São Gonçalo do Amarante - Ceará - Brasil - Quarta-feira 1º de Outubro de 2014 - Ano: VI - Edição: 2.167 - Visitas: 5.835.327 - Postagens: 23.702 - Comentários: 9.079

Patrícia Poeta recusa proposta para voltar a apresentar Fantástico


01/10/2014 | Por DANIEL CASTRO

A jornalista Patrícia Poeta recusou proposta da Globo para voltar a apresentar o Fantástico. Poeta foi consultada pela cúpula do Jornalismo antes de a emissora divulgar, em nota oficial, que ela terá um programa de entretenimento em 2015. A jornalista, contudo, não concordou com o argumento de que tem o perfil de apresentadora do Fantástico. No próximo dia 3 de novembro, Poeta entregará o posto de apresentadora do JN para Renata Vasconcelos. No lugar de Vasconcelos, no Fantástico, entrará Poliana Abritta.

Poeta não aceitou a proposta de voltar ao Fantástico porque pareceria rebaixamento. Além disso, ela não quer voltar à rotina de trabalhar nos fins de semana. Mesmo pressionada no JN pela queda de audiência, queixas de William Bonner e desempenho considerado fraco nas entrevistas com presidenciáveis, ela pediu uma outra solução.

Como a Globo tem planos de novos programas nas manhãs de sábado e nos finais de tarde, optou-se por desenvolver um novo projeto para a jornalista tocar em 2015 pela área de Entretenimento.

Nos bastidores do Projac, a central de estúdios da Globo, há um clima de insatisfação. Além de resolver seus próprios problemas (novelas, novas séries, programas com audiência em queda), a área de Entretenimento virou salvação para o Jornalismo. Com Pedro Bial e Fátima Bernardes deu certo, mas com Zeca Camargo, no Vídeo Show, não. Teme-se que o mesmo ocorra com Poeta.

Oficialmente, a Globo diz que a saída de Patrícia Poeta do Jornal Nacional já estava acertada quando ela assumiu o posto, em dezembro de 2011. A emissora diz que ainda não tem nenhum projeto desenvolvido para a jornalista.

UOL


[ Leia completa ]

Distância entre Globo e Record é a menor da história


01/10/2014 | Ricardo Feltrin

Dupla má notícia para a Globo. Em setembro a emissora não só registrou a pior média de audiência em São Paulo em todos os tempos, como também ficou mais próxima do que nunca da segunda colocada, a Record.

A Globo fechou setembro, segundo dados obtidos pelo UOL, com uma média de 12,2 pontos entre 7h e 0h -- o chamado horário comercial da TV aberta. A Record veio atrás com seis pontos de média. O SBT ficou em terceiro com 5 pontos.

Na comparação com o mês anterior, apenas a Record cresceu. Todos os demais canais perderam ibope. A emissora teve reação positiva com programas como "A Fazenda", uma certa recuperação da novela "Vitória", "Cidade Alerta" e a programação dominical, que está indo bem, com destaque para o "Domingo Espetacular".

Destaque para a Band que, apesar de novos programas como "Tá na Tela", de Luiz Bacci, e "MasterChef", caiu de 2,3 pontos para 2,2 (-4%). A RedeTV! também caiu 10%, de 0,9 para 0,8. A Cultura teve queda também: 1,2 para 1,1 (-6%).

Só nos últimos três meses, a Globo perdeu no mínimo 16% dos telespectadores de 7h a 0h.

Em termos de participação nos aparelhos de TV ligados, a Globo tem hoje 29,4%, quando essa média, no longínquo passado, já foi de mais de 70%.

[ Leia completa ]

RIBAMAR FONSECA | OS PROFETAS DO CAOS

1 DE OUTUBRO DE 2014

O temor de que a presidenta Dilma Rousseff possa vencer as eleições do próximo domingo logo no primeiro turno está levando a mídia oposicionista ao desespero


O temor de que a presidenta Dilma Rousseff possa vencer as eleições do próximo domingo logo no primeiro turno, conforme análises de dirigentes de institutos de pesquisas, está levando a mídia oposicionista ao desespero, como se percebe no tom raivoso de alguns colunistas. O maluco beleza Arnaldo Jabor, por exemplo, em artigo sob o título de "A lista de perigos", como verdadeiro profeta do caos relaciona os desastres que, segundo ele, deverão ocorrer num eventual segundo mandato da candidata petista à reeleição.

Por sua vez, outro profeta do caos, Rodrigo Constantino, tão raivoso quanto o misto de cineasta e colunista, grita o seu espanto por não ter a reportagem da "Veja" com as denúncias de Roberto Costa provocado um único arranhão na candidatura da petista e, indignado, conclui que o povo é "extremamente alienado". Para ele, o gigante, que diziam ter acordado em junho, "é um bobalhão", por manifestar o desejo de manter Dilma por mais quatro anos no Palácio do Planalto. Só faltou ambos aparecerem na propaganda dos candidatos oposicionistas dizendo "tenho medo", como Regina Duarte na eleição de Lula.

Constantino, no seu artigo intitulado "Um país à beira do precipício", reconhece a falta de credibilidade da revista "Veja" por não ter conseguido mudar a cabeça do eleitor. E confessa a sua decepção, perguntando: "Como ainda ter esperanças no eterno "país do futuro" quando vemos que a presidente Dilma, depois dos novos escândalos da Petrobras, continua como favorita na corrida eleitoral?" Ele esperava, obviamente, que a matéria escandalosa da revista pudesse influenciar o eleitorado, como aconteceu outras vezes, sem atentar para o fato de que o Brasil de hoje não é o mesmo de anos atrás.

O rapaz, que vê o país pela mesma lente de Jabor – na verdade a lente usada pelos jornalões que os empregam – foi mais além no seu indignado desabafo, quando diz:

"Roberto Campos foi certeiro ao constatar que, no Brasil, a burrice tem um passado glorioso e um futuro promissor". E acrescentou:"Quer maior prova disso do que todos esses anos de PT no poder?" Quer dizer, todos os que não pensam pela sua cabeça são burros, como se ele fosse o sábio que sabe o que é melhor para o país. E o melhor para o Brasil, na sua visão nublada pelo ódio aos petistas, certamente é o tucano Aécio Neves.

Seguindo o mesmo roteiro, Jabor começa seu artigo perguntando: "O que acontecerá com o Brasil se a Dilma for eleita?" E relaciona o que ele chama de "catástrofes anunciadas", verdadeiro caos que, se confirmadas varreriam o país do mapa. A partir daí desfia um rosário de tolices, inclusive de que os petistas "odeiam a democracia". Se tal afirmação fosse verdadeira a mídia oposicionista não teria a liberdade que hoje desfruta, de fazer matérias tendenciosas e atacar impunemente reputações alheias, desvirtuando o papel informativo da imprensa.

E não tem escrúpulos em mentir, dizendo que se Dilma for reeleita "continuaremos a "defender" o Estado Islâmico e outros terroristas do "terceiro mundo", distorcendo pronunciamento da Presidenta na assembléia geral da ONU. O que Dilma fez foi condenar o uso da força, as guerras, que "são incapazes de eliminar as causas dos conflitos", acentuando que a "cada intervenção militar não caminhamos para a Paz mas, sim, assistimos ao acirramento desses conflitos", verificando-se "uma trágica multiplicação do número de vítimas civis e de dramas humanitários". E deixando à mostra seu espírito de vira-lata, ele exaltou o insulto do funcionário israelense que classificou o Brasil de "anão diplomático", porque condenou o massacre de civis na faixa de Gaza.


Mais adiante, Jabor disse que "Joaquim Barbosa foi uma nuvem passageira". Ainda bem, senão o estrago no poder judiciário seria irreparável, como, aliás, pensam os advogados. A Ordem dos Advogados do Brasil, secção do Distrito Federal, inclusive, negou o seu pedido de registro precisamente por causa das atitudes tomadas por ele quando presidente do STF, ocasião em que chegou a expulsar do plenário da Corte, com a ajuda dos seguranças, o advogado de José Genoino. E finaliza com uma frase que se encaixa como uma luva no comportamento da mídia que representa: "Quanto maior a mentira, maior é a chance de ela ser acreditada". Que o diga Fernando Henrique Cardoso com a história de que é o pai do Plano Real.
[ Leia completa ]

DILMA ROUSSEFF LIDERA NAS CINCO REGIÕES DO PAÍS



Presidente amplia vantagem sobre adversários na disputa pela reeleição, principalmente no Nordeste, a segunda região em número de eleitores, onde alcança 56%, contra 24% de Marina Silva (PSB) e 9% de Aécio Neves (PSDB); nos três Estados da região Sul, Dilma Rousseff lidera isolada e apresenta tendência de crescimento; no Sudeste e no Centro-oeste, com o maior número de eleitores, diferença é apertada, 30%, contra 29% da ex-senadora e 25% do tucano

1 DE OUTUBRO DE 2014

Em pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira, a presidente Dilma Rousseff aparece com maior vantagem diante de seus adversários. Enquanto a lidera o primeiro turno isolada com 40%, Marina Silva (PSB) tem agora 25% e o senador tucano Aécio Neves alcança 20%.

A presidente apresenta mais intenções de voto nas cinco regiões do país. A maior vantagem é no Nordeste, a segunda região em número de eleitores e reduto eleitoral do PT, onde alcança 56%. Marina tem 24%; Aécio, 9%.

Nos três Estados da região Sul, Dilma lidera isolada e apresenta tendência de crescimento: tem 39%; Aécio, 26%; Marina, 16%.

No Sudeste e no Centro-oeste, região que reúne o maior número de eleitores, aparece com ligeira vantagem: tem 30%; Marina, 29%; Aécio, 25%.


[ Leia completa ]

Eunício e Camilo estão tecnicamente empatados a cinco dias da eleição

Clique na imagem para ampliar

Pesquisa realizada a cinco dias da votação mostra indefinição sobre se haverá 2º turno


01/10/2014 - Eunício Oliveira(PMDB) e Camilo Santana (PT) estão tecnicamente empatados a cinco dias do primeiro turno da eleição paragovernador do Ceará, segundo a quarta rodada dapesquisa O POVO/Datafolha. Eunício está numericamente à frente, com 39% das intenções de voto. Camilo tem 37%. Com a margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos, Eunício pode ter entre 36 e 42%, enquanto Camilo pode ficar entre 34 e 40%. Eliane Novais (PSB) e Ailton Lopes (Psol) têm 1% cada.

Os indecisos somam 14% na consulta estimulada, votos que podem definir a eleição. Na espontânea, quando eleitores declaram em quem pretendem votar sem ver a lista com o nome dos candidatos, o percentual de indecisos é de 37%.

Considerando os votos válidos, que excluem branco e nulos e indecisos, Eunício tem 50% contra 47% de Camilo. Eliane e Ailton registram 2% cada. O cálculo de votos válidos é o usado para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no 1º turno, o candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um. Eunício, considerada a margem de erro, pode ter entre 47% e 53%. Camilo pode ficar entre 44% e 50%.


[ Leia completa ]

Magno Alves faz dois, Ceará goleia o Vila Nova e encosta no G-4


Vovô se reabilita com vitória por 5 a 1 sobre o time goiano, no Serra Dourada, e se reaproxima dos quatro melhores da competição


30/09/2014 - O Ceará se recuperou rápido e com estilo para manter vivo o sonho do acesso à elite do futebol brasileiro. Após a derrota para a Ponte Preta, o Vovô conseguiu bater o Vila Nova por 5 a 1, nesta terça-feira (30), no estádio Serra Dourada, em Goiânia, pela 27ª rodada da Série B, e encostou novamente no G-4.

Mesmo com atuação discreta em grande parte da partida, o atacante Magno Alves balançou as redes duas vezes - assim como já tinha feito no triunfo por 2 a 0 sobre o Atlético-GO, no dia 8 de agosto, no mesmo estádio. Bill, Hélder Santos e Lulinha marcaram os outros gols da vitória, enquanto Leonardo diminuiu para o Tigre.

O Alvinegro se mantém na quinta colocação, mas chega aos 46 pontos e diminui a diferença para oVasco, quarto colocado, para apenas um ponto - o time carioca, porém, ainda atuará na rodada. O time cearense voltará a campo diante do Sampaio Corrêa, no próximo dia 7, às 19h30, no Castelão.

O Vila Nova, por sua vez, caiu para a vice-lanterna da competição, na 19ª colocação, com 20 pontos. Na próxima rodada, a equipe goiana enfrentará o Bragantino, no mesmo dia e horário, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista.

[ Leia completa ]

IBOPE: DILMA ABRE VANTAGEM NOS DOIS TURNOS



Presidente Dilma Rousseff lidera nos dois turnos; ela tem 39%, contra 25% de Marina Silva e 19% de Aécio Neves; vantagem sobre a candidata do PSB, que era de nove pontos na pesquisa anterior, agora é de 14 pontos; no segundo turno, ela supera Marina por 42% a 38%; num eventual segundo turno entre Dilma e Aécio, a presidente também vence: 45% a 35%

30 DE SETEMBRO DE 2014

Acaba de sair a nova pesquisa Ibope. Eis os números:

Dilma Rousseff (PT)....  39%

Marina Silva (PSB)...... 25%

Aécio Neves (PSDB).... 19%

Na pesquisa Ibope anterior, os números eram:

Dilma Rousseff (PT)....  38%

Marina Silva (PSB).....  29%

Aécio Neves (PSDB)... 19%

Nas simulações de segundo turno, Dilma venceria Marina por 42% a 38% e Aécio por 45% a 35%.

Leia, abaixo, reportagem da Reuters sobre a pesquisa Datafolha, divulgada também nesta terça-feira:

Datafolha mostra disputa forte pelo 2º lugar entre Marina e Aécio; Dilma vence 2º turno

SÃO PAULO (Reuters) - Nova pesquisa Datafolha mostrou nesta terça-feira uma forte disputa pelo segundo lugar da corrida presidencial entre Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB), enquanto simulações do segundo turno apontam para vitória da presidente Dilma Rousseff (PT) contra os dois adversários.
Nas intenções de voto para o primeiro turno, Dilma permaneceu nos mesmos 40 por cento de intenções de votos registrados na pesquisa divulgada na última sexta-feira, seguida por Marina, com 25 por cento (ante 27 por cento), e por Aécio com 20 por cento, (ante 18 por cento). A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.

Em simulações de segundo turno, Dilma vence Marina por 49 a 41 por cento e Aécio por 50 a 41 por cento.

O Datafolha ouviu 7.520 pessoas em 311 municípios entre segunda e terça-feira.


(Edição de Alexandre Caverni)

[ Leia completa ]

DAVIS SENA FILHO | MARINA É A DIREITA, ESTÚPIDO! QUEM NUNCA COMEU MELADO SE LAMBUZA

30 DE SETEMBRO DE 2014

A candidata da "sustentabilidade" e da "nova política", juntamente com o Aécio Neves, é a esperança dos setores burgueses mais conservadores de o Brasil voltar à sua condição subalterna e de dependência dos países ocidentais de caracteres colonialistas


No decorrer de sua campanha eleitoral, Maria Osmarina Silva de Souza, a Marina Silva, disfarçou, manipulou e mentiu. A "Sonhática" deu declarações com ideias desconcatenadas, de forma proposital, pois sabedora que seu programa de governo está mais à direita do que o do tucano Aécio Neves, o outro candidato a presidente de espectro conservador, cujo partido, o PSDB, à frente o ex-presidente FHC — o Neoliberal I —, vendeu o Brasil.

Por seu turno, o "príncipe" dos sociólogos considerado "gênio" pelos burgueses, pequenos burgueses (classe média) e pelos jornalistas e seus patrões que militam no Partido da Imprensa Golpista (PIG) foi ao FMI três vezes, de joelhos, humilhado e com o pires nas mãos, porque quebrou o Brasil três vezes. Marina compreende tudo isso o que ocorreu no poderoso País latino e sul-americano, mas foi cooptada pela Casa Grande, e, ao que parece, adorou seus salões luxuosos, bem como se deslumbrou. Quem nunca comeu melado quando come se lambuza.

O deslumbramento e a ingratidão, sobretudo, são os calcanhares de Aquiles de qualquer cidadão, ainda mais quando se trata de um político. Marina é uma mistura de FHC com Levy Fidelix. Só que usa saia. Sua dialética é propositalmente confusa, porque, na verdade, Marina é intelectualmente simplória e, por causa disso, suas teses políticas são frágeis e as argumentações para defendê-las pecam no que concerne a distinguir com clareza os conceitos do que é discutido.

A resumir: ela não comprova, por A + B, o que está a dizer e a defender. Esse processo "osmarinês" de ser e agir se torna explícito para quem a observa com acuidade e atenção. Por isso, a queda nas pesquisas, porque Marina tem dificuldade para convencer o eleitor, independente de sua classe social e nível de instrução, que pensa e reflete sobre o que a Marina afirma. Além disso, a maioria dos brasileiros tem origem pobre ou de classe média baixa, e sabe muito bem que sua vida melhorou nos últimos 12 anos de governos trabalhistas.

Essa é a questão fundamental e que incomoda efetivamente a direita brasileira, por saber que seus votos minguaram ainda mais nas classes populares e até mesmo nas classes médias. Reverter essa realidade requer um trabalho hercúleo da direita, que aposta todas as suas fichas na imprensa de negócios privados. Acontece que o poder midiático também tem limite. O limite é a urna, onde cada brasileiro, antes de depositar o voto, reflete sobre sua vida e de sua família, fator que, sem sombra de dúvida, é muito mais importante do que as opiniões dos editores, dos comentaristas, dos colunistas e dos repórteres empregados dos magnatas bilionários de todas as mídias cruzadas.

Magnatas economicamente poderosos e que se utilizam de suas mídias de concessões públicas para fazer oposição ao Governo Trabalhista e ao PT. Capitalistas influentes que decidiram protagonizar o embate político, de forma muitas vezes ilegal, porque a imprensa corporativa e de mercado tomou o lugar dos partidos de direita, a exemplo do PSDB, do DEM e do PPS, que estão inacreditavelmente tutelados e pautados pelo sistema midiático alienígena e privado. Por sua vez, pasmem, o PSB jogou sua história na lixeira e hoje tem uma candidata que atua à direita do candidato tucano, Aécio Neves. Seria cômico se não fosse trágico e surreal.

Voltemos à Marina. A candidata da Casa Grande, ou seja, dos banqueiros, dos setores mais conservadores da indústria e do comércio, dos coxinhas de classe média (que não suportam ver pobres freqüentar os lugares que eles freqüentam), das ONGs capitalistas e multinacionais, além de íntima dos interesses dos governos dos países ricos e hegemônicos, nunca administrou nada com competência. Quando titular do Ministério do Meio Ambiente durante quase seis anos, seus resultados foram pífios, sendo que em dois anos o seu sucessor, o deputado Carlos Minc, obteve resultados bem melhores do que os de Marina Silva. Quem não acredita, que vá pesquisar na internet e faça as comparações.

Marina Silva não dialoga. Impõe. Ela não tergiversa ou vacila quando se trata de concretizar seus interesses e os das entidades as quais representa. Chega a ser obsessiva. Marina se tornou uma política de direita, pois seu programa de governo atesta o que eu falo. A sua essência programática vai ao encontro de teses alienígenas, no que diz respeito a atender aos interesses do establishment internacional, mas contrários aos interesses do Brasil.

Proposições que tem por finalidade impor aos países do terceiro mundo e em franco desenvolvimento, a exemplo do Brasil, suas agendas no que é relativo à ecologia, à biodiversidade, aos diferentes ecossistemas, enfim, às florestas, aos mares, rios e oceanos. Marina participa dessa engrenagem multinacional com destaque mundial. E não poderia ser ao contrário, afinal a "Sonhática" é militante ferrenha dessas causas, além de ser candidata a presidente da República de um País que é a sétima maior economia do mundo e que se tornou protagonista de uma diplomacia não alinhada aos interesses dos EUA e da União Europeia.

Por sua vez, a candidata da "sustentabilidade" e da "nova política", juntamente com o Aécio Neves, é a esperança dos setores burgueses mais conservadores de o Brasil voltar à sua condição subalterna e de dependência dos países ocidentais de caracteres colonialistas. Trata-se da nostalgia histórica do rico tutelado, bem como colonizado culturalmente e mentalmente. Marina Silva mostrou, no decorrer do tempo, ser sua carreira de viés oportunista e rancoroso, porque jamais aceitou ser preterida pelo presidente trabalhista, Luiz Inácio Lula da Silva, que escolheu Dilma Rousseff para ser candidata a presidente.

De acordo com Lula, a opção por Dilma se deve à competência, afinal a mandatária trabalhista luta pela reeleição e foi a principal agente do Governo Lula, no que tange à coordenação dos programas sociais e das obras de infraestrutura, que mudaram para sempre a cara do Brasil, um País que debelou a crise internacional de 2008, por intermédio do fortalecimento do mercado interno, das relações comerciais com novos parceiros através dos Brics, do Mercosul, da Unasul e das relações Sul-Sul, em termos hemisféricos.

Emprego e renda: eis as bases dos governos trabalhistas de Lula e Dilma. E é exatamente isto que a direita brasileira quando esteve no poder nunca deu ao povo brasileiro. A direita antipovo, antinacional, entreguista, antidemocrática, golpista e historicamente escravocrata. A Resumir: a pior direita do planeta, porque pelo menos os partidos de direita e a burguesia dos países ricos o são nacionalistas, bem como os coxinhas estrangeiros, o que não acontece com os colonizados pequenos burgueses brasileiros, que adoram ir a Miami, a Orlando e abraçar o Mickey para dar uma de pateta.


Para quem ainda tem dúvidas quanto às realidades que se apresentam, afirmo o seguinte: "Marina Silva é a direita, estúpido! Ela se deixou ser cooptada pela Casa Grande, que, desesperada, apoia qualquer candidato que possa derrotar o PT, mesmo se tal candidato tenha origem no Partido dos Trabalhadores. Quem nunca comeu melado quando come se lambuza. É o caso da "Sonhática", aquela que ninguém entende o que ela fala. É isso aí. 
[ Leia completa ]

DATAFOLHA: DILMA 40%; MARINA 25%; AÉCIO 20%



Pesquisa divulgada nesta terça-feira mostra vantagem de 15 pontos da presidente sobre Marina Silva, segunda colocada; Dilma Rousseff manteve os 40% das intenções de voto da última pesquisa, de quatro dias atrás, enquanto a candidata do PSB caiu dois pontos e Aécio Neves, do PSDB, cresceu dois; tucano subiu de 18% para 20%, se aproximando mais de Marina; em simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, a petista seria reeleita por 54% a 46%, vantagem de oito pontos em relação à adversária; na disputa com Aécio, Dilma venceria por 50% a 41%, ou seja, nove pontos

30 DE SETEMBRO DE 2014

Pesquisa Datafolha divulgada nesta terça-feira 30 mostra que a vantagem da presidente Dilma Rousseff sobre a Marina Silva, segunda colocada, aumentou para 15 pontos, dois a mais do que na última pesquisa, divulgada há quatro dias.

A petista se manteve com 40% das intenções de voto, contra 25% da candidata do PSB, que caiu dois pontos. Aécio Neves, que tinha 18% na mostra anterior, cresceu para 20% nessa pesquisa, se aproximando mais de Marina.

Em simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, a presidente seria reeleita com 54% dos votos, contra 46% da adversária. Entre Dilma e Aécio, a vitória da petista seria por 50% contra 41%.

O levantamento foi feito com 7.526 pessoas entre os dias 29 e 30, contratado pela Folha de S. Paulo e Rede Globo. Na pesquisa anterior, divulgada na última sexta-feira 26, Dilma dobrou a vantagem sobre Marina Silva. Leia abaixo a matéria publicada anteriormente pelo 247:

DATAFOLHA: DILMA DOBRA VANTAGEM SOBRE MARINA

Presidente Dilma Rousseff, do PT, tem 40%, contra 27% de Marina Silva, do PSB, e 18% de Aécio Neves, no PSDB; há uma semana, a vantagem de Dilma sobre Marina no primeiro turno era de sete pontos; hoje é de 13 pontos; no segundo turno, ela também venceria: 47% a 43%

Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (26) mostra a candidata do PT à reeleição, Dilma Rousseff, com 40% das intenções de voto, Marina Silva, do PSB, com 27%, e Aécio Neves, do PSDB, com 18%. A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo.

A vantagem de Dilma sobre Marina no primeiro turno aumentou em relação à pesquisa anterior, divulgada no dia 19, na qual Dilma aparecia com 37% e Marina com 30%. Aécio estava com com 17% das intenções de voto.

No levantamento de hoje, os candidatos Pastor Everaldo, do PSC; Luciana Genro, do PSOL, e Eduardo Jorge, do PV, aparecem cada um com 1% das intenções. Os demais candidatos, Zé Maria, do PSTU; Eymael, do PSDC; Levy Fidelix, do PRTB; Mauro Iasi, do PCB; e Rui Costa Pimenta, do PCO, têm, juntos, 1%. Votos nulos ou brancos somam 5% e são 6% os indecisos.

De acordo com a pesquisa, na simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, a candidata do PT alcançaria 47%, contra 43% da candidata do PSB, o que configura empate técnico considerada a margem de erro de 2 pontos percentuais. Na semana passada, Marina tinha 46% e Dilma, 44%.

Em uma possível disputa entre Dilma e Aécio, a petista venceria por 50% a 39%. Na semana passada, Dilma tinha 49% e Aécio, 39%.

Dilma tem 31% de rejeição; Marina, 23%; Pastor Everaldo, 22%; Aécio, 20%; Zé Maria, 17%; Levy Fidelix, 17%; Eymael, 16%; Luciana Genro, 15%; Rui Costa Pimenta, 14%; Eduardo Jorge, 13%; e Mauro Iasi, 13%.

Foram feitas 11.474 entrevistas, ontem (25) e hoje, em 402 municípios. Com margem de erro de 2 pontos percentuais (para mais ou para menos) e nível de confiança de 95%, a pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-00782/2014.



[ Leia completa ]

SEM ÉTICA, BARBOSA TEM REGISTRO NEGADO PELA OAB



Ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa teve seu registro de advogado negado pela seccional da Ordem dos Advogados do Brasil, do Distrito Federal; presidente da entidade, Ibaneis Rocha alegou que ele feriu a ética profissional quando exerceu a magistratura; durante seu estrelato, Barbosa ofendeu advogados e fez até com que o defensor de José Genoino, Luiz Fernando Pacheco, fosse retirado do plenário do STF por seguranças da casa – fato inédito na história do Judiciário; agora, veio o troco; leia a íntegra do despacho do presidente da OAB-DF

30 DE SETEMBRO DE 2014

O ex-presidente do STF Joaquim Barbosa colheu nesta segunda-feira 30, na seção do Distrito Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, uma parte do que semeou no exercício do cargo. Ele teve seu pedido de registro profissional como advogado recusado pela OAB-DF, sob a justificativa, registrada pelo presidente da entidade, Ibaneis Rocha, de ter "ferido a ética profissional".

Barbosa destratou dois advogados, Maurício Corrêa, já falecido, e José Gerardo Grossi, durante seu período como ministro do Supremo. A OAB, em cada uma das ocasiões, realizou atos de desagravo aos profissionais.

Em junho, durante uma de suas últimas sessões no STF e numa cena que foi transmitida ao vivo pela TV Justiça, Barbosa mandou que seguranças retirassem da corte o advogado Luiz Fernando Pacheco, que defende o ex-presidente do PT José Genoíno. O gesto despertou indignação em diferentes setores da Justiça.

Agora, Barbosa terá de recorrer à comissão de seleção da OAB se quiser pertencer à classe que, nitidamente, não o quer. Ele foi comunicado do indeferimento de seu pedido nesta segunda 30.

Barbosa também pode recorrer à Justiça para ter direito ao registro da Ordem. Ele é formado em Direito e antes de ser ministro do STF era procurador da República concursado. O problema é o risco de ser humilhado novamente, com outras recusas.

[ Leia completa ]

Na reta final, Marina Silva terá de justificar a mentira


Josias de Souza

30/09/2014 - Numa campanha eleitoral, pode-se desconfiar das verdades dos candidatos. Mas uma mentira deslavada, quando apanhada no pulo, é sempre rigorosamente verdadeira. Por essa razão, um candidato jamais deve dizer uma mentira que não possa provar. Marina Silva disse uma mentira inacreditável: “Quando foi a votação da CPMF, ainda que o meu partido fosse contra, em nome da saúde, em nome de respeitar os interesses dos brasileiros, eu votei favorável…”

A ex-petista Marina votou contra a CPMF não uma, mas duas vezes. A mentira foi exposta no noticiário no início de setembro. Neste domingo, o comitê de Dilma Rousseff transformou a inverdade em propaganda eleitoral. E a evangélica Marina Silva entra na última semana da campanha tendo de explicar por que diabos mentiu.

Tim Maia dizia: “Não fumo, não bebo e não cheiro. Só minto um pouco.” O que dirá Marina?





[ Leia completa ]

INSTITUTO DE MARINA SILVA LEVOU R$ 6,8 MI DE NECA DO ITAÚ E LEAL DA NATURA



Acionistas do Itaú e da Natura, Neca Setubal e Guilherme Leal bancaram praticamente todos os custos do Instituto Democracia e Sustentabilidade, criado por Marina Silva; ambos deram R$ 6,8 milhões, em cotas idênticas de R$ 3,4 milhões, dos R$ 7 milhões arrecadados pela entidade desde 2010; revelação foi feita pela ex-secretária-executiva da ONG, Alexandra Reschke, ao jornalista Thiago Herdy, do jornal O Globo; tanto o Itaú quanto a Natura foram multados pela Receita Federal durante o governo Dilma; o banco em R$ 18,7 bilhões e a produtora de cosméticos em R$ 628 milhões; Neca, que fala em nome da candidata sobre temas como a independência do Banco Central, também doou mais R$ 1 milhão para outra entidade criada pela ex-senadora, o Instituto Marina Silva

30 de Setembro de 2014

Dos R$ 7 milhões arrecadados desde 2010 pelo Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS), uma das ONGs de Marina Silva, 97,1% vieram de dois empresários que têm participação ativa em sua campanha: Neca Setubal, a herdeira do Itaú que coordena o seu programa de governo, e Guilherme Leal, um dos sócios da fabricante de cosméticos Natura. Cada um contribuiu com cerca de R$ 3,4 milhões, segundo a ex-secretária-executiva da entidade, Alexandra Reschke.

A revelação foi feita por ela ao jornalista Thiago Herdy, do jornal O Globo, e publicada nesta terça-feira pelo jornal. Procurado pelo jornal, Leal confirmou ter feito a doação de R$ 3,4 milhões. Neca, que concedeu entrevistas falando em nome da candidata do PSB e defendendo temas como a independência do Banco Central, confirmou a doação, mas não o valor.

A doação de Neca não se restringe ao IDS. Ela também bancou 83% dos custos de outra ONG da candidata do PSB, o Instituto Marina Silva, com uma doação de R$ 1 milhão em 2013 (leia mais aqui).

Na entrevista ao Globo, Guilherme Leal afirmou que "ideais debatidas e consensuadas no IDS são convergentes com o ideário de Marina". Neca Setubal, por sua vez, já foi presidente da entidade, que a tem como uma das principais mantenedoras.

Durante o governo da presidente Dilma, tanto o Itaú quanto a Natura foram autuados pela Receita Federal por suposta sonegação de impostos. O banco, em R$ 18,7 bilhões, pelos efeitos da incorporação do Unibanco. A fabricante de cosméticos, em R$ 628 milhões.


[ Leia completa ]

'Semana da Globo, da Folha, do Estadão, da VEJA, da Época’



"Essa semana agora é a semana das mentiras. Vocês vão ver quantas mentiras vão ser contadas na imprensa. Vocês não têm que acreditar porque todas as vezes que aparece um candidato que tenta fazer as coisas para o povo mais humilde, ele é achincalhado pela elite brasileira que não quer que a gente faça", afirmou o ex-presidente Lula, em ato do PT em São Paulo, ao lado da presidente Dilma Rousseff e do candidato petista ao governo do Estado, Alexandre Padilha; ele também rechaçou as comparações com a presidenciável Marina Silva (PSB): "As pessoas dizem que a Marina é tão parecida com o Lula, tão amiga do Lula, é fundadora do PT e por que o Lula não está apoiando ela? Quando escolhi a Dilma foi pela competência"

30 de Setembro de 2014

Durante ato do PT em São Paulo, ao lado da presidente Dilma Rousseff e do candidato petista ao governo do Estado, Alexandre Padilha, o ex-presidente Lula fez um alerta aos eleitores:

"Essa semana agora é a semana das mentiras. Vocês vão ver quantas mentiras vão ser contadas na imprensa. Vocês não têm que acreditar porque todas as vezes que aparece um candidato que tenta fazer as coisas para o povo mais humilde, ele é achincalhado pela elite brasileira que não quer que a gente faça", afirmou.

Acompanhado por uma plateia de cerca de 10 mil militantes, ele também rechaçou as comparações com a presidenciável Marina Silva (PSB), que foi ministra do Meio Ambiente durante o seu governo.

"As pessoas dizem que a Marina é tão parecida com o Lula, tão amiga do Lula, é fundadora do PT e por que o Lula não está apoiando ela? Eu estou apoiando a Dilma e fiz a Dilma minha sucessora porque é como chamar alguém para ser padrinho dos nossos filhos. Quando vai escolher padrinho é alguém que na nossa ausência essa pessoa possa tomar conta dos nossos filhos. Quando escolhi a Dilma foi pela competência", completou.


[ Leia completa ]

Sensacional: “Hulk” retira apoio a Marina Silva por conta de casamento gay. Gol do Malafaia!


30 de setembro de 2014 | Autor: Fernando Brito

Deu no site Rolling Stones: o badalado apoio do ator Mark Rufallo, famoso pelo papel de Hulk no cinema,  a Marina Silva durou 24 horas. Ele descobriu que Marina deu para trás na historia do casamento gay e ficou verde de raiva.

O ator postou um texto dizendo que  retira seu apoio à Marina: “Descobri que a candidata à Presidência do Brasil, Marina Silva, talvez seja contra o casamento gay”, escreveu ele. “Isso me colocaria em conflito direto com ela.” O ator explicou que não sabia do posicionamento dela em relação aos direitos dos homossexuais ao gravar o vídeo. “Eu não posso, em sã consciência, apoiar um candidato que tem uma abordagem dura em relação ao casamento gay e aos direitos reprodutivos [aborto, mesmo que este candidato tenha boas propostas sobre as questões ambientais.”

Os marinistas ficaram desesperados com o “mico” e juram, em inglês, pelo Twitter que “é mentira”. Chegaram até a traduzir o trecho do programa para o inglês, num espetáculo de sabujice sem tamanho.

Mas ficaram mal na fita, porque o Hulk, que tinha dado pitaco indevido na eleição brasileira, ficou uma fera.

Como é que vão se explicar para ele? Vou tentar ajudar, a la Joel Santana:

Mr. Hulk, the pastor Malafaia change the program of Marina, did you understand? He tuitou and nós mudou,okay? Malafaia is the chief of Marina’s church and is not good fight com ele. He’s more strong then Hulk here in Brazil.

Ninguém pode dizer que essa campanha não ficou divertida, não é?


[ Leia completa ]

EDUARDO GUIMARÃES | Teoria conspiratória: falso atentado impediria vitória de Dilma no 1º turno

30 de Setembro de 2014

Dificilmente a mídia partidarizada (Globo, Folha de São Paulo, Veja e Estadão) deixará de lançar uma “bomba” para impedir que Dilma se reeleja daqui a seis míseros dias

Após o estrondo político causado pela pesquisa Datafolha da última sexta-feira, na qual Dilma disparou no primeiro e no segundo turnos, Marina caiu e Aécio permaneceu estagnado abaixo de 20 pontos percentuais, durante o fim de semana começaram a vazar trackings das campanhas dos três principais candidatos a presidente.

Como o bem informado leitor já deve saber, no primeiro dia útil desta semana pesquisa CNT/MDA mostrou forte vantagem de Dilma sobre Marina e Aécio no primeiro e no segundo turnos. No primeiro, a presidente subiu a 40,4%, Marina caiu para 25,2% e Aécio cresceu apenas dentro da margem de erro (de 17,6% para 19,8%).

E o mais importante: no segundo turno, a vantagem de Dilma sobre Marina já soma 9 pontos percentuais (47,7% a 38,7%).

Nesta segunda-feira (29), por volta das onze horas, o Ibovespa registrava queda de mais de 4%, o dólar disparou e as ações da Petrobrás caíram cerca de 9%. A pesquisa CNT/MDA explica parte da volatilidade do mercado, mas não toda.

Mais uma vez, boatos sobre pesquisas ainda mais recentes dando conta de vitória de Dilma no primeiro turno espalharam-se por sites, blogs e redes sociais, gerando esses solavancos no mercado financeiro.

Paralelamente aos fenômenos supracitados, a boataria vem se somando a teorias conspiratórias das mais diversas, com o costumeiro protagonismo da CIA ou de Cuba em versões sobre golpes de última hora que estariam sendo preparados por candidatos contra candidatos – Marina contra Aécio, Dilma contra Marina, Aécio contra Dilma etc. – para impedir ou garantir que a eleição vá para 2º turno.

Algumas dessas teorias, aliás, são muito bem elaboradas. Contêm fotos, reproduções de documentos, nomes e mais nomes estrangeiros (de pessoas e organizações) envolvidos em planos para interferir no resultado da eleição presidencial brasileira.

Em uma eleição tão polarizada e repleta de ocorrências dramáticas, como no caso da morte surpreendente de Eduardo Campos em um acidente aéreo cujas explicações ainda não convencem a muitos, teorias conspiratórias não soam tão absurdas como soariam em pleitos anteriores, nos quais os golpes se restringiram às conhecidas denúncias de corrupção de última hora contra o PT.

Nesse mar de teorias conspiratórias, uma certeza: dificilmente a mídia partidarizada (Globo, Folha de São Paulo, Veja e Estadão) deixará de lançar uma “bomba” para impedir que Dilma se reeleja daqui a seis míseros dias.

A Veja bem que tentou, no último fim de semana; acusou Dilma de envolvimento em corrupção. Não é pouco. Ainda mais sem uma mísera prova, o que reforça toda sorte de teoria conspiratória. Se a revista foi capaz de tal ousadia, o que mais pode chegar a fazer?

Ao mesmo tempo, ao longo dos últimos dez dias notícias importantíssimas – e acima de suspeitas de manipulação – contribuíram para que a maioria do eleitorado tenha se inclinado por Dilma nas pesquisas de opinião.

A ONU, por exemplo, elogiou fartamente o Brasil por seus programas de combate à fome e de redução da pobreza. E, além de o país ter saído do mapa da fome no mundo, notícia sobre suas políticas sociais favoreceu a presidente: segundo estudo do Ministério do Desenvolvimento Social, houve aumento da altura média das crianças atendidas pelo Bolsa Família. Entre 2008 e 2012, as meninas de 5 anos ficaram 0,7 centímetro mais altas e os meninos, 0,8 centímetro.

Se no social as notícias foram boas para o governo, na economia tampouco foram más. Apesar da cantilena sobre baixo crescimento e inflação, esta vem caindo. E o que realmente importa ao povo em economia não é crescimento, mas o binômio emprego-salário.

Segundo o IBGE, ambos vão muito bem, obrigado. Em agosto, o desemprego de cerca de 5% foi o menor da série histórica de 12 anos mensurada mês a mês pela instituição. Além disso, a renda média do trabalhador brasileiro do setor privado subiu 2,5% acima da inflação. E a do setor público, 7%.

Inflação controlada, salários subindo, desemprego e pobreza caindo, tudo isso vem fazendo o eleitor pensar se tem mesmo tanto sentido a cantilena midiática sobre baixo crescimento. Apesar de a mídia dizer que desemprego e inflação vão aumentar e os salários vão cair, o que se vê é o contrário.

Ora, é aí, então, que vemos a oposição midiático-banqueira numa sinuca de bico. Denúncias de corrupção vêm falhando miseravelmente contra o petista da vez, eleição presidencial após eleição presidencial; o terrorismo econômico, iniciado exageradamente antes das eleições, perdeu a força.

E agora?

É nesse momento que as teorias conspiratórias vêm à mente. O conclave político-midiático-financeiro vai aceitar que Dilma vença a eleição em primeiro turno após todo o trabalho que teve? Sério que alguém acredita nisso?

Dentre as muitas teorias conspiratórias que vêm pingando tanto “in box” nas redes sociais quanto na caixa de correio eletrônico ou nos telefones do blogueiro, uma lhe é particularmente cara: se denúncias de “corrupção petista” e terrorismo econômico não estão funcionando, e se a vitimização de Marina não deu frutos, que tal algo mais parecido com a queda do avião de Eduardo Campos, a fim de gerar novo clima de comoção?

Uau! Não é pouco. Seria arriscado e, talvez, inútil. Mas…

Pense comigo, leitor: é óbvio que a simulação de um atentado violento contra Marina ou Aécio seria um “fato gerador” de comoção. E a culpa recairia sobre Dilma, claro. Ou sobre algum “aloprado” que simbolizaria como é “bandida” essa “gente do PT”.

Mas tal construção padece de um problema incontornável: por que Dilma ou algum aliado “aloprado” cometeria uma sandice dessas se a presidente disparou nas pesquisas tanto em primeiro quanto em segundo turnos, com possibilidade de vencer no primeiro?

Ora, ainda se fosse no segundo turno poderiam tentar vender que a violência contra um adversário decorreria de uma última cartada do PT por “desespero” diante do tudo ou nada. Mas não é o que está acontecendo. Se Dilma não vencer no primeiro turno, tudo indica que vencerá no segundo.

Contudo, a lógica não tem valido muito, ultimamente. Vejam, por exemplo, que as últimas pesquisas de opinião têm mostrado que, apesar de o desemprego continuar caindo de forma pronunciada no país, quase metade dos brasileiros acredita que irá aumentar. Qual é a lógica desse contingente tão expressivo de pessoas?

Não há lógica. Essas pessoas se guiam pela mentirada que os adversários assumidos e enrustidos de Dilma, sobretudo na mídia, têm espalhado. Desse modo, confiar em sensatez total do eleitorado pode ser uma aposta furada. Nesse aspecto, um “fato gerador” de comoção talvez seja a última esperança de essa gente tirar o PT do poder.


Teoria conspiratória? Claro que sim. Eu acho…

Publicado inicialmente no Blog da Cidadania
[ Leia completa ]

VOX POPULI MOSTRA QUADRO ESTÁVEL NA SUCESSÃO



Pesquisa Vox Populi divulgada nesta segunda-feira pela Rede Record apontou variações dentro da margem de erro; Dilma manteve 40%, enquanto Marina Silva foi de 22% a 24% e Aécio Neves de 17% a 18%; nas simulações de segundo turno, Dilma venceria Marina por 46% a 39% e Aécio por 48% a 38%

30 DE SETEMBRO DE 2014  

Uma nova pesquisa Vox Populi, divulgada nesta segunda-feira pela Rede Record, mostrou poucas variações na sucessão presidencial.

Todas as variações se deram na margem de erro. A presidente Dilma Rousseff, que tinha 40% em 22 de setembro, manteve os mesmos 40%.

Marina Silva, do PSB, foi de 22% a 24%, enquanto Aécio Neves subiu de 17% a 18%.

Nas simulações de segundo turno, Dilma venceria Marina por 46% a 39% e Aécio por 48% a 38%.

Mais cedo, a pesquisa CNT/MDA indicou que a presidente Dilma abriu nove pontos em relação a Marina no segundo turno.

[ Leia completa ]