 247

[ Leia completa ]

Portal da Transparência sai do ar após divulgação de gastos com alimentação do governo Bolsonaro

(Foto: Reprodução)

Depois que vieram a público as despesas com alimentação do governo Bolsonaro em 2020, como R$ 15 milhões em leite condensado e R$ 2,2 milhões em chicletes, o Portal da Transparência do governo federal ficou inacessível

27 de janeiro de 2021

O Portal da Transparência do governo federal saiu do ar na noite desta terça-feira (26), um dia depois da divulgação dos gastos do Executivo em alimentação, que somaram R$ 1,8 bilhão em 2020.

Há despesas que geraram revolta nas redes sociais, como R$ 15,6 milhões em leite condensado ou R$ 2,2 milhões em chicletes. Em bombons, por exemplo, o governo gastou R$ 8,8 milhões, valor superior ao pago em arroz, de R$ 7,6 milhões. Em batata frita embalada, R$ 16 milhões; R$ 1,2 milhão em pizza e R$ 6,2 milhões em massa de pastel.

Especificamente sobre o leite condensado, foram 7200 latas por dia, que custaram R$ 162 cada uma. A empresa que forneceu o leite condensado fica no subsolo de um prédio comercial em Brasília.

Brasil 247

[ Leia completa ]

Padres e pastores se unem e protocolam pedido de impeachment de Jair Bolsonaro por sua desastrosa condução da pandemia

(Foto: Lula Marques)

Além de integrantes da Igreja Católica, assinaram o pedido líderes da Igreja Luterana, Anglicana, progressistas batistas, presbiterianos, metodistas e da Assembleia de Deus. Eles acusam Bolsonaro de crime de responsabilidade por sua desastrosa condução da pandemia da Covid-19

26 de janeiro de 2021

Mais de 380 líderes religiosos de diversas filiações protocolaram nesta terça-feira (26) um pedido de impeachment contra Jair Bolsonaro, que, segundo eles, cometeu crime de responsabilidade na condução da pandemia da Covid-19.

Entre os signatários estão líderes católicos, luteranos, anglicanos progressistas batistas, presbiterianos, metodistas e evangélicos da Assembleia de Deus, entre outros.

No texto, é ressaltado o "não acesso à vacina" e "desprezo pela vida dos cidadãos". As práticas criminosas de Bolsonaro, aponta, usurpam o direito à saúde previsto na Constituição Federal.

Brasil 247

[ Leia completa ]

Médico denuncia a prática de eutanásia em Manaus e acusa Bolsonaro de negligência (vídeo)

O médico Mário Vaiana, presidente do Sindicato dos Médicos do Amazonas, denunciou em um vídeo que viralizou nas redes social a prática de eutanásia em Manaus e culpou diretamente o governo federal pelas mortes

26 de janeiro de 2021

O médico Mário Vaiana, presidente do Sindicato dos Médicos do estado do Amazonas, denunciou em um vídeo que viralizou nas redes social a prática de eutanásia em Manaus, que enfrentra uma grave crise sanitária.

“Estão praticando eutanásia em Manaus! Se isso não for o fim do mundo, eu não sei mais o que é o fim do mundo”, disse.

Emocionado ele completou: “eu quero aqui implorar ao presidente Bolsonaro para que ele faça alguma coisa, não é mais possível ver o governo Bolsonaro aturar essa situação”.

Brasil 247


[ Leia completa ]

Inmet alerta para perigo de chuvas intensas e rajadas de ventos em 60 municípios do Ceará, incluindo São Gonçalo do Amarante

Foto: G1 Ceará

26/01/2021

Ao todo serão atingidos 60 cidades, segundo dados do Inmet — Foto: Reprodução

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alerta de risco de chuvas intensas, com rajadas de vento e risco de descargas elétricas para municípios localizados no Litoral-Oeste e regiões Norte e da Ibiapaba. Há probabilidade é de que as chuvas alcancem 60 cidades cearenses. (Veja a lista abaixo.)

De acordo com o Inmet, o grau de severidade das chuvas está classificado como sendo de “perigo potencial”, podendo causar danos estruturais às cidades atingidas.

Conforme o alerta, as chuvas devem ser registradas de 20 a 30 milímetros, ou até em 50 milímetros ao dia. Também há previsão de ventos intensos de 40 a 60 km/h. Há baixo risco de corte de energia elétrica, de queda de galhos de árvores, de alagamento e de descargas elétricas.

O Inmet orienta ainda que, em caso de rajadas de vento, as pessoas não devem se abrigar debaixo de árvores, pois há leve risco de queda e descargas elétricas. Também é recomendado não estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda, bem como evitar usar aparelhos eletrônicos ligados à tomada.

Veja a lista das cidades:

 

Acaraú

Alcântaras

Amontada

Apuiarés

Barroquinha

Bela Cruz

Camocim

Canindé

Cariré

Carnaubal

Chaval

Coreaú

Croatá

Cruz

Forquilha

Frecheirinha

General Sampaio

Granja

Graça

Groaíras

Guaraciaba Do Norte

Hidrolândia

Ibiapina

Ipu

Irauçuba

Itapagé

Itapipoca

Itarema

Jijoca De Jericoacoara

Marco

Martinópole

Massapê

Meruoca

Miraíma

Moraújo

Morrinhos

Mucambo

Pacujá

Paracuru

Paraipaba

Pentecoste

Pires Ferreira

Reriutaba

Santa Quitéria

Santana Do Acaraú

Senador Sá

Sobral

São Benedito

São Gonçalo Do Amarante

São Luís Do Curu

Tejuçuoca

Tianguá

Trairi

Tururu

Ubajara

Umirim

Uruburetama

Uruoca

Varjota

Viçosa Do Ceará

G1

[ Leia completa ]

Livro-bomba de Cunha reconhece golpe contra Dilma e detona Temer, PSDB, Maia e até Baleia Rossi

Foto: Reprodução

Protagonista do golpe de 2016, Eduardo Cunha reconhece o que todos sabem – que Dilma foi golpeada – e diz que o PT vive hoje "síndrome de Estocolmo" por se aliar a Baleia Rossi, deputado que é aliado de Michel Temer e Rodrigo Maia, dos principais articuladores deste processo

26 de janeiro de 2021

O aguardado livro "Tchau, querida", do ex-deputado Eduardo Cunha, confirma, para a História, o que todos os brasileiros com acesso à informação e honestidade intelectual já sabem: a ex-presidente Dilma Rousseff foi vítima de um golpe de estado, que destruiu a democracia e vem também destruindo a economia brasileira. Cunha, que foi aliado do ex-presidente Fernando Collor, diz que o PT teve papel importante no afastamento do primeiro presidente da Nova República e diz que "quem com golpe fere, com golpe será ferido".

No livro, ele revela o papel vil desempenhado por Michel Temer, que traiu a ex-presidente. "Temer foi sim o militante mais atuante e importante. Sem essa sua atuação não teria havido o impeachment. Não foi apenas o destino, ou simplesmente a previsão constitucional, que fizeram Michel Temer presidente da República. Ele simplesmente quis e disputou a presidência de forma indireta", escreve Cunha.

Sobre os articuladores do golpe, Cunha aponta o dedo para o PSDB, na figura do então líder Carlos Sampaio, e para Rodrigo Maia. "Foi no apartamento de Rodrigo Maia, em São Conrado no Rio de Janeiro, em 10 de outubro de 2015, em uma reunião articulada por ele, com o então líder do PSDB Carlos Sampaio e o então líder da minoria Bruno Araújo, que se decidiu a mudança, exigida por mim do pedido de impeachment, que tinha sido apresentado na Câmara", escreve.

Brasil 247

[ Leia completa ]

Bolsonaro ignora há 9 dias oferta de aviões de EUA e ONU para envio de oxigênio a Manaus

(Foto: Reprodução)

Com o sistema de saúde em colapso por conta da pandemia, o Ministério da Saúde e o governo do Amazona receberam ofertas de três aeronaves para transportar o oxigênio até o Amazonas. No entanto, resposta do que deveria ser dada pelo governo federal, segue sem resposta

25 de janeiro de 2021

O sistema de saúde de Manaus está em colapso desde o dia 14 de janeiro, com UTIs superlotadas, falta de vagas em hospitais e falta de oxigênio nas UTIs. Nos dias 16 e 18 de janeiro o Ministério da Saúde e o governo do Amazona receberam ofertas de três aeronaves, sendo duas da ONU (Organização Nações Unidas) e uma do governo dos Estados Unidos (EUA), para transportar de forma mais rápida oxigênio até o Amazonas. No entanto, resposta do que deveria ser dada pelo governo federal, segue sob análise até hoje.

De acordo com reportagem do UOL, que teve acesso a uma troca de emails entre a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas e a representante do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) no Brasil, Florence Bauer., em que os representantes do estado têm a confirmação de apoio logístico para o transporte de oxigênio com a Opas (Organização Pan-Americana da Saúde) por via aérea. Ambos os órgãos são ligados à ONU.

No email do dia 16 de janeiro, Bauer informa que dois cargueiros (Boeing 767 e Boeing 737) foram oferecidos ao Ministério da Saúde. "Espero que possa ser viabilizada rapidamente junto ao ministério", afirma a representante do Unicef na mensagem.

Brasil 247

[ Leia completa ]

Fausto Silva vai deixar TV Globo após 32 anos na emissora

 (Foto: Reprodução)

Entre Fausto Silva e a TV Globo já existe a decisão: ele vai continuar comandando o “Domingão” até o final deste ano e, no encerramento do seu atual contrato, deixar a emissora

25 de janeiro de 2021

O apresentador Fausto Silva vai continuar comandando o “Domingão do Faustão" até o final deste ano e, no encerramento do seu atual contrato, deixar a Rede Globo, informa o colunista Flávio Ricco, em sua coluna no portal R7.

A Globo já tem decidido que, a partir de 2022, a programação dos seus domingos será inteiramente diferente. O “Domingão”, dependendo dos estudos que ainda serão realizados, poderá continuar ou não.

Ao mesmo tempo, Ricardo Waddington, hoje diretor de Entretenimento, ofereceu ao Fausto um programa nas noites de quinta-feira, a partir de uma nova ideia que, juntos, pudessem desenvolver, considerando público, dia e horário diferentes, proposta que ele prefere não aceitar.

Brasil 247

[ Leia completa ]

Acidente grave com ônibus deixa 12 mortos e nove feridos na BR-376, em Guaratuba

25 de Janeiro de 2021

Ônibus saiu da pista e tombou na margem da rodovia na altura do km 668, no trecho conhecido como Curva da Santa, segundo a PRF.

Um acidente com um ônibus de turismo na BR-376, em Guaratuba, no litoral do Paraná, deixou 12 mortos e nove feridos na manhã desta segunda-feira (25), segundo o Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA).

A batida aconteceu na altura do km 668, no trecho conhecido como Curva da Santa, por volta das 8h30, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

De acordo com o BPMOA, as informações iniciais indicam que, além das 12 mortes, cinco pessoas estão em estado grave, e outros quatro passageiros tiveram ferimentos moderados.

O ônibus, com placa de Belém, no Pará, descia a Serra do Mar no sentido litoral do estado quando saiu da pista e tombou às margens da rodovia.

Segundo a PM, 57 passageiros e dois motoristas estavam no ônibus no momento do acidente.

De acordo com a Arteris Litoral Sul, que administra o trecho, a pista está bloqueada para atendimento do caso, e a fila de veículos é de dois quilômetros.

G1 PR

[ Leia completa ]

O impeachment de Jair Bolsonaro ganhou as ruas no fim de semana

 25 de janeiro de 2021

Cada um no seu quadrado, mas todos contra Bolsonaro. Foi assim o último finalmente semana. Esquerda e direita fizeram carreatas no sábado (23) e domingo (24) pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro. É o primeiro movimento de massa consistente desde o início da pandemia, em março de 2020.

Carreatas foram observadas em todas as capitais e nas maiores cidades brasileiras, com destaque para São Paulo, Rio, Brasília, Curitiba, Recife, Salvador, Cuiabá, Belém, Manaus, BH, Porto Alegre, dentre outras.

A esquerda disse que o protesto de sábado foi pela vida, saúde e emprego, pelo impeachment de Bolsonaro. A reivindicação da vacina e do auxílio emergencial são as principais alegações de partidos como PT, PCdoB, PDT, PSB, PSOL e Rede, bem como de sindicatos e movimentos populares.

Já a direita, organizada por entidades como MBL (Movimento Brasil Livre), focou no domingo a manifestação contra a conduta adotada pelo presidente frente à pandemia da Covid-19 e na falta de vacinas para imunizar a população.

Tal qual água e óleo, que não se misturam, direita e esquerda se separaram com um dia de diferença, no entanto, se aproximaram tacitamente pelo Fora Bolsonaro.

A busca de um consenso na sociedade pelo afastamento de Jair Bolsonaro assustou a burguesia financeira, que teme perder seus privilégios e ganhos com o fim do desgoverno.

Os 1% dos mais ricos, que faturam com a especulação durante na pandemia, a exemplo dos donos de bancos e dos barões da mídia, brigam pela manutenção do atual estado de coisas. O impeachment seria um “cavalo de pau” nas pretensões desses velhacos.

As ruas pediram neste fim de semana vacina já, auxílio emergencial e impeachment de Bolsonaro. Mas não ficaram por aí.

No próximo domingo, dia 31, nova carreata já está programada pela imunização de todos e pelo Fora Bolsonaro.

Resumo da ópera: o pesadelo de Bolsonaro e velhacos apenas começou no último fim de semana.

Blog do Esmael

[ Leia completa ]

São Gonçalo do Amarante se manteve em destaque: 52,6% do total exportado pelo Ceará em 2020

São Gonçalo do Amarante 25 de janeiro de 2021

O Centro Internacional de Negócios (CIN) da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (FIEC) divulgou, nesta quinta-feira, 22/01, edição anual do Ceará em Comex. O estudo de inteligência comercial é elaborado mensalmente e retrata o panorama do comércio exterior do Ceará.

O material apresenta análises das exportações e importações cearenses por estado, município, setor, produtos, país de destino/origem e modal. De acordo com a publicação, as exportações cearenses registraram o valor de US$ 1,853 bilhão no ano passado, o que corresponde a uma redução de 18,5%, se comparado a 2019.

As importações cearenses apresentaram um desempenho positivo no ano de 2020, registrando US$ 2,41 bilhões, o que corresponde a um crescimento de 2,4% se comparado com o ano anterior. Quando comparados os resultados de dezembro e do mês anterior do mesmo ano, houve um aumento de 3,4%. Ou seja, o valor das importações cearenses foi de US$ 209,2 milhões no mês de análise. Se comparado com o mês de dezembro do ano passado, o resultado apresenta um acréscimo de 22,4%.

A participação da pauta exportadora cearense na balança comercial do Nordeste é de 11,5% e no âmbito nacional se mantém em 0,88%. As importações cearenses representam nos âmbitos regional e nacional, 16,74% e 1,52%, respectivamente, quando analisado o ano de 2020.

Ainda segundo o estudo, os valores das exportações cearenses registraram o valor de US$ 1,853 bilhão no ano de 2020, o que corresponde a uma redução de 18,5%, se comparado com o ano anterior. O valor das exportações no mês de dezembro foi de US$ 137 milhões, o que representa uma queda de 11,9% em comparação ao mês de novembro do mesmo ano.

Em relação aos municípios, houve uma queda de 19% em relação às exportações. Apesar do resultado negativo, São Gonçalo do Amarante se manteve em destaque: 52,6% do total exportado pelo Ceará em 2020 saiu daquele município, o que resultou em US$ 972,7 milhões.

Para ler as análises na íntegra, clique AQUI e confira a edição anual do  Ceará em Comex.

Fiec

[ Leia completa ]

3M fecha fábrica e confirma a depressão econômica promovida por Jair Bolsonaro e Paulo Guedes

 25 de janeiro de 2021

A depressão econômica promovida pelo presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, fez mais uma vítima esta semana: a 3M do Brasil, que também cerrou as portas, duas semanas depois de a Ford anunciar que deixaria o País.

A falta de massa salarial, ocasionada pelo desemprego, leva à superprodução e ausência de compradores dos produtos. Esta é face mais visível da depressão econômica, que foi acelerada com a pandemia, mas ela já estava sendo em gestão pelo governo.

O quadro de depressão econômica não tem sem chance de recuperação nos marcos do bolsonarismo e do neoliberalismo, diga-se para o bem da verdade.

A 3M anunciou o encerramento das atividades de fábrica em São José do Rio Preto (SP), demitindo 120 funcionários e engrossando a lista das corporações que aos poucos deixam o País. O ex-ministro Nelson Barbosa lembra que desde 2016, quando houve o golpe, o governo federal optou pela extinção de vários programas de diversificação produtiva.

A Minnesota Manufatureira Mercantil (3M do Brasil) anunciou para o segundo trimestre de 2021 o encerramento das atividades da fábrica dedicada à produção de insumos para o segmento odontológico em São José do Rio Preto (SP). Com a medida, 120 funcionários serão demitidos.

O comunicado da 3M afirma que “a decisão é resultado de uma estratégia de negócios”, e que os trabalhadores dispensados “estão recebendo apoio da empresa, incluindo um pacote de indenização, benefícios e treinamento para recolocação no mercado”.

Sediada no estado de Minnesota (EUA), a 3M iniciou as operações no Brasil em Campinas (SP), em 1946. Hoje, a administração e também o maior parque fabril se localizam em Sumaré (SP), que agora concentrará a Divisão de Produtos Odontológicos. A empresa tem cerca de quatro mil funcionários no Brasil. Outras fábricas estão situadas em Ribeirão Preto, Itapetininga, Mairinque (SP), Manaus e Bom Princípio (RS).

Entre as maiores fabricantes mundiais de equipamentos de proteção individual (EPI) utilizados por profissionais da saúde, a 3M esteve no centro de uma das primeiras crises geradas pela maléfica atuação do desgoverno Bolsonaro no combate à pandemia do coronavírus, em abril passado.

Na ocasião, o então ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta negociou a compra de todas as máscaras produzidas no Brasil pela 3M, após Donald Trump ameaçar embargar a produção de equipamentos da empresa nos Estados Unidos e impedir a exportação.

Com essa decisão, a 3M se junta à lista de corporações transnacionais que desde 2019 encerram, em parte ou totalmente, suas atividades no país de Jair Bolsonaro e Paulo Guedes. Além da Nestlé e da Duratex, uma das primeiras a adotar a medida naquele ano foi a Ford do Brasil, que em outubro fechou as portas em São Bernardo do Campo (SP).

Blog do Esmael

[ Leia completa ]

The Guardian, maior jornal da Inglaterra, diz que Brasil vive "filme de terror" com Covid-19 e culpa pelo caos Jair Bolsonaro

(Foto: REUTERS/Adriano Machado)

De acordo com a publicação, grande parte da culpa pelo caos na capital amazonense "é dirigida ao governo do presidente Jair Bolsonaro, que banalizou a Covid-19", e ao "obediente ministro da saúde, Eduardo Pazuello - um general do exército sem experiência médica"

24 de janeiro de 2021

Maior jornal da Inglaterra, o The Guardian publicou neste domingo (24) reportagem avassaladora sobre o colapso no sistema de saúde de Manaus com a falta de cilindros de oxigênio para garantir a respiração de pacientes em UTIs no começo do mês. O jornal aponta a culpa de Jair Bolsonaro e do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, que pregam o suposto "tratamento precoce" contra a Covid-19, mesmo sem comprovação científica para a eficácia de medicamentos contra o coronavírus.

O The Guardian reuniu relatos de quem viveu de perto a crise da saúde na capital amazonense, como a fala de Francisnalva Mendes, chefe de saúde da cidade ribeirinha de Coari - “hoje foi um dos dias mais difíceis em todos os meus anos de serviço público. Você se sente tão impotente" - e a de um trabalhador anônimo - “o que estamos assistindo é um massacre completo, uma situação desesperadora, um filme de terror”.

Segundo a publicação, grande parte da culpa pelo ocorrido "é dirigida ao governo do presidente de extrema direita do Brasil, Jair Bolsonaro, que banalizou a Covid-19, mesmo quando o número de mortos em seu país disparou para o segundo maior da terra".

Brasil 247

[ Leia completa ]

Dilma Rousseff enquadra a 'urubóloga' Miriam Leitão: você e seus patrões foram cúmplices do golpe

(Foto: Ederson Casartelli/Brasil 247)

Neste domingo, a jornalista afirmou que o impeachment de Bolsonaro é necessário para que a retirada de Dilma do poder não pareça injusta. "O golpe de 2016, que levou ao meu impeachment, foi liderado por políticos sabidamente corruptos, defendido pela mídia e tolerado pelo Judiciário. Naquela época, muitos colunistas, como Miriam Leitão, escolheram o lado errado da história, e agora tentam se justificar", escreve a ex-presidente

24 de janeiro de 2021

Nota da ex-presidente Dilma Rousseff sobre o artigo de Miriam Leitão deste domingo - Miriam Leitão comete sincericidio tardio em sua coluna no Globo de hoje (24 de janeiro), ao admitir que o impeachment que me derrubou foi ilegal e, portanto, injusto, porque, segundo ela, motivado pela situação da economia brasileira e pela queda da minha popularidade. Sabidamente, crises econômicas e maus resultados em pesquisas de opinião não estão previstos na Constituição como justificativas legais para impeachment. Miriam Leitão sabe disso, mas finge ignorar. Sabia disso, na época, mas atuou como uma das principais porta vozes da defesa de um impeachment que, sem comprovação de crime de responsabilidade, foi um golpe de estado.

Agora, Miriam Leitão, aplicando uma lógica absurda, pois baseada em analogia sem fundamento legal e factual, diz que se Bolsonaro "permanecer intocado e com seu mandato até o fim, a história será reescrita naturalmente. O impeachment da presidente Dilma parecerá injusto e terá sido." O impeachment de Bolsonaro deveria ser, entre outros crimes, por genocídio, devido ao negacionismo diante da Covid-19, que levou brasileiros à morte até por falta de oxigênio hospitalar, e por descaso em providenciar vacinas.

O golpe de 2016, que levou ao meu impeachment, foi liderado por políticos sabidamente corruptos, defendido pela mídia e tolerado pelo Judiciário. Um golpe que usou como pretexto medidas fiscais rotineiras de governo idênticas às que meus antecessores haviam adotado e meus sucessores continuaram adotando. Naquela época, muitos colunistas, como Miriam Leitão, escolheram o lado errado da história, e agora tentam se justificar. Tarde demais: a história de 2016 já está escrita. A relação entre os dois processos não é análoga, mas de causa e efeito. Com o golpe de 2016, nasceu o ovo da serpente que resultou em Bolsonaro e na tragédia que o Brasil vive hoje, da qual foram cúmplices Miriam Leitão e seus patrões da Globo.

Brasil 247

[ Leia completa ]

Ministério da Saúde confirma que recebeu e ignorou pedido de agilidade da Pfizer para compra de vacinas

(Foto: Reuters)

A pasta alega que o baixo número de doses disponíveis para compra e cláusulas contratuais impediram a aquisição da vacina da Pfizer pelo governo federal

24 de janeiro de 2021

Quase dois dias após vir à tona uma carta do CEO da Pfizer, Abert Bourla, de 12 de setembro de 2020, endereçada a Jair Bolsonaro pedindo celeridade do governo do Brasil na aquisição de doses da vacina contra Covid-19 desenvolvida pelo laboratório, o Ministério da Saúde na noite deste sábado (23) confirmou a autenticidade do documento.

A pasta alegou que o baixo número de doses disponíveis para a compra e cláusulas do contrato estabelecidas pela Pfizer impediram o avanço das negociações. Vale ressaltar que o Brasil, atualmente, conta com uma lentidão no processo de vacinação. Até o momento foram disponibilizadas à população pouco mais de dez milhões de doses, o que é suficiente para imunizar aproximadamente cinco milhões de pessoas.

O ministério afirma ainda que a condição de armazenamento do imunizante da Pfizer - que deve ser guardado a uma temperatura de - 70º graus - também foi um obstáculo para a compra.

"Em nenhum momento, o Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde fechou as portas para a Pfizer. Em todas as tratativas, aguardamos um posicionamento diferente do laboratório, que contemple uma entrega viável e satisfatória, atendendo as estratégias do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, uma ação de valores mercadológicos e aplicação jurídica justa que atenda ambas as partes", alegou a pasta.

Brasil 247

[ Leia completa ]

Datafolha confirma queda abrupta da aprovação a Bolsonaro

23 de janeiro de 2021

Ainda que com números menos expressivos do que a pesquisa da Ideia/Exame revelada esta manhã, o Datafolha que acabou de ser divulgado confirma a queda abrupta na aprovação do governo de Jair Bolsonaro, caindo seu índice de “ótimo/bom”, de 37% para 31%, nas pesquisas realizadas, respectivamente, em dezembro e em janeiro. Já o “ruim/péssimo” disparou, em um mês, de 32% para 40%.

Como disse antes, a soma dos efeitos da pandemia expressa no caos no Amazonas, a confusão em torno da vacina e o fim do auxílio emergencial , misturados, formaram um coquetel tóxico para a popularidade do ex-capitão, em todas as regiões do país e em todas as classes sociais.

Mas o apoio a Bolsonaro, observe o gráfico, continua perto dos 30% da população, o que significa que o eleitorado de direita tradicional segue com ele e isso continua a interditar o surgimento viável de uma candidatura de “direita civilizada” e faz com que Moro, Doria, Huck, Maia e quem mais quiser ser este personagem terá dificuldade de crescer diante de uma candidatura à reeleição.

Um dado parece mais incrível, porém, que a manutenção do apoio do terço de votos que são a expressão da direita brasileira. É aterrador o que descreve a Folha, ao comentar a pesquisa:

[Os] empresários seguem sendo o grupo profissional mais fiel ao presidente. Entre quem se classifica assim, Bolsonaro tem 51% de aprovação, 35% de “sempre confia” e 58% de crença em sua capacidade [de governar bem o país].

É um retrato das razões do nosso atraso econômico. Temos um empresariado que liga menos para o crescimento do mercado que para pagar impostos, gosta mais de explorar seus trabalhadores do que ter uma mão de obra satisfeita, dignificada e capaz, que encara os negócios como esperteza, não como algo que deve ser seguro e sustentável.

O negócio, para eles, é mandar o povo tirar a máscara, gastar dinheiro e morrer feliz.

Tijolaço

[ Leia completa ]

Sábado dia de Fora Bolsonaro em todo o Brasil. Confira os locais das manifestações

(Foto: Diario Causa Operária)

A pandemia de covid-19 escancarou o desdém do atual governo pela vida. O presidente Jair Bolsonaro ignora os perigos do novo coronavírus sistematicamente, o que favoreceu a explosão de casos e mortes no Brasil

23 de janeiro de 2021

Da Rede Brasil Atual – Partidos políticos, movimento sindical, movimentos sociais, e as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo articulam ao menos 87 carreatas pelo país, neste sábado (23), para exigir o impeachment do presidente Jair Bolsonaro. As mobilizações serão organizadas nas cinco regiões do país (confira abaixo).

As primeiras manifestações do fim de semana de atos públicos pela destituição de Bolsonaro começaram hoje, na cidade de São Luís. Ao mesmo tempo, a #ImpeachmentSalvaVidas chegou a figurar entre os temas mais comentados do dia nas redes sociais.

Motivos não faltam

A pandemia de covid-19 escancarou o desdém do atual governo pela vida. O presidente Jair Bolsonaro ignora os perigos do novo coronavírus sistematicamente, o que favoreceu a explosão de casos e mortes no Brasil. Como resultado, mais de 210 mil vítimas e 8,5 milhões de infectados. É o segundo país com mais óbitos por covid no mundo.

Além de minimizar o impacto das mortes sobre as família e “receitar” remédios ineficazes contra a covid-19 que beneficiam apenas empresas de apoiadores, também adotou uma postura contra as vacinas. O presidente estimula o negacionismo, ao atacar a ciência e seguir difundindo mentiras sobre a covid-19. Hoje mesmo, por mais uma vez, o presidente chegou a questionar a eficácia já comprovada pela ciência das vacinas CoronaVac e AstraZeneca.

Aprovação de Bolsonaro despenca e até movimentos de direita aderem a impeachment

Neste cenário, aliado à incompetência na logística da distribuição de testes e vacinas pelo Ministério da Saúde, está a crise econômica, que se agrava a cada dia. Bolsonaro foi contra o auxílio emergencial, conquistado pela mobilização popular junto ao Congresso e que trouxe um respiro para as famílias mais carentes do país. Agora, o programa chega ao fim sem medidas compensatórias efetivas. Além disso, empresas anunciam o fim de suas atividades no país e o desemprego segue acima dos 14 milhões.

Confira a lista dos atos deste sábado pelo impeachment de Bolsonaro

NORTE

Rio Branco – Uninorte | 15h

Manaus – Concentração: Av. do Samba (Dom Pedro) | 14h30

Belém – Av. Doca de Souza Franco | 9h

Ananindeua (PA) – Ginásio Abacatão | 9h

Ji-Paraná (PA) – Concentração Praça dos Migrantes, Av. Monte Castelo | 9h

Porto Velho – Av. Farquar em frente a Estrada de Ferro | 9h

Palmas – Estação Apinajé | 15h

Macapá – Praça Nossa Senhora de Fátima, Bairro Santa Rita | 10h

Boa Vista – Praça Germano Sampaio (rota: Ataide Teive – Praça das Águas – Parque do Rio Branco, Centro Cívico (Garimpeiro) | 15h30

 

NORDESTE

Maceió – Papódromo | 15h

Itabuna (BA) – Centro de Cultura Adonias Filho | 9h

Salvador – Vale da Canela | 9h

Salvador – Do CAB até o Farol da Barra | 15h

Vitória da Conquista (BA) – Bosque da Paquera | 10h

Fortaleza – Rua Dragão do Mar, 81 | 15h

Maracanaú (CE) – Praça do Banco do Brasil | 15h

São Luís – Praça Maria Aragão | 15h

João Pessoa – Concentração na Praça da Independência| 14h ( finalizando no Largo da Gameleira)

Petrolina (PE) – Orla de Petrolina | 9h30

Recife – Em frente à fabrica Tacaruna / Classic Hall (Av. Agamenon Magalhães) | 9h

Teresina – Centro Administrativo | 8h

Mossoró (RN) – Largo Igreja São João | 8h

Aracaju – Orlinha do Bairro Industrial | 8h30

Natal – IFRN da Salgado Filho | 14h30

 

CENTRO-OESTE

Brasília – Estacionamento da Torre de TV, Funarte | 9h

Campo Grande – Cidade do Natal | 10h

Cuiabá – Concentração na UFMT, Guarita 1, Av. Fernando Correia | 9h

 

SUDESTE

Espírito Santo

Cariacica – Em frente ao Estádio Kleber Andrade | 15h

Vitória – Viaduto Aracelli, Jardim Camburi | 15h

Vila Velha – Parque da Prainha | 15h

Serra – Parque da Cidade,em Laranjeiras | 15h

Encontro das Carreatas – Praça do Papa

Destino final das Carreatas – Pça. do Pedágio

 

Minas Gerais

Alfenas – Posto Pinheirinho | 17h

Belo Horizonte – Atrás do Colégio Pio XII  – Barro Preto | 10h

Belo Horizonte – Mineirão | 16h

Contagem – Praça da Glória (em direçao ao Mineirão para encontro de carreatas) | 14h30

Belo Horizonte – Praça Afonso Arinos | 16h30

Januária –  Praça Tiradentes | 08h

Juíz de Fora – Faculdade Estácio de Sá | 16h

Montes Claros – Pça Beato Francisco Coll, Maracaná | 08h

Muriaé – Augusto de Abreu, próximo à mina do Joel Abreu | 9h30

Ouro Preto – Posto Shell (próx. saída para BH) | 15h

Pedro Leopoldo – Parque de Exposições | 9h

Poços de Caldas – Trevo do Parque Pinheiros | 14h

Uberlândia – Parque do Sabiá | 9h

Belo Horizonte – Praça Afonso Arinos | 16h30

Ipatinga – Parque Ipanema, em frente à casinha do Papai Noel | 15h

Uberaba – Estádio do Uberabão | 10h

 

Rio de Janeiro

Baixada Fluminense – Carrefour Belford Roxo | 9h

Rio de Janeiro – Monumento à Zumbi, av. Presidente Vargas | 10h

Rio das Ostras – Concentração da Carreata – Cemitério do Âncora | 9h

Rio das Ostras -Concentração Bicicletaço – Subida da Ponte (Costazul) | 10h

Teresópolis – Praça da Escola Sakura, Ermitage (rumo à feirinha) | 9h30

 

São Paulo

Baixada Santista – Sambódromo na Zona Noroeste de Santos | 14h

Boiçucanga – – No Costa Sul ( rumo à Barra do Sahy) | 16h

Campinas – Balão do Laranja | 11h30

Campinas – Largo do Pará | 11h

Caraguatatuba – Em frente ao Guaruçá (rumo ao Costa Norte) | 11h30

Carapicuíba – Parque dos Paturis | 8h30

Diadema – Av. Ulisses Guimarães, 3269 – percorrendo Sto André, SBC e Mauá | 9h

Jacareí – Concentração Parque da Cidade | 9h

Mogi das Cruzes – Concentração na Avenida Cívica | 9h

Osasco e Oeste Metropolitano – Parque dos Paturis | 8h30

Presidente Prudente – Rua Júlioo Tiezzi, em frente ao galpão da Lua | 9h30

São José dos Campos – Estádio Martins Pereira | 10h

Ribeirão Preto – Estádio do Botafogo | 10h

São Sebastião – Praça da Matriz (rumo ao Topo e depois Costa Norte) | 12h

Ubatuba – Av. Capitão Felipe, Itaguá | 11h

São Paulo – Assembleia Legislativa |14h

Valinhos – Av. Joaquim Alves Corrêa/Câmara Municipal | 10h

Santo André – Av. Firestone | 9h

Tupã – Rua Estados Unidos, altura da Lajes Tamoyo | 11h

 

SUL

Curitiba – Praça Nossa Senhora de Salete, Centro Cívico | 15h

Guarapuavá (PR) – Fórum de Guarapuavá | 15h30

Maringá (PR) – Antigo Aeroporto | 14h30

Umuarama (PR) – Lago Aratimbó | 10h

Londrina (PR) – Em frente à Prefeitura | 10h

Pinhais (PR) – Praça da Vila Maria Antonieta | 13h

União da Vitória (PR) – Praça Coronel Amazonas | 16h

Chapecó (SC) – Av. Getúlio Vargas (Atrás do Shopping) | 16h

Florianópolis – Koxixo’s Bar, Beira Mar Norte | 16h

Gravataí (RS) – Parque dos Anjos | 9h30

Novo Hamburgo (RS) – Pista de Eventos de NH | 9h30

Osório (RS) – Lagoa do Marcelino, próx. a pista de skate | 9h

Porto Alegre – Largo Zumbi | 16h

Rio Grande (RS) – Rua São Leopoldo esquina com a Av. Rio Grande | 11h 

Brasil 247
[ Leia completa ]