José de Abreu: ‘bolsonarista arrependido virou meio de vida’

Foto: Reprodução

2 agosto de 2020

O ator José de Abreu interpretou o arrependimento dos procuradores da Lava Jato, que votaram no presidente Jair Bolsonaro (sem partido), como um “meio de vida” para evitar a morte.

De acordo com a revista Época, da Globo, os procuradores da Lava Jato em Curitiba se dizem arrependidos do voto em Bolsonaro na eleição de 2018..

“Gente, menos! Acreditem em fadas e duendes, são inofensivos…”, ironizou o ator. “Até os procuradores da Lava Jato já se arrependeram! Ser contra o Bozo virou meio de vida (para evitar a morte)”, completou Abreu.

Os procuradores que integram a força-tarefa afirmar que votaram em Jair Bolsonaro, em 2018, porque acreditavam que o PT desmontaria a engrenagem de combate à corrupção. No entanto, segundo eles, é Bolsonaro quem desmonta a engrenagem anticorrupção.

A Lava Jato diz que se arrepende de voto. Aliás, não foi só voto, eles fizeram campanha aberta pela eleição de Jair Bolsonaro. Um dos integrantes até virou ministro da Justiça, como recompensa..

“Será que os ‘crentes’ também vão acreditar no ‘arrependimento’ de Dallagnol et caterva? Só falta”, questionou o ator.

Para José de Abreu, o “arrependimento” sempre vira farsa. Ou uma ignorância ilimitada. “Escolham antes de se ajoelhar no milho”, aconselhou, ao concordar que a Lava Jato nunca combateu a corrupção.

‘Foi um movimento anti-PT, fascistoide, de desprezo às instituições democráticas.’

Blog do Esmael


[ Leia completa ]

Bolsonaro ignora a ‘Rachadinha’ do Queiroz com o Flávio e diz que “o maior programa de combate à corrupção” foi executado por ele

(Foto: Abr | Reprodução)

Em série de posts intitulada “Combate à corrupção/A Verdade”, Jair Bolsonaro ignora investigação do caso Queiroz e inquérito contra o ministro do Turismo e diz que “o maior programa de combate à corrupção” foi executado por ele ao não lotear cargos estratégicos, como as presidências das estatais

2 de agosto de 2020

(Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro disse neste domingo no Twitter que não responde por operações conduzidas por outros Poderes, em meio a críticas recentes à operação Lava Jato feitas pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, e no momento em que mostra sinais de aproximação com políticos investigados na maior ação de combate à corrupção do país.

“Qualquer operação, de combate à corrupção ou não, deve ser conduzida nos limites da lei, e assim tem sido feito no meu governo”, disse Bolsonaro. “Quanto às operações conduzidas por outro Poder, quem responde pelas mesmas não sou eu”.

Na semana passada, Augusto Aras — escolhido por Bolsonaro para comandar a PGR em setembro passado — fez duras críticas à força-tarefa da Lava Jato em Curitiba ao afirmar, por exemplo, que haveria “caixas de segredos” do grupo, em referência a supostos documentos que não seriam rastreáveis pelo sistema do Ministério Público Federal.

A força-tarefa de Curitiba rebateu o que considerou ser uma ilação feita por Aras e defendeu a atuação do grupo. A discussão sobre a operação ocorre a um mês do prazo para o procurador-geral decidir se vai prorrogar por mais um ano a força-tarefa.

Ao mesmo tempo, Bolsonaro tem se aproximado cada vez mais de políticos investigados na operação, oferecendo cargos no governo a indicados de alguns alvos de investigações — o que contraria uma promessa de campanha. Na quinta-feira, por exemplo, ele viajou ao Piauí e cumpriu uma agenda pública com o presidente do PP, o senador Ciro Nogueira (PI), que é alvo da Lava Jato.

Até o momento, o presidente — que se elegeu ancorado na promessa de combate à corrupção e na esteira de defesa enfática da Lava Jato — não se manifestou publicamente sobre as questões referentes à operação.

Na série de postagens no Twitter, intitulada “Combate à corrupção/A Verdade”, Bolsonaro disse que “o maior programa de combate à corrupção” foi executado por ele ao não lotear cargos estratégicos, como por exemplo as presidências das estatais, segundo o presidente.

“A Polícia Federal goza de total liberdade em sua missão”, afirmou, ao repetir que em breve o efetivo da corporação será aumentado.

Em uma crítica ao ex-juiz da Lava Jato Sergio Moro, seu ex-ministro da Justiça e atual desafeto, o presidente destacou que com a troca do titular da pasta, “como por um passe de mágica, várias e diversificadas operações foram executadas”.

“A Polícia Rodoviária Federal, por sua vez, quase triplicou a apreensão de drogas com o novo ministro”, disse, referindo-se à gestão do novo ministro da Justiça, André Mendonça.

Embora não se declare candidato, Moro é apontado como um potencial adversário do presidente na sucessão de 2022. Ao deixar o governo em abril, o ex-juiz acusou Bolsonaro de buscar interferir politicamente na PF.

Bolsonaro conclui seus comentários na rede social afirmando que o governo está “há 18 meses sem qualquer denúncia de corrupção” e que isso tem incomodado parte da imprensa e os derrotados nas eleições de 2018.

Entretanto, o presidente ignorou, por exemplo, o fato de seu ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, ter sido indiciado pela PF em um esquema de candidaturas-laranja e ter sido denunciado pelo Ministério Público de Minas sobre esses fatos.

Além disso, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente, é investigado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro por suspeita de prática de “rachadinha” em seu gabinete quando era deputado na Assembleia Legislativa do Estado.

Brasil 247


[ Leia completa ]

Gilmar Mendes do STF diz que 92 mil mortes por Covid-19 são "constrangimento para Brasil"

Gilmar Mendes fala sobre a pandemia do coronavírus

(Foto: NELSON JR/STF | REUTERS)

"Nos avizinhamos desse macabro número de 100 mil mortes no Brasil. Um campeonato realmente constrangedor que nunca gostaremos de querer vencer", disse o ministro do STF durante debate neste sábado

1 de agosto de 2020

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, afirmou neste sábado (1) que as mais de 92 mil mortes por covid-19, registradas ontem, são um "alto constrangimento que estamos a enfrentar".

"Nos avizinhamos desse macabro número de 100 mil mortes no Brasil. Um campeonato realmente constrangedor que nunca gostaremos de querer vencer", disse Mendes, durante debate "Federalismo Cooperativo: o Fundeb e o SUS", realizado pelo Instituto de Direito Público em parceria com o site Consultor Jurídico.

"Brasil só não chegou a resultados piores graças ao SUS e acho que também graças às ações dos governadores que foram extremamente pró-ativos, por isso a importância do federalismo, que cumpre uma função vital para a democracia, que faz uma divisão dos poderes num plano vertical, o que contribui para vitalizar e manter viva a democracia", acrescentou Mendes.

Brasil 247


[ Leia completa ]

Globo pode perder William Bonner e Fausto Silva nos próximos meses

William Bonner e Faustão

(Foto: Reprodução)

O jornalista William Bonner pode deixar a bancada do Jornal Nacional no começo de 2021. Faustão sinalizou que pretende trabalhar até 2022. A Globo também pode estar em negociação com Xuxa Meneghel, que terá o seu contrato de cinco anos com a Record encerrado no fim deste ano

2 de agosto de 2020

O jornalista William Bonner pode deixar a bancada do Jornal Nacional no começo de 2021, informou a apresentadora Sonia Abrão, do programa A Tarde é Sua, da RedeTV!. Mas a Globo quer o apresentador até o fim de 2021 por conta da pandemia do coronavírus e da falta de tempo para treinar alguém no lugar dele.

De acordo com informações divulgadas pelo portal TV Foco, por conta da pandemia e da falta de tempo para treinar outra pessoa, a TV Globo teria feito um acordo com o jornalista para mantê-lo no noticiário até o fim de 2021.

O principal nome para ocupar a bancada em seu lugar seria Dony de Nuccio, que pediu demissão da emissora após ser alvo de um ataque criminoso com vazamento de informações sobre uma suposta empresa em seu nome, o que não é permitido entre jornalistas do canal carioca.

Faustão

Quem também deve deixar a Globo é Faustão. De acordo com Alessandro Lo-Bianco, do programa A Tarde é Sua, da RedeTV!, o apresentador sinalizou na Globo que quer trabalhar até 2022.

A emissora supostamente teria cogitado o nome de Rodrigo Faro para substituir Faustão, caso o apresentador se aposente. Atualmente, o veterano é o dono de uma atração na emissora com o maior salário de todos, que chega a R$ 4 milhões, de acordo o portal Na Telinha. Silvio Santos, em sua atração, chegou a dizer que a remuneração chega até R$ 5 milhões.

Xuxa

A Globo pode estar em negociação com Xuxa Meneghel, que terá o seu contrato de cinco anos com a Record encerrado no fim deste ano, caso não haja renovação. A artista apareceu no programa Conversa Com Bial e dará entrevista ao Lady Night. Também faz parte do documentário do Globoplay sobre João de Deus e lançará um livro pela Editora Globo.

Xuxa disse à Veja Rio que não existe negociação com a emissora, porém, segundo Alessandro Lo-Bianco, ela esteja prestes a fechar um negócio com a empresa para apresentar um novo programa no horário nobre.

Brasil 247


[ Leia completa ]

Mais um escândalo no BNDES: banco faz contrato milionário com empresa de conselheiro

BNDES credencia 22 bancos para programa emergencial de acesso a crédito

(Foto: REUTERS/Sergio Moraes)

A G5 Partners, de Marcelo Serfaty, foi contratada por R$ 9,5 milhões, o que aponta claro conflito de interesses

2 de agosto de 2020

O BNDES, que recentemente vendeu participação acionária numa empresa de energia por valor menor do que o oferecido por outro participante da disputa, é alvo de uma nova denúncia. O banco anunciou, entre dezembro de 2019 e fevereiro deste ano, três contratos de consultoria com o consórcio do qual faz parte a G5 Partners Consultoria e Participações, no valor total de R$ 9,7 milhões, para fazer a modelagem de privatizações ou venda de participação em estatais que o governo Jair Bolsonaro planeja realizar. O problema é o que o vencedor dos pregões eletrônicos tinha, até 31 de outubro de 2019, como um dos seus sócios, Marcelo Serfaty, presidente do Conselho de Administração do BNDES, segundo informa o jornalista Patrick Camporez, no jornal Estado de S. Paulo.

"O empresário continua vinculado com a G5 Partners. Eles são sócios na G5 Gestora de Recursos, da qual Serfaty detém 49,5% do negócio e segue como membro de comitê de investimentos. A G5 Partners tem  49% do negócio. O administrador é Renato Klarnet, representante legal da G5 Partners, na qualidade de sócio", aponta a reportagem. O jornalista informa que a área de integridade, controladoria e gestão de riscos do banco alertou sobre potencial conflito de interesses e pediu que o vínculo de Serfaty com a G5 fosse analisado pelo Comitê de Ética da instituição, o que não ocorreu. O banco enviou o caso para análise da Controladoria Geral da União (CGU), que ainda não se posicionou.

Brasil 247


[ Leia completa ]

Fruto de fake news, governo Bolsonaro monta grupo de trabalho contra notícias falsas

Jair Bolsonaro

(Foto: Isac Nóbrega/PR | Reprodução)

Eleito a partir de mistificações como o "kit gay" e a mamadeira erótica, o governo de Jair Bolsonaro quer fixar regras para vetar anúncios de estatais em sites que publicam mentiras

2 de agosto de 2020

O governo Jair Bolsonaro está montando um grupo de trabalho para elaborar regras, de modo a evitar que ministérios e estatais veiculem publicidade em sites que divulgam fake news.

A força-tarefa do governo pretende criar uma espécie de "selo de qualidade" que indique aos órgãos públicos que um veículo de informações não está envolvido em publicação de notícias falsas, informou Estadão nesta sexta-feira (31).

No mês de maio, o Tribunal de Contas da União (TCU) suspendeu publicidade do Banco do Brasil e cobrou do governo normas para garantir a confiabilidade de sites, como já acontece com empresas que desejam negociar com o setor público.

Depois da "dura" do TCU, seguida por pressões do STF e do Congresso, o governo criou o grupo de trabalho, composto por sete funcionários, que foi tornado oficial no dia 13 de julho por uma portaria assinada pelo ministro Wagner Rosário, da Controladoria-Geral da União (CGU).

Segundo o documento, o grupo vai buscar "mitigar riscos para a integridade decorrentes da utilização de mídias digitais para veiculação de campanhas publicitárias financiadas com recursos de órgãos e entidades da administração federal direta e indireta".

Brasil 247


[ Leia completa ]

Bolsonaro ataca Sérgio Moro e diz que Polícia Federal começou a funcionar depois que ele deixou o governo. Os dois se merecem

(Foto: Divulgação)

"Com a troca do Ministro da Justiça, como por um passe de mágica, várias e diversificadas operações foram executadas. A PRF, por sua vez, quase triplicou a apreensão de drogas com o novo ministro", postou Jair Bolsonaro, em suas redes sociais

2 de agosto de 2020

Acusado pelo ex-ministro Sergio Moro, que vem sendo preparado pela Globo como potencial candidato à presidência, de frear o "combate à corrupção", Jair Bolsonaro reagiu e, na noite deste sábado, afirmou que a Poícia Federal passou a funcionar justamente após a troca de cargo em Brasília. Confira abaixo o texto postado por Bolsonaro em suas redes sociais:

- COMBATE À CORRUPÇÃO/A VERDADE:

- O maior programa combate à corrupção foi executado por mim ao não lotear cargos estratégicos, como por exemplo as presidências das estatais.

- A Polícia Federal goza de total liberdade em sua missão. Nunca interferi, e nem poderia, em absolutamente nada.

- No corrente ano a PF contará com mais 600 profissionais, bem como o novo Ministro da Justiça anunciou novo concurso para mais 2.000 vagas.

- Com a troca do Ministro da Justiça, como por um passe de mágica, várias e diversificadas operações foram executadas. A PRF, por sua vez, quase triplicou a apreensão de drogas com o novo ministro.

- Qualquer operação, de combate à corrupção ou não, deve ser conduzida nos limites da lei, e assim tem sido feito em meu Governo.

- Quanto as operações conduzidas por outro Poder quem responde pelas mesmas não sou eu.

- Com orgulho digo: estamos há 18 meses sem qualquer denúncia de corrupção. Isso tem incomodado parte da imprensa e os derrotados de 2018.

Brasil 247


[ Leia completa ]

Nunca a Imagem do Brasil no mundo esteve tão ruim como agora, pandemia, devastação da Amazônia, direitos humanos

Hamilton Mourão e Jair Bolsonaro; vista aérea de área desmatada da Amazônia em Itaituba, no Pará

(Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino | REUTERS/Ricardo Moraes)

“A imagem é ruim não só pela questão da pandemia, mas também pela Amazônia, a questão ambiental, os direitos humanos”, diz Miriam Gomes Saraiva, da Uerj

2 de agosto de 2020

A imagem do Brasil sob o governo de Jair Bolsonaro, no exterior, está “horrível”.  “Não só pela questão da pandemia, mas também pela Amazônia, a questão ambiental, os direitos humanos.” A constatação é de Miriam Gomes Saraiva, do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). “Há um dilema no mundo: se é melhor esperar que Bolsonaro acabe seu governo, para normalizar  as relações com o Brasil,  ou se manter boas relações seria um incentivo para Bolsonaro melhorar”, diz.

Segundo ela, pode até existir uma visão positiva do presidente brasileiro, “talvez, nos Estados Unidos, na Hungria, países cujos governos são de direita ou ultradireita”. “Mas, tirando esses, a imagem é muito ruim. Na América do Sul, é muito negativa.”

Miriam cita artigo de Oliver Stuenkel, colunista do Americas Quarterly, publicação norte-americana sobre política, negócios e cultura, e professor de Relações Internacionais na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. “Os debates em Berlim sobre o Brasil revelam um dilema amplo, à medida que interesses econômicos e geopolíticos se chocam com a crescente preocupação pública com o meio ambiente. Bolsonaro deve ser tratado como um irritante temporário para uma parceria de longa data ou como um obstáculo mais fundamental ao aprofundamento dos laços?”, diz o articulista no texto.

No final de maio, conta Stuenkel, o congressista alemão Uwe Kekeritz, do Partido Verde, questionou um plano do governo da Alemanha para financiar um programa brasileiro de proteção ambiental. O parlamentar germânico mencionou “um episódio que recentemente abalou a política brasileira”, em alusão à famosa reunião ministerial de 22 de abril.

Segundo Stuenkel, na reunião, o ministro do Meio Ambiente brasileiro, Ricardo Salles, “sugeriu que a pandemia era uma oportunidade de enfraquecer as regulamentações ambientais, uma vez que a opinião pública estava ‘distraída’”. Em Berlim, o congressista Kekeritz fez referência ao episódio para argumentar contra o apoio ao projeto “supervisionado” por Salles.

De novo a China

Nesta sexta-feira (31), Jair Bolsonaro voltou a manifestar agressividade em relação à China, desta vez com ironia. “Se fala muito da vacina da covid-19. Nós entramos naquele consórcio lá de Oxford”, disse, sobre a vacina britânica contra o novo coronavírus do laboratório AstraZeneca, em testes no Brasil.

Bolsonaro não disse, porém, que, até o momento, o governo brasileiro não assinou o contrato com a farmacêutica e a Universidade de Oxford. Segundo a Folha de S. Paulo, a Fiocruz informou que “a expectativa é que a assinatura ocorra durante o mês de agosto”.

“Não é daquele outro país não, tá ok, pessoal? É de Oxford aí. Quem não contraiu o vírus até lá… Eu não preciso tomar porque já estou safo”, afirmou, sem citar a China. A empresa chinesa Sinovac também está fazendo os testes de sua vacina contra o coronavírus no Brasil, em parceria com o Instituto Butantã, do governo do Estado de São Paulo.

“Bolsonaro e seu entorno já fizeram diversos comentários bastante negativos sobre a China. Ele, Ernesto Araújo (ministro das Relações exteriores, (o deputado) Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e (Abraham Weintraub), quando era ministro da Educação. A China é um país pragmático e vai tocando a questão econômica com o Brasil. Mas a imagem para eles também é ruim”, diz Miriam Saraiva.

Por Eduardo Maretti, na RedeBrasil Atual


[ Leia completa ]

Águas do São Francisco elevam volume hídrico da barragem de Jati no Ceará para 65%

Foto: João Alfredo

O reservatório, quando estiver cheio, terá água captada pelo Cinturão das Águas do Ceará, que será transportada para garantir a segurança hídrica da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF)

Por: Antonio Rodrigues | 02 de Agosto de 2020

Após pouco mais de um mês da passagem das águas do Projeto de Integração do Rio São Francisco (Pisf) para o território cearense, a barragem de Jati, no município homônimo do Cariri, já apresenta um volume de 65,7% de sua capacidade. Ao todo, já foram acumulados 19,2 milhões m³ de água de um total de 29,2 milhões de m³ que o reservatório pode suportar. A expectativa é no dia 18 de agosto iniciem os testes de entrega do recurso hídrico ao Cinturão das Águas do Ceará (CAC). 

O chamado ‘eixo emergencial’ de 53 km do CAC já está apto à passagem das águas do Eixo Norte do Pisf. De Jati, seguirá até o Riacho Seco, em Missão Velha, fluindo para o Rio Salgado e, pelo seu curso natural, alcançará o Rio Jaguaribe, até finalmente, alcançar o Açude Castanhão. São cerca de 350 quilômetros de trajeto. A transferência do recurso hídrico para a Região Metropolitana de Fortaleza (RMF) acontece pelo Eixão das Águas. 

Com a barragem cheia na segunda quinzena de agosto, a previsão da Secretaria de Recursos Hídricos do Estado (SRH) é que as águas cheguem ao Castanhão em um prazo de dois a três meses. Do maior açude do Ceará até Fortaleza, a transferência será em um prazo menor: três dias. Com isso, garantiria a segurança hídrica para 4,5 milhões de habitantes. 

No entanto, a SRH realizou um estudo que indica que a água será transferida, preferencialmente, no primeiro semestre de 2021, pois, as calhas dos rios estarão cheias graças a estação chuvosa. Na avaliação da pasta, as perdas seriam menores, pois, teria menos evaporação, mais rapidez e não correria o risco de retirada dos irrigantes, já que, entre fevereiro e maio, as precipitações supririam essa demanda.  

Serviços

Apesar das águas já chegarem ao Ceará, as obras do Eixo Norte do Pisf seguem acontecendo. Atualmente, há 1.972 trabalhadores, executando serviços complementares até o Reservatório Caiçara, na Paraíba, como a instalação de equipamentos auxiliares de monitoramento; a execução de muretas protetoras dos canais; o sistema de drenagem pluvial; a melhoria de estradas de acesso e tratamento de taludes. 

Outro trabalho sendo executado acontece em Salgueiro, que registrou uma passagem de água — percolação — pela fundação do Dique Negreiros, que é um barramento auxiliar ao reservatório homônimo. O problema foi detectado em janeiro e, após vistoria técnica realizada na estrutura, foi atestada sua estabilidade, não havendo riscos.   

Desta forma, o bombeamento na terceira estação de bombeamento (EBI-3) foi retomado em 4 de abril e as águas seguiram para o Reservatório de Milagres, em Verdejante (PE). Os serviços de reparo estão sendo planejados de acordo com o cronograma de enchimento dos reservatórios do Eixo Norte, não afetando a sua operação.

DIÁRIO DO NORDESTE


[ Leia completa ]

Copa do Nordeste: Ceará vence Bahia no primeiro jogo das finais

Ceará e Bahia fizeram a primeira partida da final da Copa do Nordeste, neste sábado, 1º, em Pituaçu, em Salvador. Jogadores comemoram gol da virada do Vovô (Foto: Felipe Santos/cearasc.com)

(Foto: Felipe Santos/cearasc.com)

Fernando Sobral, Cléber e Mateus Gonçalves fizeram os gols do Alvinegro de Porangabuçu, que fará o jogo da volta na próxima terça-feira, 4

Por: GABRIEL LOPES | 02/08/2020

O Ceará saiu na frente e abriu ótima vantagem na busca pelo título da Copa do Nordeste 2020. Neste sábado, 1º, no estádio de Pituaçu, em Salvador, o Alvinegro de Porangabuçu enfrentou o Bahia pelo primeiro jogo das finais do Nordestão. A equipe baiana abriu o placar aos 25 minutos do primeiro tempo, com Fernandão. Porém, dois minutos depois, aos 27, Fernando Sobral empatou para o Vovô. No segundo tempo, no minuto 11, Cléber fez o gol da virada. Aos 28 da etapa final, Mateus Gonçalves fez o terceiro e garantiu a vitória do Alvinegro.

A partida de volta acontecerá na próxima terça-feira, 4, às 21h30min, no mesmo estádio, Pituaçu. O Ceará pode ser campeão com qualquer empate ou em caso de derrota por um gol de diferença. Para o Bahia ser campeão, deverá vencer por três tentos a mais que o Vovô. Em caso de triunfo do Tricolor por dois gols, disputa do título nos pênaltis.

O POVO


[ Leia completa ]

RIBAMAR FONSECA | Brasil navega à deriva em águas turvas e com futuro incerto

(Foto: Valdenio Vieira/PR | STF | Najara Araujo/Câmara dos Deputados)

"Os três poderes parecem afinados na tarefa de destruir as conquistas duramente alcançadas ao longo dos últimos vinte anos", escreve o colunista Ribamar Fonseca. "Bolsonaro se mantém no poder sustentado pelas fakenews que o elegeram e escravizaram parte da população, iludindo-a com mentiras diárias nas redes sociais", afirma. "O Brasil navega à deriva", alerta

31 de julho de 2020

O Brasil vive hoje, talvez, o período mais difícil de toda a sua história. Além da corona vírus, que já matou mais de 90 mil brasileiros por conta da negligência do governo federal no combate à pandemia, o nosso país, com mais de 11 milhões de desempregados e sem nenhuma perspectiva a médio prazo, voltou para o mapa da fome, de onde havia sido retirado pelo governo Lula. Ao mesmo tempo vai perdendo a floresta amazônica, destruída de forma acelerada com o incentivo do governo, e com ela os investimentos, notadamente os estrangeiros, com graves prejuízos para a nossa economia. Despreparado para o cargo e preocupado apenas com a questão ideológica, assombrado com o velho comunismo junto com militares anacrônicos que integram o seu governo, o presidente Bolsonaro se mantém no poder sustentado pelas fakenews que o elegeram e escravizaram parte da população, iludindo-a com mentiras diárias nas redes sociais. Para completar o quadro, ressuscitou o velho Serviço Nacional de Informações (SNI), criado na ditadura para monitorar seus opositores no serviço público. 

Afora pequenas divergências, graças à democracia ainda vigente, os três poderes parecem afinados na tarefa de destruir as conquistas duramente alcançadas ao longo dos últimos vinte anos. Depois da derrubada de Dilma no golpe de 2016, com a cumplicidade do Judiciário, o Brasil mergulhou num retrocesso que se iniciou com a extinção da CLT, prosseguiu com a reforma da Previdência e tem sequência com a destruição das leis ambientais, até então consideradas as mais avançadas do mundo.  Cooptado pelo capitão, ao custo de cargos e verbas, o Congresso garante a aprovação de tudo o que o governo manda, algumas vezes rebelando-se e alterando certos dispositivos dos projetos enviados. No geral, porém, faz o que Bolsonaro quer. Mais de 30 pedidos de impeachment do Presidente já deram entrada na Câmara, mas o seu presidente, deputado Rodrigo Maia, se recusa a apreciá-los, preferindo engavetá-los sob os mais diferentes e cínicos pretextos.

Na verdade, o impeachment não mudará em nada a situação caótica do país, pois a saída de Bolsonaro implicará na assunção do general Hamilton Mourão, que só é diferente do capitão na patente. Ele defende a política ambiental desastrosa do governo e enrola todas as vezes em que, como presidente do Conselho da Amazônia, é questionado sobre a devastação da floresta amazônica. Fala, fala e não diz absolutamente nada e nem toma qualquer providência para conter o desmatamento. E mais recentemente defendeu a reeleição de Bolsonaro, afirmando, inclusive, que o capitão chegará em 2022 “extremamente competitivo”. Pelo visto o general também se convence das próprias mentiras do governo, propagadas pela indústria oficial de fakenews e, a exemplo dos bolsonaristas, acredita que o capitão se reelegerá no próximo pleito. Para observadores, nem Bolsonaro aqui e Trump nos Estados Unidos conseguirão reeleger-se, pois cometeram os mesmos erros no comando de suas nações. Eles foram eleitos e sobrevivem graças às fakenews que, no entanto, estão perdendo força.

Constata-se que o comportamento de Maia em relação ao governo é idêntico ao adotado pelo Supremo Tribunal Federal, cujo presidente, o ministro Dias Toffoli, às vezes funciona até como conselheiro do presidente Bolsonaro.  Toffoli, que foi acusado de ser petista quando assumiu a cadeira na Corte Suprema, como seu presidente acabou mostrando as pontas das penas tucanas escondidas sob a toga: ao mesmo tempo em que tomava decisões prejudiciais ao ex-presidente Lula, que o nomeou para o STF, beneficiava tucanos emplumados como José Serra e Aécio Neves. Determinou a suspensão das investigações sobre Serra e Aécio, acusados de receberem propinas, inclusive proibindo que o material suspeito já apreendido em operações de busca e apreensão sejam examinados. Aliás, ele nem precisava expor-se tanto, pois o relator “sorteado” para os inquéritos no Supremo, envolvendo os dois tucanos, foi o ministro Gilmar Mendes, nomeado por Fernando Henrique e cujas penas estão inteiramente à mostra.

E por falar em Gilmar, o polêmico ministro decidiu adiar, mais uma vez, o julgamento da ação que pede a suspeição do ex-juiz Sergio Moro, que vem sendo procrastinado há bastante tempo porque a sua aprovação implicará na anulação da condenação de Lula. Por conta da pandemia, os julgamentos no STF em sido virtuais, mas Gilmar quer, agora, que o julgamento da suspeição do ex-ministro da Justiça seja presencial. Foi o melhor pretexto que ele arranjou para, mais uma vez, adiá-lo, embora o processo já estivesse em pauta muito antes do aparecimento da Covid-19. Vale lembrar que o ministro Gilmar Mendes é o mesmo que tem livrado a cara de tucanos na Corte Suprema e que, em contrapartida, atropelando a Constituição em 2016 impediu Lula de assumir a chefia da Casa Civil no governo Dilma.

Enquanto isso, a antes toda poderosa Lava-Jato vai derretendo e poderá, inclusive, ser alvo de uma CPI da Câmara dos Deputados, proposta pelo deputado Paulo Pimenta para investigar seus abusos, especialmente a sua “caixa preta”. O próprio Procurador Geral da República, Augusto Aras, declarou em recente entrevista que é preciso abrir a caixa de segredos daquela operação. Aras, aliás, teve de recorrer ao Supremo Tribunal Federal para que fosse obedecido pelos seus subordinados da Lava-Jato, que se recusavam a compartilhar com ele as suas investigações. Como durante algum tempo os lavajateiros foram os homens mais poderosos do país, criando um poder paralelo – a República de Curitiba – que atropelava a Constituição e afrontava até o Supremo, Dallagnol e companhia achavam que ainda estavam com essa bola toda e, por isso, afrontaram o PGR. Até o ex-chefão da operação, o ex-juiz Sergio Moro, que se promoveu à frente daquela força-tarefa, resolveu criticar Aras, agindo, evidentemente, em defesa própria, pois ele sabe o que fez “no verão passado”.

E por falar em Moro, ele está preocupado, também, com a possibilidade do Congresso Nacional aprovar um projeto de lei estabelecendo uma quarentena de oito anos para que ex-magistrados e membros do Ministério Pública possam concorrer a cargos eletivos. Esse prazo foi defendido por Dias Toffoli e Rodrigo Maia, presidentes, respectivamente, do Supremo e da Câmara dos Deputados, mas as associações de classe dos magistrados protestaram, considerando-o desproporcional. Maia informou que já existe um projeto tramitando no Congresso e que a tendência é que seja aprovado, o que poderá frustrar o sonho de Moro de concorrer à Presidência da República. A Globo, no entanto, que abraçou a candidatura do ex-juiz, já iniciou uma ofensiva contra o PGR Augusto Aras e, também, contra a proposta de quarentena para magistrados que, se aprovada, obviamente prejudicará o seu candidato. Enquanto isso o Brasil navega à deriva, em águas turvas e destino incerto, a reboque dos Estados Unidos. Diante disso, só nos resta rogar: Deus tenha misericórdia de nossa Nação.

Brasil 247


[ Leia completa ]

Famílias de São Gonçalo do Amarante em situação de vulnerabilidade social recebem kit de higiene

1 de agosto de 2020

Entre os dias 4 e 7 de agosto de 2020, a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante vai entregar kits de higiene do Governo do Estado do Ceará. As famílias que serão beneficiadas são as atendidas pelo Programa Mais Infância Ceará. A doação dos kits de higiene é para auxiliar no combate à Covid-19.

Ao todo, 617 famílias gonçalenses receberão os kits de higiene.

Os kits contêm 18 itens para higiene pessoal e do domicílio, com álcool gel, sabonete, detergente, sabão em barra, sabão em pó, água sanitária, papel higiênico, máscaras reutilizáveis e creme dental. Junto aos kits serão entregues cartilhas com orientações para crianças e suas famílias quanto à prevenção ao coronavírus.

As entregas acontecerão na terça-feira, 4 de agosto, na quarta-feira, 6 de agosto, e na quinta-feira, 7 de agosto, das 8h às 17h. Exceto na sexta-feira, que será até às 13h.

Confira a lista de beneficiários e os locais de entrega dos kits de higiene do Governo do Ceará:

    Serrote - Serviço de Convivência Serrote;

    Croatá - Serviço de Convivência Croatá;

    Cágado - Serviço de Convivência Cágado;

    Umarituba - Serviço de Convivência Umarituba;

    Pecém - CRAS Pecém;

    Síupe - Serviço de Convivência Síupe;

    Taíba - Casa do Idoso;

    Sede - Centro de Convivência (AUFAM)


[ Leia completa ]

Facebook recua e bloqueia contas dos ‘bolsolóides’ fora do Brasil

(Foto: Reuters | STF)

Facebook acatou uma determinação de bloqueio de contas de bolsonaristas na rede social após intimação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. “Não tivemos alternativa a não ser cumprir com a ordem de bloqueio global das contas enquanto recorremos ao STF”, diz a empresa

1 de agosto de 2020

Após o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes intimar o presidente do Facebook no Brasil por não bloquear perfis bolsonaristas fora do país na sexta-feira (31), a rede social recuou e acatou a determinação. A informação foi publicada no painel do jornal Folha de São Paulo.

"O Facebook havia cumprido com a ordem de bloquear as contas no Brasil ao restringir a visualização das Páginas e Perfis a partir de endereços IP no país. Isso significa que pessoas com endereço IP no Brasil não conseguiam ver os conteúdos mesmo que os alvos da ordem judicial tivessem alterado sua localização IP", diz a empresa em posicionamento enviado ao jornal.

"A mais recente ordem judicial é extrema, representando riscos à liberdade de expressão fora da jurisdição brasileira e em conflito com leis e jurisdições ao redor do mundo. Devido à ameaça de responsabilização criminal de um funcionário do Facebook Brasil, não tivemos alternativa a não ser cumprir com a ordem de bloqueio global das contas enquanto recorremos ao STF", completa.

Em julho, a rede social tirou do ar 88 contas e páginas com operações ligadas a funcionários de Jair, Flávio e Eduardo Bolsonaro, o chamado gabinete do ódio. Também foram removidas 38 contas do Instagram envolvidas com irregularidades.

Na somatória, o esquema alcançava uma audiência de 2 milhões de pessoas, segundo a empresa Digital Forensic Research Lab (DRFLab), especializada no combate à desinformação.

Em maio, a Polícia Federal identificou Carlos Bolsonaro como um dos articuladores de um esquema criminoso de fake news.

Brasil 247


[ Leia completa ]

Augusto Aras diz ter provas contra a Lava Jato e afirma que foi alvo de fake news e ameaças após criticar operação

Augusto Aras, Deltan Dallagnol e Polícia Federal

(Foto: Antonio Augusto/PGR | Reuters | ABr)

"Fatos e provas estão entregues à Corregedoria do Ministério Público Federal e ao Conselho Nacional do Ministério Público", disse o procurador-geral da República

1 de agosto de 2020

Numa tensa videoconferência com integrantes do Ministério Público, o procurador-geral da República, Augusto Aras, disse ter provas contra a Lava Jato e afirmou estar sendo alvo de fake news e ameaças após criticar a operação. "Não me dirigi em um evento acadêmico de forma se não pautado em fatos e provas. Fatos e provas que se encontram sob investigação da corregedoria-geral do MPF e do Conselho Nacional do Ministério Público. Caberá a eles apurar a verdade, a extensão, a profundidade e os autores, e os coautores, e os partícipes, de tudo que declarei. Porque me acostumei a falar com provas, e tenho provas, e essas provas já estão depositadas perante os órgãos competentes", disse ele.

Aras também acusou seus adversários de atuarem em favor de um "aparelhamento" do MPF e de um "anarcossindicalismo". Na reunião com os procuradores, seu principal crítico foi Nicolao Dino, vice na gestão de Rodrigo Janot. "Gostei muito de saber que o colega Nicolao Dino foi o porta-voz, o porta-voz de alguns que fazem oposição sistemática a esse procurador-geral da República, de alguns que vivem a plantar fake news e que eu estou colecionando cada fake news com as respectivas respostas, para que ao final da gestão eu apresente cada fake news e cada resposta", afirmou Aras, segundo aponta reportagem de Aguirre Talento, no jornal O Globo.

"Por isso, doutor Nicolao, rejeito seus conselhos e espero que os órgãos oficiais respondam a Vossa Excelência e aos seus liderados. No mais, fatos e provas estão entregues à Corregedoria do MPF e ao CNMP", disse ainda Aras.

Brasil 247


[ Leia completa ]

Lula chama Sérgio Moro de fujão e diz que ele não tem coragem de encará-lo nos olhos

(Foto: Brasil247 | Abr)

"Convidei ele [Moro] pra debater comigo e ele fugiu. Não tinha coragem de me olhar nos olhos nem quando vestia a toga. Imagina agora", disse o ex-presidente Lula ao comentar eventual candidatura do ex-juiz da Lava Jato

31 de julho de 2020

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a criticar o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro nesta sexta-feira, 31.

Pelo Twitter, Lula falou sobre uma eventual candidatura presidencial do ex-juiz da Lava Jato, chamou novamente Moro de fujão e disse que gostaria de ver seu desempenho num debate eleitoral.

"Eu queria ver o Moro candidato. Queria ver ele em um debate. Convidei ele pra debater comigo e ele fugiu. Não tinha coragem de me olhar nos olhos nem quando vestia a toga. Imagina agora. Fez parte de um jogo sujo que acabou sujando a história do judiciário brasileiro", disse Lula.

Brasil 247


[ Leia completa ]

Funcionários dos Correios que apoiaram Bolsonaro decidem entrar em guerra contra privatização e o corte de benefícios, como férias e licença maternidade

Paulo Guedes, Jair Bolsonaro e funcionários dos Correios

(Foto: Reuters | Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr)

Greve dos cerca de 100 mil funcionários dos Correios está marcada para ter começar na próxima terça-feira (4). Mobilização tem como estopim os planos de privatização do governo Jair Bolsonaro e o corte de benefícios, como férias e licença maternidade

31 de julho de 2020

A greve dos funcionários dos Correios marcada para ter início na próxima terça-feira (4) teve como estopim os planos de privatização do governo Jair Bolsonaro e o corte de benefícios, acendeu a luz de alerta da direção da estatal que pretende levar o caso ao Tribunal Superior do Trabalho (TST) para evitar a paralisação.

Com a mobilização, os  funcionários querem impedir o corte de benefícios, como o adicional de férias de 70% , redução no valor do ticket alimentação, redução da remuneração referente as férias, redução do tempo de licença maternidade, entre outros pontos. 

A alegação é que estes benefícios ficaram fora da realidade diante do contexto da atual pandemia do novo coronavírus e os cortes poderiam propiciar uma economia de R$ 600 milhões. Além disso, o ministro da Economia, Paulo Guedes, pretende incluir os Correios no plano de privatizações do governo Jair Bolsonaro já no próximo ano.

Segundo reportagem da CNN Brasil, a estatal diz que a circulação de informações erradas provocou "confusão nos empregados” e espera por  uma baixa adesão dos cerca de 100 mil funcionários. Nesta quinta-feira (30), porém, os 31 sindicatos ligados à  Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) rejeitaram unanimemente a proposta da direção e aprovaram a paralisação.

Brasil 247


[ Leia completa ]

Darlan, um dos bandidos mais procurados do CE, morre em confronto com a polícia no Rio de Janeiro

foto

Foto: Reprodução

Alban Darlan Batista Guerra (o 'Darlan') morreu em um confronto com policiais civis do Rio de Janeiro, no bairro Gardênia Azul, na zona oeste, da capital carioca

31 de Julho de 2020

Alban Darlan Batista Guerra (conhecido apenas como 'Darlan'), um dos criminosos mais procurados pela Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS-CE), foi morto a tiros nesta sexta-feira (31), após confronto com a Polícia Civil do Rio de Janeiro.

Segundo a SSPDS, Darlan foi encontrado em um imóvel no bairro Gardênia Azul, na zona oeste do Rio de Janeiro. 'Darlan' foi baleado e não resistiu aos ferimentos e morreu. Uma pistola e um carro de luxo foram apreendidos na ação policial.

Darlan juntamente com o comparsa Francisco Cilas de Moura Araújo, conhecido como "Mago", preso no início de julho,  tinham forte atuação no município de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). A recompensa para quem fornecesse informações sobre o paradeiro de cada um deles era de R$ 10 mil.

Diário do Nordeste


[ Leia completa ]

Em carta, 1.158 padres endossam bispos e criticam Bolsonaro. Aumenta racha na Igreja Católica

Jair Bolsonaro

(Foto: Marcos Corrêa - PR)

Mais de mil padres assinaram um manifesto em apoio aos bispos que haviam divulgado uma carta em crítica a Jair Bolsonaro. Segundo os padres, o governo atual faz uma defesa "intransigente dos interesses de uma economia que mata, centrada no mercado e no lucro a qualquer preço". Aumenta o racha entre as chamadas alas "progressista" e "conservadora" na Igreja Católica

31 de julho de 2020

Mil e cinquenta e oito padres brasileiros assinaram um manifesto, divulgado na tarde desta quinta-feira (30), em apoio a uma carta de 152 bispos da Igreja Católica com críticas ao governo Jair Bolsonaro (sem partido), tornada pública no fim de semana. A iniciativa aumenta o racha entre as chamadas alas "progressista" e "conservadora" na Igreja Católica.

De acordo com o documento dos padres, publicado pela BBC, os governantes "têm o dever de agir em favor de toda a população, de maneira especial os mais pobres", mas "não tem sido esse o projeto do atual governo", que "não coloca no centro a pessoa humana e o bem de todos, mas a defesa intransigente dos interesses de uma economia que mata, centrada no mercado e no lucro a qualquer preço".

"Por isso, também estamos profundamente indignados com ações do presidente da República em desfavor e com desdém para com a vida de seres humanos e também com a da 'nossa irmã, a Mãe Terra', e tantas ações que vão contra a vida do povo e a soberania do Brasil", diz o texto.

Os padres disseram que a manifestação dos bispos brasileiros "em profunda comunhão com o papa Francisco e seu magistério e em comunhão plena com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)" oferece ao povo "luzes para o discernimento dos sinais nestes tempos tão difíceis da história do nosso País".

Brasil 247


[ Leia completa ]

Geraldo Alckmin (PSDB, é claro) vira réu por caixa 2, corrupção e lavagem de dinheiro

Geraldo Alckmin

(Foto: Governo do Estado de São Paulo)

Justiça Eleitoral aceita denúncia feita pelo Ministério Público de São Paulo. Tucano é acusado de receber R$ 11,3 milhões da Odebrecht durante as campanhas de 2010 e 2014 ao governo do estado de São Paulo

30 de julho de 2020

A Justiça Eleitoral aceitou denúncia do Ministério Público de São Paulo contra o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB), que virou réu por caixa 2, corrupção e lavagem de dinheiro.

A denúncia foi aceita pelo juiz Marco Antonio Martin Vargas, titular da 1ª Zona Eleitoral da capital. Para ele, a denúncia tem “indícios suficientes de materialidade” dos crimes e de suas autorias.

A denúncia do Ministério Público aponta que Alckmin recebeu R$ 11,3 milhões da Odebrecht, durante as campanhas eleitorais de 2010 e 2014 ao governo do estado de São Paulo pelo PSDB.

Ela tem como base depoimentos de três delatores da empresa. Segundo o MP, Alckmin recebeu os recursos sob o uso de diversos codinomes, como “pastel”, “pudim” e “bolero”.

Brasil 247


[ Leia completa ]

Falta de rumo do governo Bolsonaro, Brasil tem rombo recorde e dívida se aproxima de 100% do PIB

Jair Bolsonaro

 (Foto: Alan Santos /PR | Reuters)

A falta de rumo da política econômica adotada por Jair Bolsonaro e pelo ministro da Fazenda, Paulo Guedes, elevou a estimativa para o déficit primário deste ano para um rombo recorde de R$ 812,2 bilhões. Já a dívida bruta deve alcançar 94,7% do PIB

30 de julho de 2020

Isabel Versiani, Reuters - O governo estima que o setor público consolidado registrará um déficit primário de 812,2 bilhões de reais em 2020, o equivalente a 11,3% do Produto Interno Bruto, afirmou nesta quinta-feira o secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues.

Em apresentação em comissão do Congresso, Waldery disse que a expectativa é que o país chegue ao final do ano com uma dívida bruta de 94,7% do PIB e uma dívida líquida de 67,2% do PIB.

As projeções levam em conta uma retração de 4,7% do PIB no ano e não consideram, no caso da dívida, uma eventual ação do Banco Central que impacte o indicador, como a venda de reservas internacionais, disse Waldery.

Brasil 247


[ Leia completa ]

Prefeitura de São Gonçalo do Amarante anuncia pagamento da primeira parcela do 13° salário para 12 de agosto

30 de Julho 2020

O Prefeito Cláudio Pinho anunciou, nessa terça-feira, 28 de julho de 2020, durante live nas redes sociais da Prefeitura de São Gonçalo do Amarante, que o Governo Municipal vai garantir o pagamento antecipado de 50% do 13º salário dos servidores municipais. O pagamento antecipado será efetuado no dia 12 de agosto.

A folha extra vai totalizar um montante de cerca de R$ 4.956.000,00 milhões, calculada com base na folha de pagamento do mês de junho, beneficiando 3.869 servidores ativos, aposentados e pensionistas.

Para o Prefeito Cláudio Pinho, essa antecipação reforça o compromisso da gestão municipal com o bem-estar dos servidores, mesmo no cenário de retração das receitas do município decorrentes da pandemia da Covid-19. “Já é uma tradição da nossa gestão respeitar o calendário de pagamentos estabelecido no início de cada ano, e sempre que as finanças permitem, esse pagamento é antecipado, e este ano não foi diferente. Além de honrar esse compromisso com o nosso servidor, a proposta é movimentar o comércio e a economia local”, explicou.

A estimativa é que, no período de 31 dias seja aplicado receitas públicas no montante de R$ 24.780.000,00, impactando, significamente, a economia de São Gonçalo do Amarante, segundo dados da Secretaria de Finanças do município.

Vale ressaltar que mesmo em meio à pandemia da Covid-19, a primeira parcela do décimo terceiro será pago adiantado, seguindo o exemplo dos anos anteriores.


[ Leia completa ]

Prefeitura de São Gonçalo do Amarante e sindicatos debatem combate à Covid-19 nas escolas

30 de julho de 2020

A Prefeitura de São Gonçalo do Amarante, através da Secretaria Municipal de Educação esteve reunida, nesta quarta, 29 de julho de 2020, para discutir o retorno às aulas nesse segundo semestre letivo. Na ocasião, foram discutidos os cuidados preventivos de combate ao coronavírus para o retorno dos profissionais de educação, a partir do dia 3 de agosto. Vale ressaltar que durante o mês de julho, foram as férias escolares.

As representantes dos Sindicatos dos Servidores Públicos Municipais e APEOC, Ana Abreu e Liduína Tito participaram da reunião. “Nós apresentamos os direcionamentos e cuidados que a gestão está tendo para evitar a disseminação do novo coronavírus nas escolas de São Gonçalo do Amarante. A orientação do Prefeito Cláudio Pinho é que todos os cuidados para com os profissionais sejam respeitados”, destacou Secretário de Educação, Guerreiro Neto.

Durante o encontro, Ana Abreu agradeceu a preocupação da Secretaria de Educação municipal pelo zelo com a segurança dos profissionais no retorno das atividades. “Hoje, o mais importante para nós é o zelo pela vida. Parabenizo o Secretário Guerreiro em chamar os sindicatos para tratar de um assunto de interesse da classe de forma democrática e consensual”, disse.

Liduína Tito ressaltou que o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais segue vigilante no acompanhamento das ações e agradece o cuidado e a preocupação com a categoria.


[ Leia completa ]

Lava Jato e o triplex da família Marinho em Paraty: entenda por que a Globo ataca Aras e defende a turma de Dallagnol

Paraty House

30 de julho de 2020

Por Joaquim de Carvalho

A defesa quase histérica que o Grupo Globo faz da Lava Jato é resultado do mau jornalismo que caracteriza a emissora há pelo menos 20 anos — no caso da TV, desde que Evandro Carlos de Andrade morreu e uma disputa interna deu poder na redação a burocratas que nunca haviam se destacado na profissão.

Mas não só.

A Globo é devedora da Lava Jato em pelo menos um caso, o dos papéis apreendidos no escritório da Mossack Fonseca em São Paulo, na mesma época que a matriz, no Panamá, era o centro de um escândalo internacional de lavagem de dinheiro.

Manuscritos encontrados no escritório indicam que, por trás da empresa de fachada que tem a propriedade do triplex na praia de Santa Rita, em Paraty, está a família proprietária da Rede Globo. O nome que aparece é a de Paula Marinho, filha de João Roberto Marinho.

Os papéis foram encontrados pela Polícia Federal ao cumprir mandado de busca e apreensão assinado pelo então titular da 13a. Vara Federal Criminal em Curitiba, Sergio Moro.

Formalmente, era o Ministério Público Federal que buscava provas no caso do triplex do Guarujá, que a força-tarefa atribuía ao ex-presidente Lula. É que, naquele condomínio, o Solaris, algumas unidades estavam em nome de offshore administrada pela Mossack Fonseca.

Formalmente, era o Ministério Público Federal que buscava as provas, mas, como já se suspeitava à época e se comprovou mais tarde, com os diálogos da Vaza Jato, era o próprio Moro quem orientava os procuradores na estratégia de acusação ao ex-presidente da república.

Com os papéis em mãos, a Lava Jato constatou que a offshore proprietária de unidades no condomínio do Guarujá não tinha nenhuma relação com Lula, mas outros papéis apontavam para a propriedade do triplex de Paraty, alvo de uma investigação bem mais antiga, na Justiça Federal em Angra dos Reis.

Um ano depois, quando realizei para o DCM uma série de reportagens sobre a morte do ex-ministro do STF Teori Zavascki, os papéis não tinham chegado a Angra dos Reis, e tudo indica que nunca chegará.

Há dois processos na Justiça Federal em Angra dos Reis sobre o triplex, um civil, que tem o objetivo de demolir a mansão, já que foi erguida ilegalmente em área de proteção ambiental, e outro criminal.

O problema é que, apesar da investigação começar em 2009, com o relato de um turista, até hoje não há no processo a prova que liga a mansão a seus reais proprietários, a família Marinho.

A prova está nos papéis da Mossack Fonseca, mas a Lava Jato, até onde se sabe, não os encaminhou para o Ministério Público Federal em Angra dos Reis.

Premiado em concurso internacional de arquitetura, o triplex de Paraty, com piscina construída na areia da praia, chamou a atenção de DS (ele pediu ao DCM que publicasse apenas suas iniciais), que é funcionário público da Justiça Federal em outra jurisdição.

DS fazia um passeio de barco com outros turistas quando foi informado de que não poderiam se aproximar da praia de Santa Rita, onde fica a mansão, pois havia bóias que fecham acesso e seguranças armados que impedem qualquer aproximação.

DS queria parar na praia, mas o condutor da escuna informou que não poderia.

No passado mais distante, quando a área pertencia a Francisco William Munhoz e sua irmã, Elizabeth, o acesso era livre, mas, depois que “um membro da família do sr. Roberto Marinho” comprou o sítio, a praia e um pedaço de mar foram “privatizados”, como se diz em Paraty.

Foi o que ele relatou no e-mail que enviou ao Ministério Público Federal. Disse mais:

“Além do relato dessa pessoa (o condutor da escuna), que toda semana passa pelo local, por conta do trajeto rotineiro do passeio de escuna, pude ver tudo o que estou informando. Lamentavelmente não pude fotografar o local, pois minha câmera estava com defeito. Acredito que, por se tratar de propriedade de uma família com tanta influência e poder econômico, muitos jornalistas, políticos e autoridades locais tenham temor de investigar o caso, porém é sabido que a lei tem de ser igual para todos. Necessário se faz, ao meu ver, uma diligência ao local.”

 

Fiscais do Instituto Chico Mendes, do Ministério Público Federal, estiveram no local meses depois, com a proteção da Polícia Federal, já que eram impedidos de entrar.

O relato deles faz parte dos processos em Angra dos Reis, que não avançam, apesar da prova de ouro que a Lava Jato encontrou na Mossack Fonseca.

Onze anos depois do relato do funcionário público DS, a mansão continua lá e os nomes da família Marinho

Nos documentos em cartório e no processo, aparecem registros de uma empresa brasileira, a Agropecuária Veine, controlada por uma empresa de Las Vagas, a Vaincre, por sua vez sob domínio de

Há o nome de dois procuradores, pessoas humildes, que foram indiciadas — uma delas nunca atendeu à intimação para comparecer em juízo, e também nunca foi alvo de mando de condução coercitiva, nesse caso justificável.

São idosos, e um deles fez acordo de transação penal com o Ministério Público e afastou o risco de condenação. Sua parte no acordo foi entregar produtos de higiene a um asilo em Paraty.

Quando se vê hoje na Globonews um batalhão de jornalistas escalados para desqualificar o relato do procurador-geral da república, Augusto Aras, sobre os desvios da Lava Jato, é impossível não lembrar a situação que vivi na Praia de Santa Rita, quando gravei um boletim enquanto, ao fundo, um segurança gritava e me mandava embora.

Não fui, porque a praia é pública, apesar da piscina que foi construída ali. Nesse dia, a mansão estava sem seus proprietários, mas a imponência da construção não permitia esquecer que o local era de pessoas que se comportam como donos do Brasil, pessoas acima da lei.

E, pelo que se vê na Lava Jato e também nos processos em Angra dos Reis, eles são tratados mesmo como se estivessem acima da lei.

Os empregados diretos são remunerados para defender os interesses dos patrões. Os indiretos usam o poder público de que desfrutam para blindá-los.

Em troca, ao que parece, também são protegidos quando quem está no topo da hierarquia do Ministério Público quebra o silêncio e aponta a “caixa de segredos” da Lava Jato.

Uma mão lava a outra, mas os empregados nunca poderão entrar na piscina em cuja margem estive, mas não entrei. Não porque não pudesse, já que a piscina está em área pública, mas para evitar o risco de levar um tiro.

DCM

[ Leia completa ]