Terça

São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - Segunda-feira 30 de Março de 2015 - Ano: VII - Edição: 2.350 - Visitas: 7.005.921 - Postagens: 25.193 - Comentários: 9.537

Oportunidades de empregos em Caucaia 30/03/2015


Abastecedor de máquinas de linha de produção  20 vagas
Açougueiro  1 vaga
Ajudante de carga e descarga  2 vagas
Analista de logística de transporte (pessoa com deficiência) 1vaga
Assistente de vendas (pessoa com deficiência)  1 vaga
Atendente de farmácia   1 vaga
Auxiliar de linha de produção (pessoa com deficiência) 3 vagas
Bombeiro hidráulico  2 vagas
Costureiro de máquina overloque  5 vagas
Costureiro de máquinas industrial  5 vagas
Costureiro de máquina overloque  1vaga
Desossador  1 vaga
Encarregado de seção de controle de produção (pessoa com deficiência)  1 vaga
Farmacêutico  1 vaga
Fiscal de loja  2 vagas
Gari  5 vagas
Inspetor de qualidade  1 vaga
Jardineiro (pessoa com deficiência)  1 vaga
Motofretista  1 vaga
Motofretista (pessoa com deficiência)  1 vaga
Oficial de serviços gerais  1 vaga
Oficial de serviços gerais na manutenção de edificações  2 vagas
Oficial de serviços gerais (pessoa com deficiência)  3 vagas
Operador de trator de esteira  1 vaga
Padeiro  1 vaga
Professor de ensino pré-escolar  2 vagas
Promotor de vendas  2 vagas
Salva-vidas  1vaga
Supervisor de costura do vestuário  1 vaga
Técnico de manutenção e instalação de equipamentos de transmissão 3 vagas
Trabalhador rural  1 vaga
Vendedor pracista 7 vagas

Os interessados devem procurar a unidade do SINE/IDT de Caucaia
Rua Juaci Sampaio Ponte, 2076
(85) 3101.3378

As informações sobre as vagas não são dadas por telefone. Todas as informações estão sujeitas à alteração.

Mais empregos/concursos clique AQUI


[ Leia completa ]

PSDB e 'Vemprarua' abraçam o terrorismo econômico


Ao usar os acordos de leniência que vêm sendo negociados entre as empresas envolvidas na Lava Jato e a União como pretexto para pedir o impeachment da presidente Dilma Roussef, o movimento 'vemprarua', braço tucano de mobilização nas redes sociais, assume a linha defendida pelo ex-governador Alberto Goldman: quanto pior, melhor; o objetivo é quebrar as empreiteiras, provocar desemprego em massa e, assim, com a deterioração econômica, criar as condições para um golpe; estratégia foi explicitada nesta segunda-feira por Rogério Chequer, empresário que até recentemente vivia nos Estados Unidos e tem ligações com a Stratfor, empresa americana de inteligência chamada de "CIA privada"; sobre os acordos de leniência, é evidente que qualquer governo minimamente responsável, em qualquer país sério, tentaria preservar empresas que empregam centenas de milhares de pessoas

30 DE MARÇO DE 2015

O movimento 'vemprarua', instrumento de mobilização do PSDB nas redes sociais, assumiu sua nova linha de discurso. Nos protestos marcados para 12 de abril, irá pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff, em razão dos acordos de leniência que estão sendo negociados entre as empresas envolvidas na Lava Jato e a União.

“Não podemos ficar calados diante disso. O que parecia um plano iniciado no Executivo, interferido no Judiciário, invadindo a AGU, passado pelo TCU e aterrissado na Controladoria-Geral (CGU) começa a se deflagrar”, diz Rogério Chequer, líder do 'vemprarua', que se diz apartidário, mas é tucano da cabeça aos pés (saiba maisaqui).

Ao atacar os acordos de leniência, tanto o PSDB como o 'vemprarua', que são duas faces de uma mesma moeda, assumem a linha de ação defendida explicitamente pelo ex-governador paulista Alberto Goldman: a do quanto pior, melhor.

Em artigo publicado na Folha, Goldman escreveu que a deterioração econômica é uma das condições necessárias para se obter um eventual impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Nos últimos seis meses, o setor da construção já demitiu cerca de 250 mil pessoas no Brasil. Estaleiros, como o Rio Grande, no Sul do País, e o Enseada, na Bahia, estão praticamente fechando as portas. Caso os acordos de leniência sejam inviabilizados, como defendem o 'vemprarua' e o PSDB, o saldo de demissões poderá superar a cifra de 1 milhão de trabalhadores, provocando o colapso da infraestrutura no País.

É justamente por isso que a ação liderada pelos ministros Valdir Simão, da Controladoria-Geral da União, e Luis Inácio Adams, da Advocacia-Geral da União vem sendo tão bombardeada pela oposição, que, ainda que não assuma, deseja o caos econômico e o desemprego em massa. Apenas vozes isoladas, como o deputado José Carlos Aleluia (DEM/BA), tiveram o bom senso de lembrar que a engenharia é um patrimônio brasileiro e não deve ser destruído por razões políticas.

Aleluia sabe, afinal, que qualquer governo responsável, em qualquer país sério, agiria para preservar empresas que têm conhecimento acumulado e empregam centenas de milhares de pessoas.

Um exemplo claro disso é o que ocorreu, por exemplo, com as empresas Siemens e Alstom, acusadas de pagar propinas gigantescas ao redor do mundo, inclusive no Brasil (não é mesmo, 'vemprarua'?) e se compromoteram a adotar práticas anticorrupção.

O compromisso de Chequer, no entanto, não é com o Brasil. Até recentemente, ele vivia nos Estados Unidos e, aparentemente, era uma das fontes de informação da empresa americana de inteligência Stratfor, um braço privado da CIA (saiba mais aqui).


[ Leia completa ]

Horário de funcionamento dos bancos na Semana Santa de 2015



30/03/2015 - Não haverá atendimento bancário na próxima sexta-feira (03/04). Contas e carnês com vencimento para essa data podem ser pagos, sem multas ou encargos, na segunda-feira (06/04).

Durante o feriado, a população pode realizar operações bancárias através de canais alternativos, como caixas eletrônicos, Internet Banking, Mobile Banking e banco por telefone.

[ Leia completa ]

Jurista Dalmo Dallari: 15 de março não passou de uma ondinha


Jurista Dalmo Dallaria afirma que, "confrontada com a votação que, recentemente, deu o segundo mandato à Presidente Dilma, votação superior a 54 milhões de votos, a « maré humana » da passeata de 15 de março não passou de uma « ondinha » muito leve, espetaculosa mas insignificante como expressão da vontade politica do povo brasileiro"; quanto à pregação de golpe militar, em entrevista a Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, ele sugere ainda o "enquadramento dos autores dessa tolice antidemocrática, para processamento pela prática do crime. Nesse caso a identificação dos autores não deve ser dificil, pois muita gente filmou e fotografou a prática criminosa"

30 DE MARÇO DE 2015

Por Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania

Dando sequência à série de entrevistas que o Blog da Cidadania está fazendo com pensadores de alta relevância sobre o momento político preocupante por que passa o país, brindo os leitores desta página com a visão do eminente jurista Dalmo de Abreu Dallari, de quem a caudalosa obra é obrigatoriamente estudada em qualquer curso de Direito.

O professor Dallari se encontra em Paris, neste momento, mas não se furtou a analisar para o Blog temas como o protesto anti Dilma de 15 de março, os atentados a bomba ao PT, a proposta de impeachment de Dilma Rousseff, o comportamento do STF, o comportamento da grande imprensa, o comportamento do Ministério Público e muito mais.

Quero agradecer ao professor Dallari pela gentileza de, apesar de estar em Paris, ter respondido com tanta minúcia às questões que esta página formulou. Este blogueiro e seus leitores sentem-se honrados com a deferência de tão importante pensador brasileiro.

Confira, abaixo, a entrevista

Blog da Cidadania – Desde a campanha eleitoral do ano passado a imprensa alternativa e a tradicional citaram vários casos de pessoas que foram agredidas na rua por usarem roupas da cor vermelha, mesmo quando essas roupas (em geral, camisetas) não tinham relação com partidos políticos, sindicatos ou movimentos sociais. Como o senhor enxerga esse fenômeno? Quem protege essas pessoas agredidas? Como garantir o direito de manifestação política, e que punições podem ser aplicadas a quem agride física ou verbalmente quem faz – ou parece fazer – manifestação política silenciosa como é o uso de uma cor que lembre um grupo político ou uma ideologia?

Dalmo Dallari – A agressão praticada contra uma pessoa que participava de manifestação pacífica é crime contra a pessoa, previsto no Código Penal, no artigo 129. O fato de ter sido praticada a agressão durante manifestação politica não é agravante nem atenuante. Assim, também, a alegação de que o agredido usava camisa de uma cor determinada, que o agressor interpretou como expressão de uma opção política, não tem qualquer relevância. O que cabe é identificar o agressor e apresentar queixa na Delegacia de Policia da região, ou, então, apresentar queixa dando elementos que permitam à Polícia identificá-lo. Em circunstâncias como essa o agredido deve, imediatamente, pedir providências ao policial mais próximo, o que facilita a identificação do criminoso.

Blog da Cidadania – No último dia 15 de março, uma maré humana tomou a avenida Paulista e outras capitais brasileiras pedindo impeachment da presidente Dilma Rousseff. Tanto desta vez quanto nas anteriores que essas manifestações ocorreram, parcela expressiva dos manifestantes pregou golpe militar para atingir esse fim. As esperáveis manifestações de repúdio à ruptura institucional não apareceram na grande imprensa e a pregação explícita de violação da vontade das urnas não gerou nenhuma consequência para os pregadores. Existe algum mecanismo para punir esse tipo de pregação? A existência dessa pregação ameaça a democracia?

Dalmo Dallari – Antes de tudo, é importante assinalar que, confrontada com a votação que, recentemente, deu o segundo mandato à Presidente Dilma, votação superior a 54 milhões de votos, a « maré humana » da passeata de 15 de março não passou de uma « ondinha » muito leve, espetaculosa mas insignificante como expressão da vontade politica do povo brasileiro. Alguns cartazes e algumas faixas exibidos na ocasião deixam dúvida, apenas, quanto ao que realmente expressavam : ignorância, burrice ou vocação totalitária muito primária. Sobre os efeitos de um golpe militar a experiência recente do Brasil é muito expressiva. O que se viu e o que se sabe é que o golpe prejudicou seriamente a normalidade constitucional e foi instrumento de violências e de muitas praticas de corrupção. Quanto à pregação de golpe militar, que configura proposta de subversão da ordem constitucional, é crime previsto na Lei de Segurança Nacional, que, embora feita durante a ditadura, não foi revogada e o próprio Supremo Tribunal Federal já a considerou recepcionada pela nova ordem jurídica, naquilo em que não contraria as normas constitucionais. O que deve ser feito é o enquadramento dos autores dessa tolice antidemocrática, para processamento pela prática do crime. Nesse caso a identificação dos autores não deve ser dificil, pois muita gente filmou e fotografou a prática criminosa.

Blog da Cidadania – No dia 15 de março, a sede do PT na cidade de Jundiaí (SP) sofreu um atentado a bomba. Na mesma cidade, dois bonecos de pano, representando a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula, foram “enforcados” em um viaduto. No Dia 26 de março, novo atentado a bomba contra o partido, agora em São Paulo, na sede do diretório paulistano. Nesse cenário, como o senhor vê a saúde da democracia brasileira e que nível de ameaça ela pode estar sofrendo?

Dalmo Dallari – A prática de atentados contra instalações e símbolos políticos é crime, previsto na Lei de Segurança Nacional, que continua em vigor naquilo em que não contraria disposição da Constituição vigente. Essas práticas violentas são reveladoras de um lamentável primarismo político e de falta de preparo para a convivência civilizada, mas estão muito longe de representarem ameaça à ordem constitucional.

Blog da Cidadania – Muito tem-se falado sobre impeachment da presidente Dilma Rousseff. À luz das denúncias contra seu governo e do que se sabe sobre a conduta dela, o senhor considera que há elementos para se falar em derrubá-la? Se esse processo for levado à frente sob a argumentação de que o julgamento via Congresso é “político” e, portanto, “dispensa provas”, o senhor considera que esse caminho é constitucional? Se não for, que instrumentos existem para barrar uma iniciativa que, nessa situação, configurar-se-ia como golpista?

Dalmo Dallari – A proposta de impeachment de Dilma não passou de reação primária de derrotados, inconformados com a derrota. Como já tem sido amplamente demonstrado, nos termos expressos e claros da Constituição, em seu artigo 89, o impeachment só pode ser cogitado se o Presidente da República praticar ato que atente contra a Constituição. Deve existir um ato do Presidente enquanto Presidente. Assim, alegar corrupção na Petrobrás para justificar o impeachment é pura tolice e o que se pode afirmar, sem sombra de dúvida, que a conversa do impeachment não passou de fantasia política de inconformados, sem a mínima consistência jurídica.

Blog da Cidadania – O que o senhor considera que ocorreria com a democracia brasileira caso um governo recém-ungido pelas urnas fosse derrubado por fórmulas como a do “julgamento político que dispensa provas”? Poder-se-ia dizer que o Brasil estaria vivendo uma ruptura institucional e estaria sob um regime ilegítimo? O senhor considera que esse “julgamento político” seria um golpe de Estado? O senhor acha possível que esse “julgamento político” ocorra?

Dalmo Dallari – A experiência brasileira é muito eloquente: um golpe de Estado, destituindo um governo legitimamente eleito, por vias democráticas, seria uma agressão a todo o povo brasileiro, prejudicando direitos fundamentais de todo o povo e de cada cidadão. Mas a verdade sobre o que foi a ditadura está cada vez mais clara e por isso é pouquíssimo provável que ocorra uma tentativa de golpe. Entre outras coisas, o golpe de 1964 foi o resultado de uma aliança de militares fascistas com empresários gananciosos e primários, mas a prática demonstrou que também os mais ricos perdem com a ditadura.

Blog da Cidadania – O Supremo Tribunal Federal deu tratamentos opostos aos ditos mensalões tucano e petista. No caso envolvendo o PSDB, houve desmembramento da ação, com o STF enviando para a primeira instância o caso do ex-senador Eduardo Azeredo, apesar de ele ter renunciado com o fim de não ser julgado naquela instância; no caso do PT, José Dirceu, entre outros, foi julgado pelo STF mesmo sem foro privilegiado. Esse fato é compatível com o regime democrático?

Dalmo Dallari – Foi lamentável a decisão equivocada, claramente equivocada, do Supremo Tribunal Federal, de julgar acusados que não gozavam do foro privilegiado. Ele julgou sem ter competência jurídica para tanto. Esse equívoco, afrontando disposições constitucionais expressas, foi contrário ao regime democrático e foi um mau momento do Supremo Tribunal Federal, que tem por função precípua a guarda da Constituição. Continuo confiando no Supremo Tribunal Federal e esperando que ele dê exemplo do respeito à Constituição e acredito que hoje não se repetiria o equívoco.

Blog da Cidadania – Como o senhor avalia o comportamento da imprensa brasileira no âmbito da crise política?

Dalmo Dallari – É lamentável reconhecer isso, mas a grande imprensa brasileira, em relação a vários temas, deixa perceber que tem orientação influenciada por um direcionamento político. Assim, é mais do que evidente que existe verdadeira obsessão contra o Lula, o petismo e qualquer pessoa ou atividade que possa parecer ligada a isso, por simples coincidência de algumas posições. Mas é positivo o fato de que a imprensa, embora tendo dado mais espaço do que o razoável à fantasia do impeachment, não prega nem apoia um golpe de Estado e dá certa contribuição, podendo dar muito mais, ao aperfeiçoamento do regime democrático.

Blog da Cidadania – Como o senhor avalia o comportamento do Ministério Público no âmbito da crise política?

Dalmo Dallari – O Ministério Público foi extraordinariamente valorizado pela Constituição de 1988 e, essencialmente, tem estado à altura de suas responsabilidades, desempenhando com independência e firmeza suas atribuições, que muitas vezes envolvem o enfrentamento com personalidades que ocupam posições de prestigio na vida pública. Algumas vezes tem havido excesso de rigor e desbordamento das limitações constitucionais, havendo algumas situações excepcionais de omissão na proteção de direitos que lhe cumpre tutelar, mas o Ministério Público tem dado contribuição muito relevante para a busca de efetividade dos direitos consagrados na Constituição.

Blog da Cidadania – Como o senhor avalia o comportamento da Polícia Federal no âmbito da crise política?

Dalmo Dallari – A extrema diversidade de situações em que teve que agir ou resguardar direitos torna difícil uma avaliação genérica da Polícia Federal. Mas, numa síntese, ela tem cumprido bem seu papel constitucional e é merecedora do apoio e da confiança do povo brasileiro.

Blog da Cidadania – Como o senhor avalia o comportamento do STF no âmbito da crise política?

Dalmo Dallari – Numa avaliação do conjunto de seu desempenho, o Supremo Tribunal Federal tem atuado com independência, firmeza e competência, sendo hoje um dos verdadeiros pilares de sustentação da ordem jurídica democrática consagrada na Constituição de 1988. Ele pode e deve ser aperfeiçoado, para que, entre outras coisas, possa desempenhar com eficiência e rapidez suas importantes atribuições. Para tanto, venho sustentando a conveniência de que o Supremo Tribunal seja convertido em Tribunal Constitucional e se concentre em seu papel extremamente relevante de guarda da Constituição, deixando aos demais Tribunais superiores as decisões que hoje sobrecarregam a Corte Suprema.

Blog da Cidadania – Professor Dallari, a partir dessas respostas gostaria de aprofundar algumas delas em uma segunda entrevista, se possível presencial. Quando seria possível?

Dalmo Dallari – Eduardo, na próxima semana já estarei de volta a São Paulo e poderemos manter contato.

Blog da Cidadania – Professor Dallari, agradeço imensamente a atenção. Ligo para o senhor na semana assim que estiver no Brasil.


Blog da Cidadania
[ Leia completa ]

Advogados criticam tese de Sérgio Moro: 'inconstitucional'


A tese defendida pelo juiz Sergio Moro, de que réus condenados em primeira instância devem ser mantidos presos, foi questionada por diversos advogados; o principal motivo é o fato de derrubar uma cláusula pétrea da Constituição Federal, que é a presunção de inocência; "Moro prefere um inocente preso do que um culpado solto", diz Pierpaolo Bottini; Fábio Tofic Simantob vê garantias de todos em risco, diante do clima de caça às bruxas; "abuso", diz Luiz Flávio Gomes; "Moro só vê culpados", afirma José Luis de Oliveira Lima; "presunção de inocência é cláusula pétrea", diz Thiago Bottino; José Roberto Batochio, ex-presidente da OAB, classifica a iniciativa de Moro como "liberticida"

30 DE MARÇO DE 2015

O plano do juiz Sergio Moro, apresentado ontem em artigo conjunto com Antônio Bochenek, presidente da Associação de Juízes Federais (saiba mais aqui), recebeu o repúdio geral da advocacia. O motivo: é inconstitucional e fere uma cláusula pétrea da Constituição, que é a presunção de inocência.

A ideia de Moro consiste em manter presos réus condenados em primeira instância, independente dos recursos que possam ser apresentados em tribunais superiores. Hoje, réus que não representam risco para o convívio social têm o direito de responder em liberdade. Se a ideia de Moro e da Ajufe vingar, não mais.

"A Constituição Brasileira prevê que ninguém será considerado culpado até a condenação em trânsito em julgado", diz Thiago Bottino, professor de Direito da Fundação Getúlio Vargas. "É cláusula pétrea a presunção de inocência". Para Pierpaolo Bottini, professor da Universidade de São Paulo, Moro prefere "um inocente preso do que um culpado solto". Ou seja: elimina a presunção de inocência.

Para José Luis de Oliveira Lima, Moro só enxerga culpados e todos os presos da Lava Jato "já estão condenados", independente do que venham a apresentar em suas defesas. Mario de Oliveira Lima concorda e diz que a ação de Moro na Lava Jato "já está contaminada".

O jurista Luiz Flávio Gomes considera que Moro já comete abusos hoje, antes mesmo da legislação que propõe, uma vez que vários réus da Lava Jato já estão presos há mais de 120 dias, de forma preventiva, sem que tenha havido qualquer julgamento.

O advogado Fábio Tofic Simantob diz que Moro tenta aproveitar o clima de caça às bruxas, criado pela Lava Jato, para propor uma legislação que aumenta o poder dos juízes de primeira instância. "Estão aproveitando o clima do país para mexer em coisas que afetam a todos". Romualdo Sanches Calvo Filho, presidente da Academia Paulista de Direito Criminal, lembra que não há necessidade de nova legislação, uma vez que, com a atual, Moro já conseguiu manter alvos da Lava Jato presos há vários meses.


José Roberto Batochio, ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, usou uma única palavra para definir o plano apresentado por Moro e Bochenek: "liberticida".

[ Leia completa ]

A queda do Império da Globo: audiência da principal novela despenca



29/03/2015 - Ao que tudo indica, os três irmãos Marinhos, donos da TV Globo, entraram na mesma rota de Eike Batista na revista Forbes. De maior bilionário do Brasil, Eike perdeu praticamente tudo e saiu da lista de bilionários.

O carro chefe da TV Globo é a novela das 21:18 (antiga "novela das 8").

A atual "Babilônia" tem registrado audiência diária abaixo 25 pontos (isso no Ibope, imagine na hora em que o instituto rival Gfk começar a medir). É pelo menos 10 pontos abaixo do que a Globo tinha no horário (a novela anterior "Império" tinha entre 35 a 38 pontos).

Para piorar, a audiência não para de cair. Na sexta-feira, 27, às 21:22hs registrava só 18,9 pontos:

Globo: 18,9 pontos
Record: 13, 3 pontos
SBT: 11,8 pontos

Nunca antes a TV Record e o SBT estiveram tão perto da audiência da Globo neste horário.

E a queda da "novela das 8" faz a audiência de todo o horário nobre rolar ladeira abaixo, em um efeito cascata.

O Jornal Nacional, que vem antes, tem boa parte da audiência entre os telespectadores que estão sintonizados apenas esperando pela novela. Se não estão mais interessados em assistir a "novela das 8", também não assistem mais a chatice do Bonner falando que sua vida só vai piorar. O mesmo efeito ocorre com os programas que vem depois da novela.

Com menor audiência, o preço dos anúncios despencam. Se 10 em cada 35 consumidores não vêem mais o anúncio, nenhuma empresa vai continuar pagando a mesma coisa para anunciar.

Com isso a Globo entra no ciclo da decadência:

Passo 1) Menor audiência;
Passo 2) Preço dos anúncios despencam;
Passo 3) Faturamento cai;
Passo 4) Corta custos de produção para não fechar no vermelho;
Passo 5) Produção mais barata nivela com emissoras concorrentes;
Passo 6) Enquanto Globo perde audiência, concorrentes ganham;
Passo 7) Ao perder audiência os passos 1 ao 6 se repetem;
Passo 8) TVs rivais aumentam o faturamento;
Passo 9) Com mais faturamento, rivais melhoram programação;
Passo 9) Rivais com melhor programação conquistam mais audiência;
Passo 10) Ciclo de 1 ao 9 se repete até os Marinho ficarem ao lado de Eike.

De 2013 para 2014, a revista Forbes já registrou perda de US$ 3 bilhões na fortuna dos três irmãos Marinhos. Imagina de 2014 para 2015. A derrocada de Eike começou assim.


[ Leia completa ]

Nos pênaltis, Fortaleza perde para o Sport e é eliminado da Copa do Nordeste


Na Ilha do Retiro cheia, Tricolor perde por 1 a 0 no tempo normal e por 4 a 2 nas penalidades e dá adeus ao torneio regional das quartas de final


29/03/2015 - Um adeus com requintes de crueldade. A boa atuação na vitória magra no jogo de ida, que dava a vantagem do empate, não se repetiu longe de casa. Mas um fantasma reapareceu: a distância de 11 metros entre a marca da cal e a linha do gol. Derrotado por 1 a 0 no tempo normal, neste domingo (29), o Fortaleza teve que decidir a vaga com o Sport nos pênaltis - que Lúcio Maranhão desperdiçara no primeiro jogo. Nas penalidades, o Tricolor voltou a falhar, perdeu por 4 a 2, na Ilha do Retiro, em Recife, e caiu nas quartas de final da Copa do Nordeste.

> Veja a tabela da Copa do Nordeste

Com três volantes e apenas um atacante de ofício - o próprio Lúcio Maranhão -, o Leão do Pici assistiu à boa atuação da equipe mandante, que, empurrada pela torcida, dominou as ações da partida e foi superior. O gol só saiu na segunda etapa, com o atacante Samuel, mas outra chances foram desperdiçadas. Nos pênaltis, Cassiano e Corrêa desperdiçaram pelo lado tricolor, enquanto o Leão da Ilha converteu todos.

Fora do Nordestão, o Fortaleza muda o foco para a Copa do Brasil. A estreia na competição nacional será na próxima quarta-feira (1), diante do River-PI, às 19h30, no estádio Albertão, em Teresina. Além disso, o clube aguarda efeito suspensivo para contornar a exclusão do Campeonato Cearense e disputar a semifinal contra o Icasa.

O Sport, por sua vez, segue vivo no torneio regional - é o atual campeão. O adversário será o Bahia, que eliminou o Campinense. Os jogos estão marcados para os dias 8 e 12 de abril. Antes disso, o Rubro-Negro também joga pela Copa do Brasil, contra o Cene-MS, quarta, às 22h, fora de casa.

O jogo

Com a derrota por 1 a 0 no Castelão, no primeiro confronto, o Sport precisava vencer por dois gols de diferença para avançar no Nordestão. Por isso, entrou com escalação mais ofensiva e teve maior volume de jogo. O Rubro-Negro conseguiu encurralar o Tricolor no campo de defesa, e os visitantes não conseguiam encaixar os contra-ataques - um chute forte de Pio, aos quatro minutos, foi uma das raras chances.

Aos nove, Mike bateu cruzado de perna esquerda, de fora da área, mas Diego Souza chegou atrasado para concluir. Quatro minutos depois, Éwerton Páscoa subiu livre em cobrança de escanteio, e Deola defendeu. Aos 27, Wendel aproveitou bola mal cortada pela zaga tricolor, cabeceou por cima do Deola, mas Lima salvou quase na linha do gol. A blitz rubro-negra na primeira etapa se encerrou aos 45, quando Élber recebeu passe rasteiro na área e chutou para fora.

Para a segunda etapa, o técnico Eduardo Baptista deu mais objetividade ao Sport: sacou Mike e colocou Samuel. E o camisa 19 precisou de apenas seis minutos para aproveitar belo lançamento de Diego Souza e a saída errada de Deola para ganhar de cabeça e bater com o gol aberto para balançar as redes.

Dois minutos depois, o atacante arriscou novo chute, a bola desviou em Tinga e bateu no travessão tricolor.Após sofrer o gol, o treinador Marcelo Chamusca mexeu no Fortaleza para dar mais ofensividade: colocou o meia Daniel Sobralense e o atacante Cassiano. A equipe melhorou, mas não conseguiu chegar ao empate.

O drama tricolor aumentou quando o volante Vinícius Hess foi expulso após frear contra-ataque puxado por Élber, aos 40 minutos. Cinco minutos depois, Auremir deu carrinho duro em Renê, recebeu o cartão amarelo e também foi expulso. Nesse curto espaço de tempo, Diego Souza e Corrêa tiveram a oportunidade de marcar e definir a partida para cada lado, mas não conseguiram. E a definição ficou para as penalidades.

Os pênaltis


O Fortaleza iniciou as cobranças com Cassiano, que bateu forte por cima do gol e desperdiçou. Diego Souza converteu para o Sport. Corrêa foi o segundo a bater e parou em Magrão. Samuel deslocou Deola e ampliou. Depois, Lima e Éverton converteram para o Tricolor, enquanto Élber e Vítor marcaram para o Rubro-Negro e decretaram a classificação para a semifinal da Copa do Nordeste.

[ Leia completa ]

Madrugada sangrenta em Currais Novos, tiroteio entre policia e bandidos resulta em 7 mortos


29/03/2015 - Na madrugada deste domingo (29/03) ocorreu um confronto entre a DEICOR junto com o BOPE contra uma quadrilha especializada em explosão de caixas eletrônicos que vinha sendo investigada pela Policia, o tiroteio aconteceu na BR 226 na entrada de Currais Novos, os indivíduos eram 8 homens, 7 foram a óbito e o outro que sobreviveu é um taxista de Natal que conduzia um veiculo com os elementos, um outro veiculo, um Gol também levava assaltantes, os corpos foram levados para o Hospital Regional de Currais Novos onde é esperada a chegada do ITEP para a condução a Caicó. Foram apreendidos com a quadrilha 05 revólveres, 01 pistola, uma escopeta calibre 12 e muito material explosivo (usado para estourar caixas eletrônicos). A população esta assustada pela quantidade de tiros no local.

Um dos homens mortos foi identificado como Isaias. Ele já tem passagens pelo Presídio Alcaçuz. O documento que estava em seu poder, era falso.

A Delegada Danielle Filgueira, deve se pronunciar ainda neste domingo, ou na segunda-feira, sobre o assunto.


[ Leia completa ]

Reação conservadora a Babilônia é duro teste para a Globo


Jornalista Mauricio Stycer afirma que, enquanto a Globo experimenta o modelo de família estendida, na novela Babilônia, marcada pelo beijo gay entre Fernanda Montenegro e Nathália Timberg, os concorrentes SBT e Record reagem com "programas para a família"; "Desperta curiosidade ver como a Globo lidará com a pressão para atenuar o debate proposto em "Babilônia". Pesa contra a novela, neste início, um resultado no Ibope muito abaixo da expectativa. Grupos de discussão estão sendo feitos para ouvir a opinião dos espectadores. A bandeira de Teresa e Estela, desconfio, corre riscos. Espero estar enganado", diz ele

29 DE MARÇO DE 2015

O jornalista Mauricio Stycer, que faz crítica de mídia para a Folha, destaca, neste domingo, a polêmica que cerca a novela Babilônia, marcada pelo beijo gay entre Fernanda Montenegro e Nathália Timberg no primeiro capítulo.

No artigo Muito mais que um beijo, ele destaca a reação conservadora e o oportunismo dos concorrentes. "Com notável senso de oportunidade, e boa dose de hipocrisia, o SBT anunciou que no mesmo horário está exibindo 'Carrossel', uma 'novela pra família'. Em 2011, a emissora colocou no ar o primeiro beijo entre duas mulheres em uma novela brasileira", lembra Stycer.

"A Record, que acaba de lançar 'Os Dez Mandamentos', não confrontou a Globo formalmente, mas dois de seus principais apresentadores, Marcelo Rezende e Geraldo Luís, também estão explorando o mote de que a novela bíblica é 'para a família'", completa.
O colunista tem dúvidas sobre qual será a reação dos Marinho. "Desperta curiosidade ver como a Globo lidará com a pressão para atenuar o debate proposto em 'Babilônia'. Pesa contra a novela, neste início, um resultado no Ibope muito abaixo da expectativa. Grupos de discussão estão sendo feitos para ouvir a opinião dos espectadores. A bandeira de Teresa e Estela, desconfio, corre riscos. Espero estar enganado."



[ Leia completa ]

Ceará bate Salgueiro e garante vaga na semifinal da Copa do Nordeste


Com gols de Magno Alves e William, Vovô vence por 2 a 1 no Castelão, avança no Nordestão e aguarda América-RN ou Vitória


28/03/2015 - Principal jogador do Ceará, o experienteMagno Alves carregava o incômodo jejum de cinco jogos sem marcar. Principal contratação para a temporada, William convive com a reserva em Porangabuçu e vê outros times se interessarem, como o Avaí. Neste sábado (27), porém, os atacantes não tiveram o que lamentar: mostraram faro de gol e garantiram a vitória do Ceará por 2 a 1 sobre o Salgueiro, no Castelão, pelo jogo de volta das quartas de final da Copa do Nordeste.

Superior, o Vovô deixou de lado a vantagem conquistada fora de casa, com o triunfo por 2 a 0, e encurralou o time pernambucano para garantir o triunfo. Com atuação segura e boas trocas de passes em alguns momentos, o time deSilas poderia ter construído placar mais elástico, mas esbarrou no goleiro Mondragon. O faro de gol dos atacantes - cada um marcou em um tempo -, então, foi decisivo para o resultado.

A vitória garante o Alvinegro na semifinal do Nordestão, marcada para os dias 8 e 12 de abril. O adversário será Vitória ou América-RN, que decidem a vaga no próximo domingo (29), em Salvador - no jogo de ida, triunfo rubro-negro por 1 a 0. O foco da equipe cearense agora é oConfiança, rival da próxima quarta-feira (1º), às 22h, em Aracaju, pela Copa do Brasil.

O Carcará, por sua vez, despede-se do torneio regional e também mira a competição nacional. A equipe de Pernambuco mede forças com o Piauí, na próxima terça (31), às 20h30, no estádio Albertão, em Teresina.

O jogo

Com o placar do jogo de ida, o Salgueiro foi a campo com time misto, enquanto o Ceará atuou com força máxima e controlou as ações do jogo. O meia Valdeir, do Carcará, assustou Luís Carlos aos 12 minutos, mas os donos da casa responderam rápido: aos 16, Magno Alves pegou a bola na área e bateu forte de perna direita para abrir o placar e acabar com o jejum de gols.

Depois do gol alvinegro, Valdeir voltou a assustar, e Luís Carlos salvou novamente. Daí para frente, foi Mondragon, arqueiro do Salgueiro, quem apareceu diversas vezes para evitar um placar mais elástico, como aos 35, em chute de Uillian Correia. Quando a primeira etapa parecia definida, o volante Rodolfo bateu forte da entrada da área, aos 45 minutos, e deixou tudo igual no Castelão.

Na segunda etapa, o Vovô se manteve no ataque, mas com ritmo menos intenso. O Salgueiro, por sua vez, fez substituições e tentou equilibrar as ações em campo. Aos 12 minutos, porém, perdeu o zagueiro Luís Eduardo, expulso. Mondragon voltou a brilhar em sequência, aos 13 e 15 minutos, evitando gols de Sandro e Gilvan. Uillian Correia e Magno Alves também levaram perigo.

Aos 31, Kanu fez boa jogada individual, se livrou da marcação e chutou com bastante perigo à direita da meta alvinegra. A definição do resultado aconteceu no lance seguinte: Uillian Correia deu belo passe para o atacante William, que bateu com o bico do pé direito para vencer o camisa 1 do Salgueiro e decretar a vitória cearense. Com a vantagem numérica e no placar, o Ceará se manteve no campo de ataque e conteve as investidas do adversário para assegurar o triunfo e sair do Castelão garantido na semifinal da Copa do Nordeste.

Diário do Nordeste


[ Leia completa ]

Empresário William Bezerra Segundo, investigado por fraude contra a Caixa se apresenta

Homem estava viajando e não havia sido localizado pela Polícia Federal na deflagração da Operação Fidúcia 

27/03/2015 - O empresário William Bezerra Segundo, um dos investigados pela Polícia Federal (PF) na Operação Fidúcia, apresentou-se espontaneamente na manhã desta terça-feira (27) na sede do órgão, no Bairro de Fátima, em Fortaleza.

O homem possuía mandado de prisão temporária expedido em seu nome e era um dos três não localizados pelos policiais quando da deflagração da operação, na última terça-feira (24).

William estava em viagem pelo Brasil. Além dele, a Polícia procura o empresário Fernando Hélio Alves Carneiro e o superintendente da Caixa Econômica Antônio Carlos Franci. Ambos estão em viagem, nos Estados Unidos, e não foram localizados. Franci já teve a revogação de sua prisão solicitada pelos advogados Leandro Vasques e Waldir Xavier.

A defesa do empresário que se apresentou, representada pelo advogado Leandro Vasques, afirmou já ter dado entrada no requerimento da revogação da prisão.

Desvios

A Operação Fidúcia investiga o desvio de aproximadamente R$ 100 milhões através de empréstimos fraudulentos junto à Caixa Econômica Federal em um período de aproximadamente um ano e meio. Durante os trabalhos, os policiais recolheram veículos como uma Maserati, com valor estimado em torno de R$ 1,2 milhão; um Porsche, de aproximadamente R$ 600 mil; além de BMWs e Mercedes.

Um avião de pequeno porte, avaliado em torno de R$ 350 mil, também foi apreendido. Duas contas bancárias, com mais de US$ 800 mil, também foram descobertas nos Estados Unidos, no nome de um dos investigados. Ao todo, foram retidos 14 veículos, R$ 192 mil, US$ 10 mil, joias, relógios e pássaros silvestres, dentre eles uma arara. Os bens apreendidos pela Polícia foram bloqueados pela Justiça Federal.


[ Leia completa ]

STF vai investigar o escândalo do “manifestante” Agripino Maia e do tucanato paulista



STF abre inquérito de corrupção contra presidente do DEM, que foi a protesto anticorrupção

27/03/2015 - O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu abrir um inquérito contra o presidente do DEM, senador José Agripino (RN), após pedido encaminhado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Agripino Maia foi citado na delação premiada do empresário George Olímpio do Rio Grande do Norte na qual é acusado de ter cobrado propina de R$ 1 milhão para permitir um esquema de corrupção no serviço de inspeção veicular do Estado.

 O caso chegou ao Supremo neste mês e a decisão de abertura de inquérito foi tomada pela relatora do caso, ministra Cármen Lúcia, na última sexta feira. O processo tramita na Corte em segredo de Justiça. O vídeo com a delação do empresário George Olímpio foi revelado no mês passado pelo Fantástico, da TV Globo. Segundo o Ministério Público do Rio Grande do Norte, Olímpio montou um esquema que envolveria as principais autoridades locais para aprovar uma lei que criava o sistema de inspeção veicular no Estado.

A votação da norma, de acordo com a investigação, teria ocorrido sem obedecer aos trâmites legais. O esquema é investigado pela Operação Sinal Fechado, deflagrada em 2011. Olímpio, embora tenha feito acordo de delação como Ministério Público, é réu no processo. Aos promotores, ele afirmou que participavam do esquema, além de Agripino, a ex-governadora e atual vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria (PSB); o filho dela, Lauro Maia; o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira (PMDB); e o ex-governador Iberê Ferreira (PSB).

 Ferreira morreu de câncer em setembro, aos 70 anos. O acerto com Agripino, de acordo com o empresário, teria ocorrido em 2010 em Natal, na cobertura do senador. "A informação que temos é que você deu R$ 5 milhões para a campanha do Iberê", teria dito Agripino, na época candidato à reeleição e chapa adversária à do então governador. Olímpio respondeu que havia doado R$ 1 milhão e prometeu entregar R$ 200 mil imediatamente ao senador do DEM e outros R$ 100 mil na semana seguinte. "A ficam faltando R$ 700 mil" teria dito Agripino.

 O empresário interpretou o comentário como "chantagem". "O R 1,15 milhão foi dado em troc demanter a inspeção", alego Olímpio. Agripino disse, ontem, desconhecer a abertura de inquérito no STF. "Não fui comunicado de nada e o que e posso lhe dizer é que se trat de um reposicionamento por parte de alguém que foi a cartório declarar o contrário d que se supõe estar declarando agora. Trata-se de um processo que já foi apreciado n Procuradoria-Geral da República e arquivado.

 De  acordo com o promotores que investigam caso, o empresário mudou de ideia em 2014, quando, sentindo-se abandonado pelos amigos, procurou o Ministério Público para sugerir a colaboração com a Justiça em troca de benefícios.


[ Leia completa ]

Mensalão Tucano: um ano parado e sem juiz


Julgamento das acusações de caixa 2 na campanha do então governador do Estado, Eduardo Azeredo (PSDB), em 1998, segue parado na Justiça de Minas, desde que foi devolvido pelo Supremo Tribunal Federal à primeira instância; ação também não tem mais juiz, já que o titular designado se aposentou; de acordo com denúncia do Ministério Público Federal, o mensalão tucano envolveu desvios de R$ 3,5 milhões de empresas públicas de Minas, usados na campanha eleitoral; esquema começou a ser investigado em 2005

27 DE MARÇO DE 2015

O processo do chamado ‘mensalão tucano’ está parado há uma na Justiça de Minas, desde que foi devolvido pelo Supremo Tribunal Federal à primeira instância. Ação também não tem mais juiz, já que o titular designado se aposentou.

O caso se refere às suspeitas de caixa 2 pelo então governador do Estado, Eduardo Azeredo (PSDB), em 1998. De acordo com denúncia do Ministério Público Federal, o mensalão tucano envolveu desvios de R$ 3,5 milhões de empresas públicas de Minas, usados na campanha eleitoral.

O esquema começou a ser investigado em 2005, em meio ao escândalo do ‘mensalão’ do PT, que já foi julgado e está em fase de progressão de pena dos acusados. A Procuradoria apresentou denúncia à Justiça em 2007.

Azeredo, numa clara manobra, renunciou ao mandato de deputado federal e perdeu o foro privilegiado. Apesar de a renúncia ter ocorrido em março, somente no dia 4 de dezembro de 2014 a ação penal chegou à 9ª Vara Criminal, em BH.


[ Leia completa ]

Moradores amarram suspeito de tentar roubar carro


Criminoso foi rendido e ficou apenas de cueca no chão. Homem de 25 anos estava sob efeito de droga, segundo a polícia

27/03/2015 - Um homem de 25 anos foi rendido e preso por moradores no bairro Jardim Santa Rosália quando tentava roubar um carro em Sorocaba (SP). O suspeito foi dominado e agredido pelas pessoas, que o amarraram até a chegada da polícia.

O crime aconteceu no dia 21 de março, na rua Olavo Bilac. Segundo informações do boletim de ocorrência, um vendedor de carros de 35 anos estava manobrando o veículo quando foi abordado pelo criminoso, que afirmou estar armado e exigiu a entrega da aliança. O ladrão ordenou ainda que a vítima passasse para o banco do passageiro para poder roubar o veículo.

O patrão da vítima percebeu a ação do criminoso e começou a gritar, chamando atenção de moradores que passavam pelo local. Em depoimento a polícia, uma testemunha contou que eles correram atrás do suspeito até ele ser alcançado na rua Aparecida.

A testemunha afirmou aos investigadores que o criminoso ficou fazendo ameaças e se batendo no chão, o que dificultou a prisão. O homem foi amarrado com uma corda e acabou ficando apenas de cueca na calçada.

O grupo fugiu quando a viatura da Polícia Militar chegou e no local ficaram apenas as vítimas e a testemunha. O ladrão afirmou que tinha usado LSD e sido agredido. Reclamou ainda de dores e difuculdades para respirar.

De acordo com o boletim de ocorrência, nenhuma arma foi encontrada com o suspeito. O anel roubado também não foi localizado. Já o carro foi entregue para a vítima. Após o registro da ocorrência de flagrante por roubo no Plantão Norte, ele recebeu atendimento na Unidade Pré-Hospitalar (UPH) da Zona Norte e passou por exames no Instituto Médico Legal (IML).

O laudo apontando as possíveis agressões deve ficar pronto em uma semana. O criminoso foi encaminhado para a Cadeia Pública de São Roque (SP) e transferido para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Aparecidinha, em Sorocaba (SP). Segundo a polícia, ele não tinha antecedentes criminais.


[ Leia completa ]